Machista e juvenil, por que Bastard!! ainda é uma série tão importante?

Créditos da imagem: Divulgação/Netflix

Mangás e Animes

Artigo

Machista e juvenil, por que Bastard!! ainda é uma série tão importante?

Sucesso nos anos 1980, a série shonen Bastard!! ganha nova chance através de um anime bem chamativo feito pela Netflix

Omelete
7 min de leitura
Fábio Garcia
29.06.2022, às 14H18

Nesta quinta-feira (30) chega à Netflix o anime Bastard!! - Heavy Metal, Dark Fantasy, uma nova adaptação dessa série de fantasia medieval repleta de sangue, música pesada e um protagonista politicamente incorreto. Talvez você não saiba, mas Bastard!! originalmente é um mangá shonen lançado nos anos 1980, e ele acabou “encerrando” uma era de séries para adolescentes no Japão. Deseja conhecer um pouco mais sobre a história e o impacto de Bastard!! pelo mundo? Contamos a história da série aqui!

Dark Schneider conquista o Japão

Reprodução

Em março de 1988 mais uma edição da Shonen Jump havia chegado nos pontos de venda no Japão. Até aí nenhuma surpresa, todas as semanas esse mesmo ritual se repetia com uma nova edição da revista que publicava capítulos de Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball, mas a edição de número #1001 trazia uma novidade: a estreia de um mangá chamado Bastard!! (com duas exclamações, como se estivesse gritando com a gente). Na ilustração de capa, o protagonista Dark Schneider nos observa de rabo de olho enquanto uma mulher com as coxas à mostra implorava por ajuda. Se a primeira impressão é a que fica, aquele era o primeiro contato dos japoneses com essa nova série.

Embora seja uma revista destinada ao público adolescente masculino, nos anos 1980 as histórias da Shonen Jump eram um pouco “diferentes” do que conhecemos atualmente com One Piece e My Hero Academia. Até tínhamos um Dragon Ball ou um Super Campeões (Captain Tsubasa) ali com tramas "mais leves" com lições de amizade e lutinhas, mas a revista trazia também histórias com uma dose de violência, como Hokuto no Ken e Jojo's Bizarre Adventure. Esses até traziam um pouco da essência shonen do trabalho em equipe, mas (aos olhos de hoje) as histórias parecem mais “adultas” que as atuais.

É nesse cenário que Kazushi Hagiwara introduziu Bastard!! para seus leitores. Ambientada em uma fantasia medieval com forte inspiração de RPGs, a trama de Bastard!! começava com um ritual para trazer de volta à vida o feiticeiro Dark Shneider. Ele havia sido responsável pelo caos quinze anos atrás, e agora sua ressurreição parece ser a única alternativa viável para proteger o reino de Metallicana de uma invasão da entidade demoníaca Anthrax. Embora seja roteiro bem clichê para histórias de fantasia, Bastard!! conta com um personagem principal bastante controverso que tempera a obra. Longe de qualquer discurso sobre a paz mundial, Dark Schneider quer sair na porrada com a maior quantidade de demônios possível, dominar o mundo inteiro e descansar sua força superior em um harém abarrotado de mulheres.

Reprodução

Se histórias como Berserk apresentam uma fantasia medieval mais séria e dramática, Bardard!! vai para o lado da galhofa. A capa da primeira edição do mangá já entrega um pouco o que podemos esperar da história, pois mostra Dark Schneider com seus cabelos esvoaçantes e cara blasé enquanto Tia Noto Yoko está de fio dental passando a mão pelo seu corpo. Somando essa montagem com o traço característico dos anos 1980, é uma ilustração que nos deixa em dúvida se é uma capa de CD de heavy metal ou ilustração de bebida de procedência duvidosa.

No meio de tanta cafonagem medieval, Kazushi Hagiwara também coloca a disposição do leitor uma surra de referências a heavy metal. Boa parte das localidades, personagens e poderes de Bastard!! têm nomes de bandas ou artistas conhecidos. O reino de Metallicana vem do grupo Metallica, assim como a força maligna Anthrax é uma homenagem à banda homônima. Existe até um personagem chamado Bon Jovina, cuja origem o leitor pode imaginar qual seja. Mas como hoje em dia há uma preocupação maior com propriedade intelectual, podemos esperar que essas referências sejam “disfarçadas” como aconteceu com Jojo’s Bizarre Adventure. Mas é nesse clima de pastiche, paródia e de politicamente incorreto que Bastard!! incorpora essa energia do heavy metal e transforma em um dos mangás medievais mais influentes da história.

Reprodução

Para popularizar mais a história, o estúdio AIC produziu em 1992 uma animação direto para vídeo adaptando os primeiros seis volumes de Bastard!!, e mesmo aos olhos de hoje a animação é interessante. As cenas de luta em especial ganharam bastante esforço dos animadores, e os monstros e poderes têm muitos detalhes, algo possível apenas em animações direto para vídeo. Além disso, há um foco grande na sensualidade do elenco feminino, algo esperado quando lembramos que o estúdio AIC ficou bem conhecido na mesma época por conta do anime Tenchi Muyo Ryo-ohki, clássica comédia romântica sustentada por fanservice e por dotes femininos balançando.

Por ter sido lançado no começo dos anos 1990, demorou para Bastard!! conquistar fama aqui no Brasil. A série animada fez bastante sucesso entre os fansubs brasileiros mais para o final da década, até por ser uma produção curta. Na época os animes eram compartilhados entre fãs em fitas VHS, então as séries mais curtas eram a preferência dos otakus daquela década. E vamos lembrar que a ambientação medieval estava bastante em alta pelo nosso meio nerd, graças a popularização de RPGs de mesa como Tormenta e a proximidade do lançamento dos filmes de O Senhor dos Anéis de Peter Jackson. A sanguinolência do roteiro de Bastard!! foi o diferencial para as pessoas que buscavam fugir do clichê “desenho animado é coisa para criança”, sendo um dos mais populares “animes de adulto” para os otakus brasileiros.

Vai funcionar em 2022?

Divulgação

O mangá de Bastard!! teve uma publicação irregular na Shonen Jump até os anos 2000, quando passou a ter seus capítulos lançados na Ultra Jump, revista destinada ao público masculino mais velho. Essa mudança de casa trouxe também alterações na forma da história, que ficou ainda mais detalhada e violenta, flertando com temas mais complexos como religião. Com a publicação passando a ser mensal, o autor até aproveitou o "tempo livre" para retrabalhar o seu mangá desde o primeiro volume, modificando sua arte e redesenhando quadros para uma edição chamada "Bastard!! Complete Edition".

Ao contrário do nome da coleção, Bastard!! nunca chegou a ficar “completa”: atualmente a história conta com 27 volumes publicados, e está em hiato há quase dez anos. A trama está sem um ponto final, e os fãs precisam esperar essa periodicidade ainda pior que de Hunter x Hunter.

Foi até uma surpresa quando a Netflix anunciou no começo de 2022 o novo anime de Bastard!!, agora sob a tutela do Liden Films (de Tokyo Revengers). O nome do estúdio não inspirou muita confiança, até porque as cenas de ação do anime de briga de gangue estavam longe de serem exuberantes, mas os trailers divulgados pela Netflix até o momento revelaram um esforço da equipe nas cenas de ação.

A principal pergunta que paira na cabeça dos otakus mais antiguinhos é se o anime atual vai seguir a linha da série original. Fruto de seu tempo, Bastard!! é bem politicamente incorreta para os padrões de hoje em dia, trazendo desnecessárias sexualizações de corpos femininos e uma exaltação a uma masculinidade boba, quase infantil. Por mais que Dark Schneider tenha um corpo de adulto, seu comportamento não é muito diferente de um garoto da quinta-série do fundamental, o que também explica seu sucesso em uma revista destinada a esse público alvo. No fim, Bastard!! é aquela série que crianças e adolescentes acompanham para tentar se sentirem mais adultos, sem perceberem que aquela história é justamente para eles.

O novo anime aposta muito nessa energia de “shonen adultão”, basta conferir o currículo da equipe. O diretor Takaharu Ozaki (grande fã de Bastard!! na infância) assinou um outro grande representante das histórias medievais sanguinolentas, Goblin Slayer. Nas demais funções, outras pessoas competentes em animes para adolescentes: o músico Yasuharu Takanashi também trabalhou em Naruto Shippuden e o diretor de arte Junpei Takatsu veio direto do anime Suppose a Kid From the Last Dungeon Boonies Moved to a Starter Town.

No tempo presente em que escrevo, é difícil saber se teremos modificações no conteúdo de Bastard!!, ou mesmo adequação de seus temas. O aspecto machista e adolescente é um dos pilares da série, mas talvez o anime consiga renovar sua essência exagerando ainda mais esse aspecto, a ponto de torná-lo quase uma paródia de um comportamento muito datado. O que se sabe até o momento é que houve uma mudança no design das roupas, algumas ficando mais comportadas e menos reveladoras em comparação ao primeiro anime. Sabemos que não é impossível adaptar para tempos modernos uma série com conteúdo datado, vide o aclamado Devilman Crybaby. O novo subtítulo ao menos mostra que não estão com vergonha de esconder o que é Bastard!!: o “heavy metal, dark fantasy” já entrega que podemos esperar muito metal pesado e os clichês esperados de uma história com ares medieval.

Fica a torcida para que essa produção faça justiça ao legado de Bastard!!. Embora a franquia seja bastante conhecida e lembrada por muitos, ela nunca teve tanta oportunidade como outras contemporâneas. E quem sabe os fãs têm sorte e o anime também faça Kazushi Hagiwara se empolgar e retomar as aventuras de Dark Schneider?

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.