Montagem reunindo fotos de Jonas, de Dark, e Neo, de Matrix

Créditos da imagem: Divulgação/Netflix;Divulgação/Warner Bros

Netflix

Artigo

Entenda como Matrix faz a ponte entre o primeiro episódio de Dark e seu 3º ano

Série alemã da Netflix usou filme estrelado por Keanu Reeves para explicar mistério plantado no início da série

Gabriel Avila
27.06.2020
19h15
Atualizada em
27.06.2020
20h04
Atualizada em 27.06.2020 às 20h04

Para a alegria dos fãs, a última temporada de Dark finalmente chegou à Netflix. Com a missão de responder às inúmeras perguntas deixadas por anos anteriores, o terceiro fez sua estreia com um episódio cheio de homenagens e referências ao legado da produção alemã, que soa como uma grande recompensa aos fãs mais atentos. Porém, esse tributo vai além de referências e easter eggs, e resolve um grande enigma deixado em seu primeiro episódio. Cheia de metáforas, não é surpresa que Dark tenha recorrido a Matrix, clássico do cinema norte-americano, para amarrar um de seus infinitos nós.

[Cuidado com spoilers de “Déjà-vu”, o 1º episódio da 3ª temporada de Dark]

Em “Segredos”, primeiro capítulo da série alemã, o grupo de amigos formado pelo protagonista Jonas (Louis Hofmann), Bartosz (Paul Lux), Martha (Lisa Vicari) e seus irmãos Magnus (Moritz Jahn) e Mikkel (Daan Lennard Liebrenz) combinam de ir até a caverna localizada na floresta da cidade. Eles vão para lá com o intuito de roubar as drogas que Erik Obendorf (Paul Radom), garoto recentemente desaparecido, escondia. Como os outros se atrasam, os primeiros a chegar são Jonas e Martha, que passam o tempo com uma conversa meio esquisita e tensa, causada pela paixão secreta que um nutre pelo outro - especialmente porque a garota acabou de entrar em um relacionamento com Bartosz.

Durante a conversa, Martha diz casualmente que está tendo um déjà-vu, expressão francesa que significa "já visto” e simboliza a sensação de já ter vivido uma determinada situação. O que parece ser uma mera impressão se mostrou uma pista do que estaria por vir na jornada para impedir que o apocalipse aconteça.

Jonas e Martha no primeiro episódio de Dark
Reprodução/Netflix

No final da 2ª temporada, esse mesmo Jonas foi resgatado por uma Martha vinda de uma Terra alternativa segundos antes do apocalipse devastar a cidade de Widen. No início da terceira, o garoto está vagando por esse outro mundo em busca de respostas. Curiosamente, ele chega em 4 de novembro de 2019, data em que o grupo havia visitado a caverna em seu universo. Sabendo o ponto de encontro de seus amigos, ele chega lá e dá de cara com Martha, que mais uma vez não se atrasou. Nesse momento, eles novamente se encontram e fecham um ciclo, deixando claro que os eventos sobrenaturais já estavam acontecendo antes mesmo de Mikkel desaparecer nas cavernas.

O bug na Matrix

No episódio de estreia da primeira temporada, enquanto era conhecido apenas um universo, Jonas diz a Martha que o déjà-vu pode ser um “bug na Matrix”, expressão que obviamente faz referência ao filme das Irmãs Wachowski em que a realidade como conhecemos é, na verdade, uma simulação. Apesar de tratarem de temas aparentemente antagônicos, as jornadas de Neo (Keanu Reeves) e Jonas carregam uma série de similaridades.

Em primeiro lugar, ambos foram “escolhidos” para salvar seus mundos. Enquanto Neo desperta no mundo real e passa a auxiliar o bando de Morpheus (Laurence Fishburne) a encerrar o domínio das máquinas, Jonas é colocado em uma jornada para impedir que o apocalipse aconteça. As duas histórias são cercadas também por uma filosófica discussão sobre o significado de liberdade. Enquanto as diferentes versões de Jonas lutam para quebrar o maldito ciclo que infinitamente leva ao apocalipse e fatalmente tira o livre-arbítrio dos cidadãos de Widen, Neo busca devolver aos humanos o controle de sua própria vida. Essas semelhanças avançam conforme a 3ª temporada se encaminha para o fim, mas isso é papo para outra hora. Voltemos ao déjà-vu.

Jonas chegou ao outro mundo após ser resgatado por uma Martha que sumiu após lhe salvar. Confuso, ele vai atrás de seu antigo amor para encontrar uma versão da garota que ainda não o conhece - já que, nesse mundo, ele não existe. Em uma tentativa desesperada de convencê-la de que eles se conhecem, ele pergunta se ela não estava tendo um déjà-vu. É nesse momento em que a série retorna ao seu primeiríssimo episódio e explica que a sensação que Martha teve se deve ao fato de que essa cena realmente já havia acontecido, mesmo que em outro mundo. E até mesmo desvenda uma enigmática fala da garota.

Jonas e Martha na terceira e última temporada de Dark
Reprodução/Netflix

Após Jonas brincar que se trata de um “bug da Matrix”, Martha afirma que seu déjà-vu pode ser “uma mensagem do além”. Essa hipótese é confirmada na 3ª temporada, já que o encontro no outro mundo só é possível pois Jonas é trazido de outra Terra com o intuito de salvar os dois mundos. O problema é que a mensagem pode ter chegado tarde demais, já que ele só é levado ao mundo paralelo após o apocalipse destruir seu mundo.

De qualquer forma, essa é uma prova que mesmo momentos aparentemente casuais, como uma conversa entre amigos, se tratava de uma pista para a resolução do grande mistério que toma conta de Dark, cuja temporada final já está disponível na Netflix.

Dark é uma série alemã da Netflix, que começa com o desaparecimento de duas crianças. Isso leva a uma série de eventos do passado, presente e futuro de quatro famílias que vivem na mesma cidade.