Séries e TV

Notícia

Nickelodeon lança campanha para incentivar saúde infantil durante pandemia

Emissora usará informes com seus principais personagens para dar dicas de higiene, exercícios e como evitar o contágio do coronavírus

Nicolaos Garófalo
18.03.2020
23h25
Atualizada em
24.03.2020
10h11
Atualizada em 24.03.2020 às 10h11

A Nickelodeon, uma das maiores produtoras de conteúdo infantil do mundo, anunciou que produzirá com dicas de higiene e exercícios a serem praticados por crianças durante o período de quarentena do coronavírus. Além disso, o canal também divulgará informes sobre distanciamento social, forma considerada a mais segura para evitar o contágio do COVID-19 (via Deadline).

Os vídeos da #KidsTogether, que serão distribuídos ao longo da programação da Nick, contará com os vários personagens símbolo do canal, como Patrulha Canina, Pistas de Blue, Bubble Guppies e outras propriedades. O primeiro informe, que mostra Bob Esponja lavando as mãos com bastante esforço, pode ser conferido acima.

Além disso, a plataforma de streaming com conteúdo de educação infantil da Nick, o Noggin, terá seu conteúdo liberado por dois meses para todos os consumidores.

A Nickelodeon é mais uma empresa a disponibilizar conteúdos como forma de entreter espectadores durante a pandemia do COVID-19. Nas últimas semanas, Globoplay, Disney, Mauricio de Sousa Produções, Warner e Sony anunciaram medidas diferentes para levar séries e filmes direto a seus usuários.

Efeito Coronavírus na cultura pop

O COVID-19 é uma nova mutação da família coronavírus que está se espalhando em ritmo alarmante desde dezembro de 2019. A China foi o primeiro país vítima da epidemia, com infecções e mortes confirmadas em todas as suas províncias. Desde então, a presença do vírus foi confirmada em quatro continentes - incluindo a América do Sul, com casos no Brasil, Argentina e Chile.

Filmes como 007 - Sem Tempo Para MorrerVelozes e Furiosos 9Um Lugar Silencioso 2MulanNovos Mutantes entre outros, tiveram suas estreias adiadas por causa da pandemia. Entre 13 e 15 de março, os Estados Unidos registraram sua pior arrecadação em 20 anos nas bilheterias.