Produção da 16ª temporada de Grey’s Anatomy é interrompida por causa do COVID-19

Créditos da imagem: ABC/Divulgação

Séries e TV

Notícia

Produção da 16ª temporada de Grey’s Anatomy é interrompida por causa do COVID-19

Mesmo que ninguém envolvido com a série tenha apresentado suspeitas de contágio, paralisação ocorreu por “abundância de cuidado”

Nicolaos Garófalo
13.03.2020
00h56
Atualizada em
24.03.2020
11h56
Atualizada em 24.03.2020 às 11h56

A 16ª temporada de Grey’s Anatomy é mais uma produção a ser interrompida por causa do surto do coronavírus. Após finalizar a gravação do 21º de 25 episódios encomendados, a equipe da série da ABC foi dispensada por pelo menos duas semanas por “abundância de cuidado” (via TV Line).

Em uma carta assinada pela showrunner Krista Vernoff, pela diretora e produtora-executiva Debbie Allen e pelo produtor James Williams, a produção da série afirmou que a decisão foi tomada para “garantir a segurança de todo elenco e equipe” e de seus entes queridos. A medida também segue as diretrizes estipuladas pelo governo do prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, que levaram os parques da Disney e da Universal a fecharam por um período semelhante.

Fiquem a salvo, saudáveis, hidratados, fiquem em casa o máximo o possível e lavem suas mãos com frequência. Tomem conta de si mesmos e dos outros. Manteremos todos informados de cada atualização. Obrigado por tudo o que fazem!”, concluiu o trio.

Iniciada em 2005, Grey's Anatomy acompanha a rotina de um grupo de médicos no hospital Grey Sloan Memorial. A personagem principal é Meredith Grey, filha de uma famosa cirurgiã. Criada por Shonda Rhimes, a série é conhecida por matar personagens queridos do público em grandes tragédias. Até agora, a produção já mostrou a morte de médicos em tiroteios, atropelamentos, acidentes de avião, explosões de bombas, etc.

No Brasil, a série é transmitida pelo Sony Channel e a Netflix tem 15 temporadas da produção.

Efeito Coronavírus na cultura pop

O COVID-19 é uma nova mutação da família coronavírus que está se espalhando em ritmo alarmante desde dezembro de 2019. A China foi o primeiro país vítima da epidemia, com infecções e mortes confirmadas em todas as suas províncias. Desde então, a presença do vírus foi confirmada em quatro continentes - incluindo a América do Sul, com casos no Brasil, Argentina e Chile.

Filmes como Pedro Coelho 2, 007 - Sem Tempo Para Morrer Um Lugar Silencioso - Parte II tiveram suas estreias adiadas por causa do surto.