Cena de WandaVision e capa de Jovens Vingadores

Créditos da imagem: Marvel Studios/Marvel Comics/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Quem são os filhos de Wanda e como eles podem voltar depois de WandaVision

Gêmeos Billy e Tommy estão diretamente conectados a Mefisto e à Dinastia M

Nicolaos Garófalo
08.02.2021
17h19
Atualizada em
09.02.2021
21h02
Atualizada em 09.02.2021 às 21h02

Desde que WandaVision teve suas primeiras imagens divulgadas, em 2020, fãs têm ficado na expectativa para a estreia em live-action de dois populares personagens: Billy e Tommy, os filhos de Wanda, mais conhecidos respectivamente como Wiccano e Célere dos Jovens Vingadores. Embora ainda seja cedo para confirmar o surgimento da dupla como heróis, a série do Disney+ já começou a preparar o terreno para que os gêmeos cheguem ao MCU em um futuro próximo. Foi em “Agora em Cores”, terceiro episódio da produção, que Wanda (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany) deram as boas-vindas aos seus filhos, que duas semanas depois dariam pistas sobre seus poderes em “Em Um Episódio Muito Especial...”, mostrando certa resistência à influência dos pais. Mas quem são Billy e Tommy e qual a importância da dupla para o seriado – e para o futuro da franquia?

Nos quadrinhos, os irmãos apareceram pela primeira vez em 1986 e, assim como na série, nasceram após a Feiticeira Escarlate e o Visão se casarem. Depois do nascimento dos dois, os heróis se aposentaram dos Vingadores para viver tranquilamente como uma família.

O afastamento de Wanda e Visão da equipe durou pouco e, após o sintozóide ser sequestrado, o casal retornou para a equipe, mas com um grande problema: o herói teve sua memória apagada e perdeu todos os sentimentos que nutria pela esposa. Para piorar, Billy e Tommy começaram a aparecer e reaparecer misteriosamente, levando os Vingadores, especialmente a Vespa, a suspeitarem da natureza das crianças.

Agatha Harkness, antiga tutora de Wanda, antes dada como morta, revelou então que os gêmeos eram, na verdade, construções mágicas criadas a partir de pedaços da alma de Mephisto, representação do Diabo na Marvel. O vilão eventualmente conseguiu reabsorver os bebês, o que deixou Wanda em profunda agonia. Como forma de proteger sua discípula, Agatha apagou todas as memórias que Wanda tinha das crianças.

Anos depois, após uma conversa com Vespa, Wanda recuperou suas memórias sobre os filhos e saiu em uma jornada de vingança que vitimou Agatha, Scott Lang e Gavião Arqueiro, além de ferir heróis como Homem de Ferro, Mulher-Hulk e Visão. Por causa dessas ações, os Vingadores e os X-Men se uniram a Magneto e juntos decidiram matar a Feiticeira Escarlate. Desesperado para salvar a irmã, Mercúrio a convenceu a criar uma nova realidade – a famosa Dinastia M -, na qual ela estaria a salvo. Nesse novo mundo, Wanda não era uma mutante e tinha seus filhos de volta.

Quando a realidade paralela finalmente foi destruída, Wanda pronunciou a infame frase “chega de mutantes”, dizimando os mutantes da Terra principal. Acidentalmente, ela também fez com que as almas de seus filhos da Dinastia M reencarnassem em dois garotos: Billy Kaplan e Thomas Shepherd. Após se juntarem aos Jovens Vingadores, os garotos descobriram sua verdadeira origem e, desde então, têm se feito presentes em grandes eventos da Marvel, incluindo Guerra Civil, Invasão Secreta e Eixo.

Wiccano e Célere no MCU?

Como já sabemos, Billy e Tommy estão oficialmente no MCU. E, embora a presença das crianças não garanta que seus alter egos serão contemplados no futuro da franquia, a possibilidade de Wiccano e Célere aparecerem nas telas se mostra cada vez mais forte. Além de WandaVision estar seguindo uma trama similar à dos quadrinhos, é difícil imaginar que a equipe criativa liderada por Kevin Feige introduziria personagens de forma tão explícita para deliberadamente esquecê-los em futuras produções. Pelo contrário, o crescimento rápido dos gêmeos – que pode ou não estar ligado a Mefisto – parece até mesmo apontar para que eles se tornem os dois primeiros membros oficiais dos Jovens Vingadores e responsáveis por abrir as portas para a chegada de uma nova geração de heróis.

Não seria nenhum absurdo se WandaVision der o primeiro passo na apresentação da equipe, com as próximas séries do Disney+ completando a escalação. Enquanto Gavião Arqueiro já confirmou Hailee Steinfeld como Kate Bishop, Ms. Marvel será protagonizada por Iman Vellani e ambas as personagens podem aparecer – ou até liderar – a versão cinematográfica dos Jovens Vingadores. Outro personagem confirmado pela franquia com conexão com o grupo é Kang, o Conquistador, que será vivido por Jonathan Majors. O vilão, que estará em Homem-Formiga 3, é uma versão mais velha de Nathaniel Richards, mais conhecido como Rapaz de Ferro, um dos fundadores do time juvenil.

Ainda que não tenha confirmado uma produção focada no grupo no futuro, o Marvel Studios tem dado diversos indícios de que os personagens citados terão presença constante nos próximos anos. Caso esse plano realmente exista, a empresa estaria dando um grande tiro no pé ao deixar de fora justamente dois dos personagens mais populares dos Jovens Vingadores, que, além de representarem o legado de Feiticeira Escarlate e Mercúrio na Casa das Ideias, protagonizaram as principais histórias do time e se tornaram símbolo da juventude LGBTQ+ (Wiccano é gay e casado com Hulkling e Célere é bissexual).

Se os poderosos gêmeos de “Em Um Episódio Muito Especial...” se tornarão mesmo os heróis adorados das páginas ainda é um mistério. Faltando quatro episódios para o fim da série, WandaVision deve repercutir em diversas outras produções do MCU, o que pode atrasar um pouco o desenvolvimento dos irmãos. As pistas deixadas pela série, no entanto, têm tornado todas as especulações de fãs um caminho provável. 

Todas as sextas-feiras, os críticos do Omelete se reúnem na twitch.tv/omeleteve, a partir das 16h30, para discutir o episódio da semana e o futuro da série e do MCU. Venha conversar com a gente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.