Cavaleiro da Lua

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Cavaleiro da Lua explora passado de Marc e Steven em 5º episódio (mais) louco

Equilíbrio entre as personalidades foi o principal tema do novo capítulo

Omelete
8 min de leitura
Nico Garófalo
27.04.2022, às 11H20

[Spoilers de Cavaleiro da Lua - "O Manicômio" à frente]

O quarto episódio de Cavaleiro da Lua, disponibilizado na semana passada, contou com alguns momentos bem insanos, mas “O Manicômio”, quinto capítulo que chegou nesta quarta-feira (27) ao Disney+, conseguiu levar a loucura da série a novos níveis. Se inspirando na icônica fase de Jeff Lemire e Greg Smallwood, o novo episódio explorou mais a fundo o passado de Marc e Steven, ambos obviamente vividos por Oscar Isaac, e explicou por que a vida da dupla tomou os caminhos inesperados vistos nas últimas semanas.

“O Manicômio” começa já brincando com a percepção do público do que é ou não real na história de Spector. Logo depois de ele e Steven encontrarem com a deusa egípcia Tuéris (Antonia Salib), somos transportados de volta ao consultório do “doutor” Harrow (Ethan Hawke), que tenta convencer Marc que o encontro com a deusa hipopótamo foi apenas um delírio. O falso psiquiatra diz ao ex-mercenário que ele está internado em um hospital psiquiátrico em Chicago e que ele criou a história de ser um super-herói como forma de evitar lidar com seus traumas. Quando perguntado pelo “médico” sobre um garotinho de quem eles falavam mais cedo em sua sessão, Marc fica agitado e agarra uma pirâmide de vidro que enfeita a mesa de Harrow. O vilão chama pelos “enfermeiros” Bobbi (Ann Akinjirin) e Billy (David Ganly), que sedam o mercenário.

O sedativo transporta Marc de volta à cena em que ele e Steven encontram Tuéris. A deusa confirma à dupla que eles estão mesmo mortos e que ela os guiará em sua viagem até a vida-após-a-morte. Embora admita que o duat, submundo egípcio, assuma diferentes formas para diferentes almas, esta é a primeira vez que o local se transforma em um manicômio. Steven ouve Tuéris com fascínio, mas Marc passa a acreditar nas manipulações de Harrow, dizendo que eles estão de fato em um hospício e que, caso saia por alguma porta, elas apenas os levarão a outras partes do hospital.

Quando atravessa uma das portas, no entanto, Marc se vê a bordo de um gigantesco barco que atravessa um deserto. Uma vez no convés, Tuéris tira os corações de Marc e Steven para pesá-los contra a Pena da Verdade e avisa: caso os dois não consigam equilibrar a balança até o fim da viagem, eles serão jogados na areia e suas almas perecerão ao lado daqueles que foram julgados como não-merecedores do paraíso. Cético, Marc sugere a Steven que eles matem a deusa e assumam o controle do barco. Tuéris, no entanto, interrompe os dois, dizendo que a balança deles está desequilibrada e que eles precisam explorar o manicômio para arrumar a pesagem.

A dupla retorna ao interior do barco, ainda em forma de manicômio, e, apesar de Marc ainda achar que eles precisam matar Tuéris, começam a explorar os quartos, que guardam memórias da vida dos dois. É aí que eles ouvem a voz de uma criança gritando por socorro. Steven corre em direção da voz, com Spector em seu encalço, e chega a uma cafeteria cheia de defuntos. Marc reconhece os rostos: todos vítimas do Cavaleiro da Lua. Criminosos, predadores e assassinos, mas que ainda fazem o Cruzado da Crescente se sentir culpado. Na saída da cafeteria está o garoto que chamava por socorro, que foge de Marc e Steven.

A contragosto de Marc, o ex-caixa segue o garoto através de uma porta e a tranca para que seu “irmão” não possa impedi-lo de explorar suas memórias. Lá, ele se depara com um almoço de família e reconhece seus pais, Wendy (Fernanda Andrade) e Elias (Rey Lucas), e descobre que o garoto assustado é seu irmão, Randall (Claudio Fabian Contreras). Lá, ele também vê a versão jovem de Marc (Carlos Sanchez), que chama o irmão para explorar uma caverna em que os dois costumam brincar. À caminho do local, eles começam a brincar de Tomb Buster, o filme à la Indiana Jones que Marc assistia em “A Tumba”, surpreendendo Steven com a menção ao personagem Dr. Grant. Durante o percurso, no entanto, começa a chover forte e, indo contra os desejos de Randall - e as ordens da mãe -, o futuro Cavaleiro da Lua guia o irmão caverna adentro, com Steven seguindo os dois de perto. Uma vez lá, ele percebe que a caverna está enchendo de água rapidamente e deduz o que aconteceu: os garotos não deixaram a caverna a tempo e, por isso, Randall acabou se afogando.

De volta ao manicômio, Marc ouve os gritos desesperados de Steven e acaba transportado para a memória do shivá de Randall e é obrigado e reviver o momento que sua mãe o culpa pela morte do irmão. Ignorando os pedidos do mercenário de deixar a lembrança, Steven segue sua versão criança escada acima e descobre que o pequeno Marc viveu sendo humilhado por Wendy. Depois de dois aniversários ouvindo gritos da mãe, o garoto se esconde em seu quarto, mas, sem dar explicações, Marc impede Steven de seguir sua versão mais jovem.

A briga dos dois é interrompida quando eles são jogados para uma outra memória. Aqui, Elias tenta convencer uma versão adolescente de Marc (David Jake Rodriguez) de deixar a casa. O garoto diz que não consegue mais viver com Wendy e que o pai deveria ter encontrado uma forma de ajeitar sua família. Steven tenta retornar à casa dos Spector, mas é impedido por Marc e os dois brigam até caírem em uma outra importante memória: o dia que Bushman matou o pai de Layla (May Calamawy) e seus parceiros e deixou Marc à beira da morte.

A dupla segue os rastros do Marc do passado e chegam a uma tumba, onde encontram o mercenário quase morto e considerando o suicídio. É então que a voz de Khonshu (F. Murray Abraham) oferece ajudar Marc a permanecer vivo se ele se tornar o Cavaleiro da Lua. Pensando em se vingar de Bushman, ele aceita e se transforma pela primeira vez no Punho da Vingança. Steven então percebe como o deus da Lua manipulou o “irmão” a aceitar sua oferta.

De volta ao convés, Tuéris mostra a Marc e Steven que o duat entrou em um estado instável, causado pela chegada de almas mortas antes de seu tempo. Percebendo que esse desequilíbrio foi causado por Harrow, os dois imploram à deusa que ela os deixe voltar ao mundo dos vivos. A hipopótamo diz que não adiantaria nada ressuscitá-los, já que eles voltariam a um corpo baleado. Steven então pede que ela diga a Layla para que ela liberte Khonshu e Marc, hesitante, concorda com o plano, dizendo que voltar ao controle do deus da Lua é a única forma de deter Harrow. Tuéris aceita ajudar os dois e muda a direção do barco, dizendo que eles precisam ir para os portões de Osíris, único caminho de volta ao mundo dos vivos. Enquanto redireciona o navio, a deusa alerta Steven e Marc que eles precisam retornar ao manicômio e descobrir uma forma de equilibrar sua balança. O ex-caixa tenta convencer sua contraparte a voltar à memória de quando eles eram crianças, o que leva o mercenário a se descontrolar e a “acordar” de volta no consultório de Harrow. Ironicamente, é o vilão que leva Marc a confrontar a memória dolorosa de sua infância.

Depois de uma rápida conversa com o falso psiquiatra - que questiona se Marc criou Steven ou vice-versa -, as duas contrapartes se veem no quarto do pequeno Marc, que, com raiva, joga seus brinquedos no chão e começa a chorar. Quando Wendy começa a bater furiosamente na porta de seu quarto, o garoto troca de personalidades e um jovem Steven, com sotaque e preocupação com a arrumação do quarto, surge pela primeira vez. Presenciando este momento, a versão adulta de Steven percebe que Marc, inspirado na frase “quando o perigo se aproxima, Steven Grant não teme”, vista no pôster de Tomb Buster, o criou.

Logo depois do choque, Wendy invade o quarto e, irritada com a indiferença do pequeno Steven, pega um cinto para bater no garoto. Marc, então, tira o Steven adulto da memória. Em choque, o lojista se irrita com sua contraparte, dizendo que ele o criou apenas para ser um “alívio para o estresse”. Marc diz que Steven, pelo menos, teve uma vida boa, com uma mãe compreensiva e que ainda estava viva. Saber que a mãe morreu choca o ex-caixa, que acaba transportado para o consultório de Harrow.

O vilão então conta a Steven que foi ele que internou Marc, dizendo que o luto causado pela morte da mãe o fez surtar. Harrow então tenta convencer o ex-lojista que Wendy realmente morreu. Quando percebe a verdade, ele é transportado para uma das memórias que Marc se recusava a visitar: o shivá de sua mãe.

Na lembrança, Marc observa o velório do lado de fora da casa em que cresceu e recusa o convite do pai para entrar. Se afastando, o mercenário cai no choro e, sem querer, permite que Steven tome o controle. A versão presente dos dois então compreendem que foi naquele momento que suas vidas começaram a se cruzar descontroladamente. Mal eles percebem a verdade, o barco de Tuéris para.

Infelizmente, a balança dos dois nunca encontrou o equilíbrio e, embora estejam aos pés do portão de Osíris, eles não poderão passar. É aí que as almas do duat passam a invadir o barco, tentando levar Marc para o deserto. Desesperado, Steven percebe que ele e Marc sempre foram a mesma pessoa e que, “se ele consegue, eu consigo”. De forma impressionante, o ex-lojista enfrenta as almas condenadas, mas acaba jogado no deserto quando tentava salvar o “irmão”. Sem conseguir voltar ao navio, ele acaba congelado como todas as outras almas desequilibradas, mas seu sacrifício e a percepção de que ele e Marc são realmente um só equilibra a balança e o ex-mercenário é automaticamente levado ao paraíso antes dos créditos rolarem.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.