Foto de Supergirl

Créditos da imagem: Supergirl/CW/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Supergirl foca na emoção em episódio com embate entre Kara e Lena

Série tira a máscara da personagem de Katie McGrath e cria uma linha tênue para sua transformação em vilã

Camila Sousa
18.11.2019
18h28

Há algum tempo Supergirl flerta com a ideia de transformar Lena Luthor, irmã de Lex, em uma grande vilã. Interpretada por Katie McGrath, a personagem está na vida da Garota de Aço há muitos anos e, apesar de sempre tentar lutar contra quem seu irmão foi, o seriado da CW dá a entender que ela seguirá um caminho paralelo. “Tremors”, sétimo episódio da quinta temporada, tem um grande embate entre Lena e Kara e abre caminho para a ascensão da vilã, ainda que por motivos diferentes de Lex.

[Spoilers de “Tremors” abaixo]

O capítulo começa com a Supergirl preocupada com o vilão Leviatã, que é citado há alguns episódios, mas ainda não mostrou todo o perigo que representa. O episódio faz um paralelo entre a trama do vilão e de Lena, com Kara se dividindo entre os dois núcleos. Tal conjuntura prejudica a construção de Leviatã. Embora as séries da CW sejam conhecidas pelo formato de “vilão da semana”, a ameaça parece extremamente pequena diante dos planos da Luthor.

A personagem de McGrath se prepara há vários episódios para executar seu grande plano de mexer com a mente dos seres humanos. É essa expectativa que tornou o embate com Kara tão importante: a catarse acontece após muito tempo de preparação. As duas discutem na Fortaleza da Solidão, após a Garota de Aço ser facilmente manipulada pela amiga para levá-la até lá. Aliás, é curioso ver como a Supergirl cai em todas as iscas jogadas por Lena, acreditando cegamente na amiga. Claro, dentro do contexto da amizade é normal que exista confiança, mas a heroína se torna um livro totalmente aberto e em nenhum momento pensa em ir com calma no relacionamento. Ainda que essa característica seja comum aos kryptonianos criados na Terra, até mesmo o Superman já aprendeu que não pode confiar em todos e a Supergirl precisa seguir o mesmo caminho.

O embate também merece destaque pela reação da heroína. Confiante e altiva durante a batalha, Kara fica acuada quando Lena confessa que a está usando e não quer mais sua amizade. Supergirl é derrotada física e emocionalmente por Lena, por saber que errou em não contar a verdade quando as duas realmente eram amigas. McGrath entrega bons momentos na cena, gritando de ódio quando necessário e mostrando frieza em outros pontos. Já Melissa Benoist ganha menos espaço, mas é interessante ver a posição envergonhada da heroína. 

Depois disso, Supergirl indica como Lena deverá, finalmente, se tornar uma grande vilã. Ao deixar a Garota de Aço presa em sua própria fortaleza, Lena diz que “não sou uma vilã.  Você não deveria ter me tratado como tal”. É aí que a personagem se diferencia de Lex, pois suas motivações são diferentes. Lena não tem ciúmes ou inveja dos poderes da Supergirl. Ela não odeia kryptonianos. O que há no coração da jovem é um grande ressentimento por ter aberto seu coração e ter sido enganada. Ela não quer matar a Supergirl, mas se vingar da dor que sentiu e entregar frieza onde antes havia carinho.

O caminho para Lena se tornar uma vilã - porque sim, ela vai - será diferente e menos “preto e branco” do que aconteceu com Lex. A sutileza de fazer o mal tentando fazer o bem é o que torna a personagem mais interessante do que seu irmão. Lena tem camadas, defeitos e qualidades. Antes de começar seu caminho contra a Supergirl, ela foi uma aliada e tal mudança será sentida também pelos fãs, acostumados com a presença calorosa da personagem ao lado da heroína. 

Resta saber agora como a Garota de Aço lidará com isso. Usando o episódio deste domingo como exemplo, fica claro que a ela precisará fazer o maior sacrifício de todos: colocar seus sentimentos de lado e fazer o que é certo para a humanidade. Será que a heroína é capaz disso, sem ficar com seu coração partido no processo?