Imagem de Supergirl

Créditos da imagem: Supergirl/CW/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Supergirl perde força ao apresentar trama desinteressante em momento crucial

Série tropeça novamente em sua quinta temporada e aumenta sinais de desgaste

Camila Sousa
31.01.2020
23h24

É praticamente um consenso dizer que a nova temporada de Supergirl está cheia de altos e baixos. Após uma boa quarta temporada, o desenvolvimento da ameaça tecnológica no novo ano não vingou e, depois da Crise nas Infinitas Terras, a série parece, novamente, ter perdido seu rumo. Enquanto o primeiro capítulo após o crossover foi positivo, apostando especialmente no vilão Lex Luthor (Jon Cryer), “Back from the Future - Part One” mostrou uma trama confusa, com retornos que não foram tão positivos e o começo de relações mal trabalhadas.

[Spoilers de “Back from the Future - Part One”]

O capítulo começa com a esperada volta de Winn Schott (Jeremy Jordan), um dos personagens mais queridos das primeiras temporadas. Isso tinha tudo para dar um fôlego a mais para o seriado, resgatando momentos que deram certo no passado. Mas o retorno não foi tão bem planejado assim. O verdadeiro Winn aparece pela primeira vez em uma cena corrida de ação, que não valoriza a presença de Jordan no seriado. O encontro do personagem com os amigos queridos também soa rápido, inclusive com Kara (Melissa Benoist) e Alex (Chyler Leigh). Ainda que haja sentimento ali, ele parece mais forçado do que verdadeiro.

A volta de Winn também é ligada à sua versão que assumiu a alcunha do vilão Homem-Brinquedo, outra trama trabalhada de forma corrida, que não soa realmente como uma ameaça. Claro que séries procedurais da CW dificilmente apresentam vilões da semana que são grandes oponentes. Geralmente há uma ameaça maior e outras menores, que preenchem o espaço do episódio semanal. No entanto, essa sensação de pouca importância ficou latente neste episódio, que ainda deixa o gancho para a volta do Homem-Brinquedo no próximo, algo que tem tudo para ser mais um erro.

Tal desorganização com o retorno de Winn também prejudicou outros personagens, como Lex e especialmente Lena (Katie McGrath), que perdeu espaço em um momento crucial. Após a Crise nas Infinitas Terras, parecia que a família Luthor seria o foco da produção, com mais desenvolvimento e tempo de tela. Ainda não está claro se Cryer faz parte do elenco regular do seriado, ou se tem apenas participações especiais, mas Supergirl perde muito ao não dar uma boa continuidade ao personagem. Os conflitos com Lena, que também foram promessas de grandes embates na temporada, ficaram em segundo plano, substituídos por um personagem fraco como o Homem-Brinquedo.

O episódio ainda gerou uma polêmica entre os fãs ao criar um clima de romance entre Kara e o jornalista William Dey (Staz Nair). Há vários problemas que podem ser apontados nesta dinâmica. Ainda que a jovem tenha todo o direito de se apaixonar novamente, é muito mais interessante ter a Supergirl sem um interesse amoroso por tanto tempo. Isso abriu portas para que a quarta temporada abordasse temas mais profundos e tivesse tempo de tela para desenvolvê-los. Outra questão é a própria relação entre os dois, que não parecia caminhar para um romance até então. Kara e William não se deram bem de primeira - algo que poderia gerar alguma tensão amorosa entre os dois - mas tal conceito não foi apresentado desde o começo e a relação dos dois caminhou para algo respeitoso, mas que nem chegava a ser uma amizade propriamente dita.

Passar disso para Kara tendo olhares confusos com William foi uma decisão arriscada. Parece que os roteiristas sabem que a temporada está abaixo do esperado e estão usando todos os “artifícios” necessários para reconquistar o público. O que eles esquecem é que os fãs não são bobos e sabem quando algo é feito às pressas. Não há química nenhuma entre os dois, o que potencializa o já citado sentimento de artificialidade.

Com todos esses problemas, Supergirl chega a um momento crucial. A personagem é hoje uma das mais importantes do Arrowverso e deve ter vilões e desenvolvimento de personagens à altura disso. O que Kara Danvers precisa não é de romances apressados ou vilões da semana que não representam nenhum perigo. Ela precisa de uma base sólida de oponentes, que realmente representem um grande perigo para a Garota de Aço, e de relações ao seu redor que sejam bem construídas, como uma vez foram. Se o caminho continuar assim, a Supergirl pode ter sérios problemas em sua renovação para a próxima temporada.