Imagem de Supergirl

Créditos da imagem: Supergirl/CW/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Supergirl ganha ritmo com novos conflitos após a Crise nas Infinitas Terras

Série coloca trama tecnológica de lado e aposta na presença de Lex

Camila Sousa
22.01.2020
11h39

Sem dúvidas, a série da Supergirl foi uma das mais afetadas pela Crise nas Infinitas Terras, o crossover da CW que reuniu todas as séries da DC. Felizmente “The Bottle Episode”, primeiro capítulo da série após os eventos, mostra que a mudança foi positiva e promete resgatar as boas tramas que já fizeram parte do seriado.

[Spoilers de “The Bottle Episode” abaixo]

Quando o quinto ano de Supergirl começou, a grande aposta da CW era colocar a Garota de Aço contra ameaças tecnológicas. No entanto, após tratar de temas como a intolerância contra alienígenas em capítulos realmente grandiosos no quarto ano, esse tema pareceu se provou fraco demais. Com isso, a primeira parte da 5ª temporada de Supergirl é uma das mais irregulares da série até agora, inclusive levantando suspeitas de um possível cancelamento futuro.

Então chegou a Crise nas Infinitas Terras, que uniu os universos das séries principais da CW na Terra Prime. Ou seja, agora The Flash, Supergirl, Legends Of Tomorrow, Batwoman, etc. estão em cidades diferentes que pertencem ao mesmo mundo. Nesta nova realidade, Lex Luthor (o incrível Jon Cryer) não é um vilão e sim o homem mais bondoso do mundo, filantropo e dono do DEO, o departamento de operações extranormais. Isso mudou tudo no universo da Supergirl e também melhorou muito a volta do quinto ano.

Ao invés de se preocupar com problemas tecnológicos, que ainda existem, mas estão em segundo plano, Kara precisa lidar agora com o fato de Lex tem grande influência no mundo e ela teme o que isso pode causar. Seria interessante se a série tivesse deixado apenas a Garota de Aço sabendo a verdade. Dessa forma, ele teria que ir contra a opinião de todos, até mesmo de Alex. Para o bem ou para o mal, a CW escolheu um caminho mais seguro. Apesar de não conseguir devolver a memória de toda a humanidade (há um diálogo extremamente explicativo para isso), J'onn faz algumas pessoas se lembrarem de como era o mundo antes.

Assim, a Supergirl não está sozinha, mas isso não alivia o peso de ficar constantemente preocupada com o que Lex fará. Tal conflito tem tudo para trazer mais uma camada de amadurecimento para a personagem. Cinco anos depois, a heroína já aprendeu diversas lições e se tornou alguém melhor, mas sempre há algo novo a aprender. A preocupação com Lex, aliada ao medo de Lena se machucar ao trabalhar com o irmão, fazem com que a Supergirl precise agir menos com as emoções e mais com a razão. A personagem que segue o coração para tudo precisa aprender agora que usar seus dois lados juntos pode ser o melhor caminho.

O episódio ainda encontra tempo para explorar bem a história de Brainiac-5. Tido como uma alívio cômico em vários episódios, aqui o agente Dox ganha um passado e um contexto maior para sua personalidade. No fundo, ele tem medo de ser quem é, já que acredita que isso pode machucar as pessoas ao seu redor. Há algumas frases um pouco clichês para tratar do caso, mas a mensagem final é bonita: quem te ama de verdade aceita quem você é, sem mudanças de personalidade. Além disso, ao assumir sua verdadeira forma, Brainy se torna mais sábio e interessante. Muito mais do que um alívio cômico, ele agora assume um papel de protagonismo sobre o que irá acontecer no futuro da série, especialmente na relação com Lex Luthor e sua busca por Leviatã.

“The Bottle Episode” termina deixando o gancho para o retorno de Winn Schott (Jeremy Jordan), um dos personagens mais amados pelos fãs da série. Felizmente, parece que sua volta não será à toa. Lex quer informações do futuro para lidar com Leviatã e o momento pós-Crise é perfeito para justificar a chegada de Winn e dar à ele uma real utilidade, ao invés de ser apenas um fan-service.

O desenvolvimento desta trama também mostra que o Lex Luthor de Cryer será mais presente na série, sendo, finalmente, um oponente à altura da Garota de Aço na temporada. Se continuar por este caminho, Supergirl tem tudo para corrigir o fraco começo de seu quinto ano e entregar aos fãs grandes conflitos, tanto físicos, quanto estratégicos.