Horimiya

Créditos da imagem: Horimiya/Aniplex/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Horimiya | O anime que poderia ser uma temporada de Malhação

Hori e Miyamura formam um casal adolescente (infelizmente) inabalável

Fábio Garcia
03.03.2021
09h00
Atualizada em
03.03.2021
10h41
Atualizada em 03.03.2021 às 10h41

Embora não seja tão comentado quanto um Attack on Titan ou outro anime da temporada, Horimiya (ou Hori-san to Miyamura-Kun se preferir títulos completos) tem uma base fiel de fãs aguardando ansiosamente o lançamento semanal de cada episódio, tudo para saber os próximos passos do namoro dos adolescentes Kyoko Hori e Izumi Miyamura.

Cada país e cultura tem formas específicas de desenvolver histórias amorosas para jovens, e Horimiya está aí para provar que essa comédia romântica japonesa sobre um casal e seus segredos não deve em nada a uma série americana da Netflix ou mesmo à novela Malhação, da Globo.

Segredos de casal

Horimiya
Horimiya/Aniplex/Divulgação

Um erro muito comum de quem começou a acompanhar anime há pouco tempo é acreditar que as produções shonen se resumem a séries de lutinha e com poderes voando pela tela, como Demon Slayer - Kimetsu no Yaiba ou Jujutsu Kaisen. Na verdade, as histórias "shonen" são classificadas de acordo com a revista na qual foram publicadas, ou seja, tanto faz o gênero (ação, mistério, romance, comédia...), se saiu em uma revista shonen, então é um shonen. Este é o caso de Horimiya, um dos destaques da atual temporada de animes no Japão iniciada em janeiro de 2021.

Na história desse anime conhecemos a adolescente Kyoko Hori, uma garota bastante popular em sua escola, mas ela nunca passa tempo com seus amigos após o final das aulas. Hori sempre precisa ir embora rapidamente, sem muita explicação, e basta chegar em casa para revelar um outro lado: Hori se veste de forma mais "desleixada" e se revela uma verdadeira dona de casa, pois cabe a ela cuidar do irmão mais novo, Souta. Por não querer que ninguém descubra esse seu lado, Hori trata sua rotina caseira como um segredo.

Enquanto isso, Hori e seus amigos da escola percebem que existe um aluno bem introvertido na sala de aula. Izumi Miyamura é magro, usa sempre roupas muito grandes e tem um cabelo comprido que tampa parte do rosto. O grupo de Hori suspeita que ele é um otaku bem introspectivo, mas na verdade ele também esconde um segredo: o cabelo longo encobre seus piercings, e as roupas servem para tampar suas tatuagens. Por saber que o Japão é extremamente rígido com a aparência dos alunos, Miyamura guarda esse segredo sobre seu visual.

Horimiya/Aniplex/Reprodução

Por um acaso do destino, e por um empurrãozinho do autor do mangá, Hori e Miyamura acabam se encontrando na rua e um descobre o segredo do outro. Eles então começam uma relação de cumplicidade e confidência, que evolui para uma amizade e, claro, se transforma em amor.

Uma narrativa de duas pessoas escondendo seus segredos não é o tipo de trama mais inventiva da história dos animes e mangás, basta lembrar que essa é praticamente a sinopse de Kare Kano (um clássico publicado no Japão entre 1996 e 2005). Porém, Horimiya tem alguns atrativos que a diferencia de outras séries semelhantes, e o principal destaque é o carisma dos personagens. Tanto Hori como Miyamura são muito atraentes para o espectador, que rapidamente se interessa por acompanhar a rotina do casal por mais desinteressante que possa parecer na teoria. Se prepare para ver Hori e Miyamura fazendo comida, passeando com amigos ou mesmo falando sobre trivialidades enquanto caminham pela rua, sem parecer chato para o público. É até aconchegante e dá um quentinho no coração.

O mangá de Horimiya foi criado por Hiroki Adachi (que assinou com o pseudônimo HERO) e foi publicado por conta própria, usando aquele formato de histórias de humor em quatro quadros (yon-koma). O sucesso abriu os olhos da divisão editorial da Square Enix (sim, a empresa de jogos também trabalha com mangás no Japão), e o mangá passou a ser publicado na Gangan Comics, encerrando com 10 volumes encadernados.

Horimiya/Aniplex/Reprodução

Ainda vislumbrando o potencial da obra, a Square Enix entregou nas mãos do autor Daisuke Hagiwara a tarefa de adaptar Horimiya para um mangá no estilo mais "tradicional", sem a limitação de histórias rápidas em poucos quadrinhos, e essa nova versão foi serializada na revista Montly G Fantasy. Esse mangá terminou com 15 volumes.

A história de amor de Hori e Miyamura encantou de vez os japoneses, e várias outras adaptações chegaram a diferentes mídias. Um outro mangá chamado Hori-san to Miyamura-Kun Omake continua em publicação na Gangan Comics, a série animada segue bastante comentada no meio otaku e há até empreitadas em live action: um filme e uma série de Horimiya foram lançados em fevereiro no Japão.

Um anime como uma novela

Horimiya oferece tudo o que podemos encontrar em qualquer boa produção seriada para adolescentes que tenha relacionamentos amororos como tema: inseguranças, receios, descoberta do amor, sentimentos não correspondidos etc. são elementos que fazem parte desse balaio e geram uma identificação imediata com o público alvo. Se olharmos para essas características, não há nada em Horimiya que diferencie o anime de uma série teen da Netflix ou de uma temporada da novela Malhação, exibida pela Rede Globo.

Divulgação

Assim como em uma novela, Horimiya dá um destaque maior para o relacionamento amoroso dos protagonistas Hori e Miyamura, mas há espaço para apresentar histórias de outros personagens que circulam os principais. Os amigos da escola do casal acabam tendo suas histórias entrelaçadas com as dos protagonistas, criando vários polígonos amorosos de interesses não correspondidos.

Toru Ishikawa, por exemplo, é secretamente apaixonado por Hori, mas percebe que a garota tem sentimentos pelo seu amigo Miyamura, com quem tem mais proximidade. Já Yuki Yoshikawa é a melhor amiga de Hori e se encanta à primeira vista por Miyamura quando ele aparece sem seu visual escolar, outro clichê divertido de se acompanhar. Há ainda personagens do diretório acadêmico, com seus respectivos problemas amorosos, e alguns poucos adultos que fazem apenas "figuração de luxo" em uma história dominada por adolescentes.

Mas se na teoria todas essas confusões amorosas e descobertas da juventude se assemelham a uma temporada de Malhação, na prática Horimiya tem um ritmo um pouco diferente, e isso pode incomodar algumas pessoas. Enquanto em uma novela há novos acontecimentos a cada minuto, este anime peca na hora de oferecer algum obstáculo para os personagens superarem. Tudo é... "perfeito demais".

Uma história em que nada acontece

Existe um termo para definir animes e mangás nos quais a história tem pouco ou nenhum tipo de conflito, o "Iyashikei". Esse tipo de história começou a surgir em meados dos anos 1990, e o objetivo era trazer uma trama morosa feita para "curar a alma" de quem acompanha a narrativa. O estudioso Paul Roquet explicou que os Iyashikeis explodiram no final do século passado, pois os japoneses buscavam acalmar o estresse do público com histórias calmas e pacíficas.

Embora muitas pessoas pensem no Slice of Life, as famosas "histórias sobre cotidiano", como tramas em que nada acontece, na verdade sempre podemos encontrar um conflito (por menor que seja) capaz de fazer a narrativa ir para frente. Nos Iyashikeis, há uma quase negação do conflito e uma busca desesperada por um tédio reconfortante para o espectador.

Divulgação

Entre as histórias que podem ser classificadas como Iyashikei temos K-On! (que basicamente são garotas fofas formando uma banda) e Laid-Back Camp (garotas fofas acampando), mas não há consenso entre as pessoas na internet e nas redes sociais, e alguns exemplos citados na internet como Iyashikei não se encaixam nas características.

O anime de Horimiya tem elementos de um Iyashikei, até porque faz questão de abolir qualquer tipo de conflito para que os personagens não passem por nenhuma situação incômoda. Logo no primeiro episódio, Miyamura explica que deixa o cabelo comprido para impedir que vejam seus piercings, algo que traria problemas em um sistema de ensino rígido como o Japão. Poucos episódios depois, Miyamura aparece com as madeixas cortadas e um total de zero consequências acontecem para o personagem.

Todos os possíveis conflitos apresentados no começo da história, como o "segredo" de Hori precisar tomar conta do irmão, ou então a aparência rebelde de Miyamura, são rapidamente ignorados para que possamos ver episódios e mais episódios com cenas fofas dos dois fazendo coisas de casal.

De tempos em tempos, a trama apresenta algo que pode render alguma coisa, como o representante da escola que foi muito humilhado por Hori no passado, mas isso logo é esquecido pelo anime. Qualquer personagem secundário com personalidade parece fadado à função de servir de cenário para o relacionamento perfeito de Hori e Miyamura. É como se a história não quisesse desagradar o público que torce pelo romance, o que nos leva de volta a... Malhação.

Relacionamento perfeito

Atualmente sendo reprisada pela Globo, Malhação Sonhos (2014) teve um desenvolvimento bem inusitado. A história original envolvia um lutador e uma artista cujo relacionamento era quase um Romeu e Julieta com afinidades no lugar de famílias rivais. No entanto, o público ignorou o relacionamento dos protagonistas e se encantou com o relacionamento de Pedro (Rafael Vitti) e Karina (Isabella Santoni).

Malhação/Globo/Divulgação

Percebendo o interesse dos espectadores, os autores Rosane Svartman e Paulo Halm promoveram os secundários a protagonistas e, durante um ano inteiro, os personagens viveram um relacionamento em que o público não aceitava uma separação. Uma história de amor clássica envolve brigas e eventuais rompimentos, mas o público reagia mal a qualquer coisa que ameaçasse o casal "Perina" (como era conhecido nas redes sociais). Como resultado, os autores mantiveram o casal em plena harmonia durante muito tempo.

Pedro e Karina têm muitas semelhanças com Miyamura e Hori: todos têm personalidades distintas, vão descobrindo novas facetas de suas personalidades um com o outro e estão em uma história na qual se evita ao máximo colocar qualquer coisa que ameace esse namoro, meio que para não "decepcionar" os espectadores. Embora os fãs fervorosos tenham curtido apenas acompanhar um casal fofo fazendo situações cotidianas agradáveis, quem esperava uma história com mais conflitos ficou a ver navios.

No fim, Horimiya acaba sofrendo do mesmo mal. Se você gosta dessas histórias em que "nada acontece", e quer acompanhar um anime bem desenhado e com cenas de humor divertidas, pode ir com tudo. Os personagens são bem carismáticos e trazem aquela sensação de alegria para quem assiste. Mas se você prefere acompanhar um casal enfrentando alguns problemas mais "reais", talvez seja melhor procurar outro anime de romance.

Como ver?

Caso tenha ficado com curiosidade, o anime Horimiya está sendo disponibilizado oficialmente no Brasil pela Funimation. Os episódios são lançados semanalmente com áudio em japonês e legendas em português.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.