Mikasa em Attack on Titan

Créditos da imagem: Attack on Titan/Reprodução

Séries e TV

Lista

10 finais odiados pelos fãs de animes e mangás

Pontas soltas, lutas sem sentido e um vilão transformado em uma princesa: os desfechos mais rejeitados pelos otakus

Fábio Garcia
09.06.2021
12h00

Embora se acredite que o importante é a jornada e os amigos que fazemos pelo caminho, os fãs de anime e mangá querem mesmo é saber qual será o final de suas histórias favoritas. Nos últimos tempos entre os entusiastas tem se tornado comum debater sobre possíveis desfechos de história, e muitas vezes essa ansiedade toda se transforma em decepção quando o final é lançado oficialmente.

Será que os finais são ruins ou os desfechos são sempre incapazes de satisfazer as expectativas dos fãs? Nessa matéria de hoje vamos relembrar 10 finais de animes e mangás que revoltaram os fãs de alguma forma, com alguns pequenos spoilers. Vamos à lista!

Attack on Titan (mangá)

Attack on Titan
Attack on Titan/Kodansha/Reprodução

Attack on Titan é o caso mais recente entre os términos odiados, além de ser um exemplo de desfecho capaz de unir todas as tribos: a conclusão da saga de Eren Yeager foi tão equivocada que desagradou gregos e eldianos.

Quem tinha um pé atrás por conta do tom imperialista da trama ficou bastante irritado com a forma explícita na qual a trama exalta Eren por ter promovido um genocídio, já os fãs de longa data (e que relevavam essas interpretações negativas da história) se decepcionaram com um final cheio de pontas soltas e soluções tiradas do éter.

Para reverter as críticas negativas, o autor Hajime Isayama teve a infeliz ideia de inserir páginas extras e complementar o final na publicação do volume encadernado, buscando atingir a aprovação dos otakus. O resultado ficou ainda pior e os fãs estão até agora revoltados com o desfecho amoroso da Mikasa e das aparições do "Eren pombo". Atualmente, fãs de todo o mundo se uniram para criar um final alternativo chamado Attack on Titan no Requiem, uma fanfic com um desfecho menos equivocado.

The Promised Neverland (anime e mangá)

The Promised Neverland
The Promised Neverland/Shueisha/Reprodução

Após conquistar os fãs com um mangá repleto de suspense e aventura, a dupla de autores Kaiu Shirai e Posuka Demizu não foi tão bem aceita com o final de The Promised Neverland. Por mais que o final tenha sido condizente com a história e com a demografia da Shonen Jump, é comum encontrar críticas sobre como o desfecho das aventuras de Emma, Ray e Norman tomou um caminho mais "final feliz".

Com pouquíssimas baixas no grupo dos protagonistas, o final de The Promised Neverland marca a vitória de Emma sobre os demônios e a libertação das crianças sem muitas dificuldades. Até mesmo a questão da nova promessa, alardeada como algo muito dramático, foi resolvida sem muitos tropeços.

Já o anime de The Promised Neverland conseguiu ter um final ainda mais odiado quando, em sua segunda temporada, condensou cerca de 15 volumes de 200 páginas em apenas 10 episódios. Com isso tivemos um final corrido, ainda mais leve e adaptando arcos inteiros através de cenas estáticas no encerramento.

Demon Slayer (mangá)

Demon Slayer
Demon Slayer/Shueisha/Reprodução

Do dia para a noite o nome de Tanjiro Kamado entrou na galeria dos grandes protagonistas de shonen de lutinha, isso porque o mangá Demon Slayer - Kimetsu no Yaiba foi alçado ao posto de maior sucesso editorial das últimas décadas. Não consegue entender o sucesso da série? Nós também não, mas é bom lembrar que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades.

Koyoharu Gotouge teve uma grande surpresa com o sucesso do anime, e deve ter sentido uma pressão muito grande na hora de desenhar o final de Demon Slayer. O resultado acabou desagradando muita gente que esperava algo mais... dramático, mesmo sabendo que a Shonen Jump é conhecida pelos finais mais positivos de seus mangás.

Talvez depois de tantos episódios com cabeças rolando, sangue jorrando e a Nezuko convenientemente saindo da caixa para resolver o problema da vez, os fãs não tenham ficado felizes com um final mais alegre. Demon Slayer concluiu em um capítulo meio parecido com o desfecho da novela Alma Gêmea, mostrando os protagonistas reencarnando no futuro após as lutas na Era Taisho.

Shaman King (mangá)

Shaman King
Shaman King/Reprodução

Estamos aqui falando de vários animes e mangás que decepcionaram os fãs com desfechos ruins, mas Shaman King é quase uma nova categoria: o mangá simplesmente não teve um final! A série foi publicada na Shonen Jump e o interesse do público foi caindo com o tempo, então os editores pediram para o autor Hiroyuki Takei encerrar tudo em cerca de 8 capítulos. Acontece que o autor fez algo diferente e prosseguiu com o mangá como se não tivesse recebido aviso algum do editorial da revista, resultando em uma história interrompida.

No capítulo final, o protagonista Yoh conversa com seus amigos antes da luta decisiva contra seu irmão Hao, e é só isso. O mangá de Shaman King se encerra com Manta contando um sonho sobre como eles vão resgatar Hao, representado como uma princesa presa em uma torre de Contos de Fadas. Takei ainda teve a chance de terminar a história nos volumes encadernados, mas preferiu colocar uns epílogos que não concluem a trama.

O verdadeiro final foi aparecer anos depois em Shaman King - Kang Zeng Bang, a "versão definitiva" do mangá publicada pela Shueisha. Felizmente os fãs brasileiros terão a chance de ler esse final, pois a editora JBC confirmou o lançamento dessa versão do mangá de Shaman King por aqui.

Neon Genesis Evangelion (anime)

Neon Genesis Evangelion
Neon Genesis Evangelion/Gainax/Reprodução

É impossível falar de finais odiados e não lembrar do que rolou nos anos 1990 com Neon Genesis Evangelion. Considerado um dos animes mais importantes de sua década, ou mesmo de toda a história da animação japonesa, o estúdio de Evangelion passou por alguns probleminhas na metade final da trama.

Para driblar restrições orçamentárias, o diretor Hideaki Anno teve a ideia de fazer com que os dois últimos episódios fossem ambientados dentro da cabeça do protagonista Shinji, em uma narrativa mais subjetiva. Após muitas críticas (e até cartas revoltadas de fãs enviadas ao estúdio Gainax), o diretor retrabalhou a história mais "introspectiva" e lançou o desfecho "real" em longa-metragem, o The End of Evangelion.

Ao menos o controverso final da série televisiva serviu memes aos otakus brasileiros, mais especificamente a dublagem realizada em Portugal. Por causa do sotaque diferente do português falado no Brasil, a cena em que todos os personagens desejam "Parabéns" ao Shinji ganhou um novo tom e a expressão "parabains" é repetida até hoje pelos fãs.

Mirai Nikki - Diário do Futuro (anime e mangá)

Mirai Nikki
Mirai Nikki/Reprodução

Mirai Nikki, ou Diário do Futuro caso tenha comprado a versão em mangá lançada no Brasil pela JBC, é a história de 12 personagens participando de uma competição para decidir quem será o novo Deus, todos com um diário capaz de revelar alguns detalhes sobre o futuro.

Os fãs que acompanharam o protagonista Yukiteru participando do jogo mortal ao lado de Yuno, garota com quem mantém um relacionamento meio tóxico, se decepcionaram pois o final é repleto de situações que não fazem muito sentido e envolvem diversas linhas temporais. Ainda hoje, anos após a conclusão, é possível encontrar pessoas em fóruns buscando entender o que aconteceu no desfecho.

A boa notícia é que existe um mangá que parece explicar o fim da história, o Mirai Nikki Redial, mas a má notícia é que ele nunca foi publicado no Brasil. Estamos sem entender o final até agora, então.

Yu Yu Hakusho (anime e mangá)

Yu Yu Hakusho
Yu Yu Hakusho/Studio Pierrot/Reprodução

Uma das poucas unanimidades entre os shonens de lutinha é Yu Yu Hakusho, mangá de Yoshihiro Togashi que rivalizou com Dragon Ball durante sua publicação original na Shonen Jump. Mas o sucesso não evitou que o título tivesse uma conclusão... estranha.

Por pressão editorial e questões de saúde, Togashi não conseguiu desenvolver como gostaria o arco do Torneio do Makai e a história foi subitamente encerrada com alguns eventos sendo narrados pelos personagens. O último (e anticlimático) capítulo mostrava Yusuke atuando em uma missão a mando do Mundo Espiritual, e fecha com uma declaração de amor para a Keiko.

No anime a coisa foi ainda pior: além do torneio no Makai durar menos de 6 episódios, o anime suprimiu esse final do mangá com a missão. Somente décadas depois o trecho foi animado pelo Studio Pierrot em uma data comemorativa da franquia.

Bleach (anime e mangá)

Bleach
Bleach/Shueisha/Reprodução

Bleach é o famoso caso do shonen de lutinha que rapidamente conquistou o público e acabou se perdendo na megalomania do autor, o audacioso Tite Kubo. Depois de declarar em entrevistas que poderia prosseguir com a história de Bleach por mais de 10 anos, ele precisou colocar a ambição de lado quando percebeu que o mangá estava afetando sua saúde.

O arco final de Bleach é tão confuso quanto qualquer outro desenvolvimento do autor, ou seja, espere poderes saindo do nada, histórias sem explicação e uma luta final contra o vilão Yhwach pra lá de decepcionante. Mas... será que esse foi realmente o final?

Anos depois Tite Kubo lançou Burn the Witch, uma história única publicada em uma edição da Shonen Jump, mostrando duas bruxinhas enfrentando criaturas mágicas. Na última página, para a surpresa de todos, o autor promoveu um golpe em todos os leitores: o logotipo de Burn The Witch teve alguns caracteres pintados de forma diferente, formando a palavra BLEACH. Ou seja, Burn the Witch na verdade é uma "continuação" no mesmo universo de sua franquia de sucesso, mas agora ambientada na Europa. Kubo é um gênio do mal.

Usagi Drop (mangá)

Usagi Drop
Usagi Drop/Reprodução

Saindo um pouco dos shonen de lutinha temos Usagi Drop, um mangá josei (para mulheres mais velhas) sobre Daikichi, um rapaz de 30 anos que passa a criar Rin, uma garotinha de 6 anos filha de seu falecido avô com uma mulher desconhecida. A trama foi vista originalmente como um drama sobre as dificuldades de se tornar um pai, porém a história tomou um rumo bem pouco comum.

Lá pela metade do mangá acontece um salto temporal de 10 anos e agora temos Rin adolescente nutrindo sentimentos por seu pai adotivo. No final da trama, a adolescente descobre que o tal avô do Daikichi não é seu pai biológico, e isso (na teoria) "permitiria" um relacionamento com o pai adotivo, afinal eles não têm qualquer laço de sangue. Pois é, complicado...

Usagi Drop não é o primeiro mangá a tratar desse assunto, mas é bastante lembrado por ser um título relativamente popular entre o meio otaku. A guinada de "trama parental" para "romance com o pai adotivo" traumatizou muitos fãs, que agora ficam com pé atrás em qualquer história envolvendo um homem mais velho criando uma garota mais nova.

Naruto (anime e mangá)

Naruto Shippuden
Naruto Shippuden/Studio Pierrot/Reprodução

Claro que o nosso Narutinho estaria nessa lista, afinal todo final muito esperado pelos fãs tem altas chances de decepcionar seus admiradores (tome cuidado aí, One Piece!). Naruto durou 700 capítulos em sua versão mangá e o desfecho envolvendo o final da Guerra Ninja e a disputa entre os ninja loiro com seu rival Sasuke foi bastante arrastada.

Toda a rivalidade entre Naruto e o herdeiro dos Uchiha, nutrida durante centenas de capítulos, foi resolvida de uma forma decepcionante e o mangá teve um desfecho digno de novela da Globo, com todos os personagens se casando e tendo filhos na mesma época. No anime a coisa foi ainda pior, pois o estúdio de animação encheu de fillers, tendo até uma festona de casamento para Naruto com Hinata, com direito a vídeo-depoimento do vilão Orochimaru (e com participação do "espírito" de Neji).

Após Naruto tivemos a publicação de uma edição Gaiden protagonizada pela jovem Sarada Uchiha, a filha de Sasuke, além da criação de Boruto: Naruto Next Generations, uma série derivada com o legado dos Uzumaki sob o ponto de vista de Boruto, filho do protagonista. Final é para os fracos! Embora tenha sido muito criticado, o autor Masashi Kishimoto descobriu o truque para não decepcionar os fãs com finais ruins: é só nunca terminar seu mangá!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.