Logo oficial do Oscar

Créditos da imagem: Divulgação

Filmes

Notícia

Academia decidirá se adia o Oscar 2021 nesta segunda (15)

Cerimônia pode ser empurrada em até dois meses; Prazo de qualificação para os filmes também aumentará, como resposta

Arthur Eloi
14.06.2020
19h33

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, organização responsável pela realização do Oscar, vai decidir se adiará a cerimônia de 2021 na próxima segunda (15), em reunião virtual. Atualmente, o evento é previsto para 28 de fevereiro de 2021, mas deve ser empurrado por conta da pandemia do coronavírus. Além disso, o comitê decidirá se muda as regras de qualificação para permitir que filmes lançados após 31 de dezembro de 2020 disputem aos prêmios [via Hollywood Reporter].

A maior urgência da reunião é decidir a data, já que isso precisa ser marcado na grade de programação da emissora ABC. O adiamento da data pode ser de até dois meses, o que jogaria o evento para qualquer ponto entre o começo março e o fim de abril. O formato - se a cerimônia será virtual ou presencial - será decidido mais tarde, enquanto a organização espera para ver como a situação da pandemia se desenvolve.

A mudança nas regras de qualificação são para refletir o efeito da pandemia na produção cinematográfica, que não só paralisou sets de filmagem como também adiou filmes em estágio de pós-produção ou finalizados de chegarem aos cinemas, interditados. A data final de qualificação deve ser decidida junto com a data da cerimônia, mas isso representa que filmes de janeiro e fevereiro de 2021 também vão poder disputar o Oscar no mesmo ano, ao invés de esperarem até o ano seguinte.

Caso seja mesmo adiado, não será a primeira vez. No passado, o Oscar foi adiado em três ocasiões: as enchentes em Los Angeles de 1938, o assassinato de Martin Luther King em 1968, e a tentativa de assassinato do então-presidente Ronald Reagan em 1981.

O circuito de premiações já lida com a nova realidade. Festivais de cinema, como Cannes, em que os filmes começam a sua campanha, foram cancelados ou adiados, forçando os cineastas a repensarem suas estratégias.

Desde o começo da pandemia do coronavírus, várias áreas do entretenimento foram afetadas com o adiamento de estreias, paralisação de produções e cancelamento de grandes eventos.