Oscar

Lista

Oscar 2022 | Will Smith, Liza Minnelli e mais: Os melhores momentos do prêmio

Destaques da edição têm tapa de astro premiado em apresentador, piadas e surpresas

Omelete
1 min de leitura
Eduardo Pereira, Mariana Canhisares e Nico Garófalo
28.03.2022, às 10H00
ATUALIZADA EM 28.03.2022, ÀS 19H37
ATUALIZADA EM 28.03.2022, ÀS 19H37

Volta e meia acusada de ser monótona e fria, a cerimônia de premiação do Oscar fugiu do roteiro em 2022. Equilibrando apresentações musicais grandiosas, piadas ácidas precisas, humanitarismo e emoção, a 94ª cerimônia organizada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas teve até astro premiado dando tapa em apresentadorno palco e ao vivo, além de uma histórica participação surpresa.

Confira abaixo os grandes destaques do Oscar 2022:

 

Beyoncé arrasando em quadra

Começando em grande estilo, a 94ª cerimônia do Oscar abriu suas cortinas com uma suntuosa apresentação pré-gravada de Beyoncé (Dreamgirls - Em Busca de um Sonho). A rainha entoou as letras de “Be Alive”, música da trilha sonora de King Richard: Criando Campeãs (2021) indicada a Melhor Canção Original, direto de uma quadra de tênis toda alterada para combinar com a paleta de cores da cantora e de seus dançarinos.

Além de exaltar toda a presença de palco incomparável da cantora, esse momento ainda foi histórico por trazer a primeira apresentação de “Queen B” em uma premiação desde 2017, quando ela se apresentou em edição do Grammy Awards.

Rebatida ao “Don’t Say Gay” e cutucada em King Richard

Seguido à apresentação de Beyoncé, o discurso de abertura das apresentadoras Amy Schumer (Descompensada), Wanda Sykes (A Sogra) e Regina Hall (Todo Mundo em Pânico) mesclou assuntos sérios e leves com considerável bom humor — e boa dose de acidez. Entre o primeiro tipo, o destaque foi a rebatida à lei homofóbica “Don’t Say Gay”.

Aprovado no estado americano da Flórida, o texto veta escolas de ensinarem estudantes do Ensino Fundamental sobre orientação sexual, identidade de gênero e pautas ligadas aos direitos humanos de pessoas da comunidade LGBTQIA+. “Bem, nós teremos uma grande noite hoje e, para vocês da Flórida, nós teremos uma noite gay”, afirmou Sykes. Na sequência, ela, Schumer e Hall gritaram: “Gay, gay, gay”.

Já em um tópico mais leve, o trio de apresentadoras deu uma cutucada no mesmo filme que foi exaltado pelo número musical de abertura da cerimônia, King Richard: Criando Campeãs. Entre diversos comentários ácidos sobre os principais filmes indicados da noite, elas pontuaram o absurdo de ter um filme sobre as multicampeãs jogadoras de tênis Venus e Serena Williams focado, primariamente, nos pais delas.

Regina Hall “abusando” dos convidados

Tirando uma boa casquinha de alguns dos astros mais galantes da plateia, Hall se ofereceu para realizar testes RT-PCR (para identificação do coronavírus da covid-19) “mais profundos” em alguns candidatos seletos: Simu Liu, Jacob Elordi, Tyler Perry e Timothée Chalamet. Chamados ao palco para anúncio da previamente entregue estatueta de Melhor Som (dada a Duna) Jason Momoa e Josh Brolin não escaparam de tentativas bem humoradas de aproximação da comediante.

Harvey Weinstein = Orc de O Senhor dos Anéis

Cena de O Senhor dos Anéis e Harvey Weinstein
Reprodução

Em um hilário segmento gravado, protagonizado por Sykes, a atriz e comediante foi conduzida por diversas telas que reproduziam cenas memoráveis de filmes icônicos da história de Hollywood. Ao se deparar com uma delas, que mostrava um orc de O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel (2021), ela exclamou: “Olha, é Harvey Weinstein”.

O comentário não é mera piada, mas uma referência direta à revelação de que o visual cinematográfico dos seres monstruosos criados pelo escritor J.R.R. Tolkien foi de fato inspirado pelo do produtor da trilogia — que, no momento, está preso por estupro e crimes sexuais. Segundo revelou Elijah Wood, o Frodo da saga: “Assim que chegou à Nova Zelândia, Sean Astin viu as máscaras de Orc. E uma delas - e eu me lembro disso nitidamente - foi projetada para se parecer com Harvey Weinstein”.

Durante a pré-produção do primeiro filme, Weinstein encurralou o diretor Peter Jackson com a proposta de filmar os três filmes em sequência, sem que ele tivesse a chance de optar por produzir os dois filmes subsequentes em outros estúdios. Wood acrescentou: “Acho que não há problema em falar sobre isso, o cara está encarcerado. F***-se ele”.

Academia dá apoio à Ucrânia em meio à guerra com a Rússia

Pedindo “um momento de silêncio”, um comunicado oficial foi exibido no telão da cerimônia e pela transmissão oficial do Oscar 2022, registrando o apoio da Academia às “pessoas da Ucrânia, atualmente enfrentando invasão, conflito e preconceito dentro de suas próprias fronteiras”.

“Milhões de famílias na Ucrânia precisam de comida, cuidados médicos, água limpa e serviços de emergência. Os recursos são escassos, e nós — coletivamente, como comunidade global — podemos fazer mais”, lia o texto. “Nós pedimos que você apoie a Ucrânia, como puder”.

A emoção de Troy Kotsur (e a fofura da Youn Yuh-jung)

Troy Kotsur, de No Ritmo do Coração, se tornou o primeiro homem surdo a vencer um Oscar de atuação, uma vitória histórica que já mereceria destaque entre os melhores momentos. No entanto, quando ele subiu ao palco para receber a estatueta das mãos Youn Yuh-jung, ele emocionou todos os presentes com seu discurso -- e a atriz sul-coreana é a prova disso, tamanha a felicidade dela de presenciar tão de perto esse momento.

"Apenas queria dedicar esse prêmio à comunidade surda, à comunidade C.O.D.A. e à comunidade de pessoas com deficiência. Esse momento é nosso!"; assista acima.

“We DO talk about Bruno”

A música de Encanto que dominou as paradas não foi indicada ao Oscar, mas teve seu momento durante a cerimônia da 94ª edição do prêmio. A performance com vários membros do elenco de dubladores, entre os quais a Stephanie Beatriz, definitivamente animou a noite morna de domingo, mas a virada veio de fato com a participação surpreendente da rapper Megan Thee Stallion que incluiu rimas inéditas a “We Don’t Talk About Bruno”, comentando o Oscar; veja acima.

Amy Schumer, a Mulher-Aranha, e Andrew Garfield rindo de nervoso

Em uma das divertidas esquetes organizadas ao vivo pelo trio de apresentadoras do Oscar 2022, Schumer surpreendeu a todos ao surgir sendo sustentada por cabos e trajando um uniforme de Homem-Aranha — ou melhor, Mulher-Aranha — com direito a serpentinas que fizeram as vezes de teias.

Além de permitir que um dos cinegrafistas da cerimônia buscasse o sorriso encabulado de Andrew Garfield, indicado ao Oscar de Melhor Ator por Tick, Tick... Boom! e intérprete de uma das versões de Peter Parker nas telonas, o momento recebeu a bênção de um dos maiores autores de Homem-Aranha: Dan Slott, criador do Aranhaverso.

No Twitter, o veterano roteirista da Marvel Comics afirmou, fazendo referência ao canal que exibe a cerimônia nos Estados Unidos: "ABC = Marvel = Disney. Amy Schumer, só para você saber, você agora é legalmente uma parte do Aranhaverso". Veja abaixo.

A vitória (e o tapão) de Will Smith

Em determinado momento da premiação, Chris Rock fez piada com a aparência de Jada Pinkett-Smith, que convive com alopecia, uma doença autoimune que causa queda de cabelo. Em resposta, Will Smith subiu ao palco e deu um tapa no comediante, antes de gritar “mantenha o nome da minha esposa fora da p*rra da sua boca”.

Minutos depois, Smith foi premiado com o Oscar de Melhor Ator e, em seu discurso, citou Richard Williams como um “defensor de sua família” e falou sobre um conselho que Denzel Washington lhe deu pouco antes de ele receber a estatueta. Fugindo do costume, a Academia permitiu que o astro terminasse seu discurso emocionado, sem subir a música para apressar sua descida do palco.

Pulp Fiction ao vivaço com John Travolta, Uma Thurman e Samuel L. Jackson

Incumbido de anunciar o prêmio de Smith, o trio de astros do clássico de Quentin Tarantino, lançado em 1994, tomou os palcos cheio de reverência ao filme. Em um momento de descontração, enquanto Jackson falava ao microfone, Thurman e Travolta recriaram a clássica cena de dança do longa, que precede um dos momentos mais tensos da relação entre os personagens Vincent Vega e Mia Wallace.

Lady Gaga e Liza Minnelli anunciando Melhor Filme

Em uma surpresa emocionante e histórica, a ganhadora do Oscar Lady Gaga subiu ao palco acompanhada da lendária Liza Minnelli (uma rara detentora do status EGOT, tendo sido premiada com o Emmy, Grammy, Oscar e Tony) para o anúncio do maior prêmio da noite: Melhor Filme.

Mais do que reunir duas artistas de gerações tão distantes, mas unidas por sua dedicação à arte na música, nas artes dramáticas e nos pontos de encontro entre ambas, o momento foi icônico porque a participação de Minnelli — aos 76 anos de idade e em uma cadeira de rodas — não foi previamente anunciada. Juntas, ambas anunciaram a vitória do emocionante e caloroso CODA - No Ritmo do Coração (2021).

A 94ª edição do Oscar aconteceu neste domingo (27), no Teatro Dolby, em Los Angeles. Confira mais sobre a premiação no YouTube do Omelete e nas nossas redes sociais.

O Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Acompanhe a gente também no Youtube: no Omeleteve, com os principais assuntos da cultura pop; Hyperdrive, para as notícias mais quentes do universo geek; e Bentô Omelete, nosso canal de animes, mangás e cultura otaku.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.