Harvey Weinstein durante julgamento em NY (Spencer Platt/AFP)

Créditos da imagem: Spencer Platt/AFP

Filmes

Notícia

Harvey Weinstein, figura central do #MeToo, é julgado culpado em NY

Ex-produtor foi sentenciado por estupro e crimes sexuais

Arthur Eloi
24.02.2020
14h10
Atualizada em
24.02.2020
14h35
Atualizada em 24.02.2020 às 14h35

Quase três anos após o início do movimento #MeToo, o produtor Harvey Weinstein - figura central de inúmeras denúncias de assédio e estupro - foi julgado culpado [via Deadline].

O caso foi a tribunal pelas últimas sete semanas, na cidade de Nova York, e só agora chegou em um veredito. Em decisão unânime, o júri sentenciou Weinstein como culpado por estupro e atos sexuais criminosos em duas de cinco acusações. A pena ainda não foi definida mas, com tudo somado, o ex-produtor pode pegar algo entre cinco e 29 anos na prisão.

As duas vítimas em questão são Miriam Haley e Jessica Mann, mas também foram ouvidas Annabella Sciorra e Lauren Marie Young, sendo que a última processou Weinstein na cidade de Los Angeles, mas levou a acusação para Nova York como forma de dar força ao caso das outras.

Segundo a Vulture, a promotoria levou 28 testemunhas, enquanto a defesa de Weinstein apenas sete. O acusado não testemunhou.

Assédio em Hollywood

2017 foi marcado por diversas denúncias, que começaram com acusações contra o produtor Harvey Weinstein. Depois disso, vários outros casos vieram à tona, incluindo o de Kevin Spacey, que foi demitido de House of Cards depois disso.

No primeiro dia de 2018, 300 mulheres que trabalham em Hollywood, incluindo atrizes, diretoras, roteiristas e produtoras, formaram o Time’s Up, uma iniciativa para lutar contra o assédio sexual na indústria do audiovisual e também em áreas de trabalho manual, como mecânica, construção, etc.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.