Por dentro da casa mais vigiada de Westview: como a Marvel criou o lar de Wanda

Créditos da imagem: WandaVision/Disney+/Reprodução

Séries e TV

Entrevista

Por dentro da casa mais vigiada de Westview: como a Marvel criou o lar de Wanda

Designer de produção Mark Worthington revela bastidores da concepção dos cenários e dos easter eggs de WandaVision e descarta teoria popular entre os fãs

Mariana Canhisares
26.02.2021
04h00
Atualizada em
04.03.2021
12h42
Atualizada em 04.03.2021 às 12h42

Nada como ter um lar para onde voltar depois de um dia ocupado, principalmente se seu emprego não é lá muito tradicional. Uma hora, você está no quartel-general com seus colegas, sem muito o que fazer, apenas monitorando a situação do planeta. Na outra, é surpreendido por uma invasão alienígena e artefatos mágicos que podem acabar com o mundo como o conhecemos. Com tamanha carga de estresse todos os dias, não é de surpreender que até os mais idealistas dos heróis, como o Capitão América e o Homem de Ferro, tenham tentado em algum momento levar uma vida mais caseira. Wanda Maximoff é apenas mais um exemplo.

Vingadores: Ultimato/Marvel Studios/Reprodução

Quer dizer, quase. Se Tony Stark e Steve Rogers tiveram uma chance de construir suas tão sonhadas famílias - o milionário em uma cabana no meio do mato, e o herói patriota voltando no tempo e reencontrando o amor da sua vida -, a Feiticeira Escarlate precisou tomar medidas mais drásticas, como WandaVision deixa claro a cada novo episódio. Afinal, além de descobrir como trazer o Visão de volta à vida, a heroína precisou sequestrar uma cidade inteira, isolá-la com seus poderes, distribuir papéis para toda a vizinhança e fingir que estava bem só para ter algum senso de normalidade após a guerra contra Thanos.

Mas, cá entre nós, é inegável que a vida pacata minuciosamente planejada por Wanda é de longe mais charmosa. Usando como referência sitcoms que fizeram sucesso na TV americana, a primeira série do Marvel Studios ofereceu mais do que uma chance para a Feiticeira Escarlate viver um “casamento perfeito” com seu amado. Na realidade, deu à heroína um lar original à sua maneira. Para criar a casa dos sonhos da personagem, porém, alguém precisou fazer uma maratona e tanto das principais comédias familiares desde a década de 1950, e esse alguém não foi a Vingadora.

WandaVision/Disney+/Reprodução

O responsável por cada um dos cenários de WandaVision é o designer de produção Mark Worthington. Ao lado do diretor da série, Matt Shakman, e do próprio chefe do Marvel Studios Kevin Feige, ele decidiu cada uma das sitcoms que serviria de base para a ilusão de Wanda, desde I Love Lucy e The Dick van Dyke Show até Modern Family e The Munsters. “[Quando começamos a trabalhar na série] não tinha nenhum programa definido, apenas as décadas, e essa foi toda a diversão”, contou Worthington, em entrevista ao Omelete. “Assistimos a um monte de sitcoms - Matt é um expert. Aliás, o Kevin Feige também, ele tem um conhecimento enciclopédico. Olhamos para todas elas e criamos a nossa versão para cada era, específica para a nossa história e nossos personagens”.

Segundo o designer de produção, não faria sentido apenas copiar uma comédia, ou mesmo usá-la de modelo. “É mais sobre evocar as eras para que as pessoas saibam exatamente onde estão, mas não tenham absoluta certeza de qual sitcom é”, explicou. Para isso, eles foram muito meticulosos, às vezes até usando equipamentos vintage para criar o clima da época em questão.

Conceber esses híbridos, claro, foi um desafio à parte. Ainda que esteja acostumado a se envolver com projetos grandes - Worthington tem no currículo títulos como American Horror Story e os pilotos de Watchmen e The Umbrella Academy -, trabalhar com as sitcoms foi algo inédito.

“Acredito que as pessoas, especialmente os designers, presumem que elas são simples e até desprezam um pouco. Eu não - não mais. Posso ter entrado pensando que seria fácil, mas saí com a certeza de que não foi. Quer dizer, foi realmente gratificante, mas tenho um respeito saudável por aqueles designers, pelo gênero e pelo que aqueles roteiristas e diretores fazem.”

Ter acompanhado algumas das produções como espectador não tornou as coisas mais fáceis para Worthington. “Sou velho o suficiente para ter sido um adulto nos anos 1980, então eu sei como era. Mas é interessante como você não sabe de verdade”, contousobre os bastidores do capítulo “Em um Episódio Muito Especial...”, que referenciou Três é Demais e Roseanne, entre outros seriados. “Às vezes, quando você viveu [aquela década], estranhamente é mais difícil de entendê-la e se livrar das suas suposições. Então, foi divertido e desafiador.”

WandaVision/Disney+/Reprodução

Direto dos quadrinhos

Tratando-se de uma produção da Marvel, as sitcoms são apenas um dos objetos de estudo de Worthington. O designer de produção teve que lidar ainda com uma avalanche de easter eggs dos quadrinhos e do próprio MCU- se você está acompanhando WandaVision, sabe que não é exagero. Em todo canto, há um detalhe escondido.

Visão, minissérie da Marvel Comics em que o sintozoide tenta levar uma vida familiar no subúrbio

Marvel Comics/Reprodução

Assim como no caso das comédias, o processo para decidir as referências que entrariam em cada episódio foi muito colaborativo, envolvendo Worthington, o diretor Matt Shakman, a roteirista Jac Schaeffer e o especialista de objetos cenográficos Russell Bobbitt. “Os maiores [easter eggs] vinham no roteiro, com certeza, mas muitos deles vieram de forma orgânica. É um processo de mudança constante. Algumas coisas surgem quase que na última hora! É tudo muito planejado, mas também vamos descobrindo pelo caminho.” De acordo com o designer, poder contribuir dessa forma é muito divertido, mas eles sempre têm em mente o que está no longo prazo. “Não queremos pirar. Existe um controle para que a gente tenha uma narrativa por trás dos nossos easter eggs.”

Worthington alertou de cara que não poderia entrar em detalhes quanto às referências (“perde a graça. Você pode até querer que eu seja [específico], mas o legal é o público descobrir por conta própria e ter essas revelações”), mas concordou em comentar uma teoria popular que afirma que WandaVision estaria evitando usar o número “6” nos seus cenários e adereços. Segundo os comentários nas redes sociais, isso poderia ser um indício do envolvimento do vilão Mephisto, um dos diabos da Marvel Comics. Bem, para o designer de produção, essa história é inédita. “Nunca ouvi nada sobre isso e estou sendo honesto. Sério.”

Se ele estava tentando despistar ou não, a verdade é que pouco importa. O cenário em WandaVision contribui para além dos easter eggs e, de acordo com Worthington, isso ficou claro até na reação dos atores ao entrar nos sets. “Paul dizia ‘meu Deus, isso é demais!’”, lembrou o designer de produção, rindo, sobre o momento em que Bettany e Elizabeth Olsen chegavam caracterizados para as gravações. “É divertido ver que, numa série como essa, o cenário contribui de uma forma que não é apenas o que está atrás dos atores, embora isso seja adequado. Ele oferece uma sensação e uma energia que o elenco pode usar para expressar seus personagens.”

WandaVision está se aproximando do fim, com o lançamento do penúltimo episódio nesta sexta-feira (5). E todas as sextas os críticos do Omelete se reúnem na twitch.tv/omeleteve, a partir das 16h30, para discutir o episódio da semana e o futuro da série e do MCU. Venha conversar com a gente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.