Loki é o verdadeiro pontapé inicial da Fase 4 do MCU

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Loki é o verdadeiro pontapé inicial da Fase 4 do MCU

Série do Deus da Trapaça se prova mais influente que outras produções do Disney+

Eduardo Pereira
15.07.2021
11h06
Atualizada em
15.07.2021
13h29
Atualizada em 15.07.2021 às 13h29

[O texto abaixo contém spoilers da primeira temporada de Loki, no Disney+]

Se Viúva Negra é oficialmente o primeiro passo da "Fase 4" do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU), nós já sabemos a esta altura que a realidade é bem diferente. Com a aventura solo de Natasha Romanoff encaixada na cronologia da franquia entre Capitão América: Guerra Civil (2016) e Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017), apenas a cena pós-créditos se passa no "tempo presente", dando algum sinal (mínimo) do que virá no futuro. Assim, o real pontapé inicial do novo capítulo na narrativa maior do Marvel Studios só poderia chegar para valer com Shang-Chi e a Lenda dos Dez Aneis, em setembro, ou por meio do trio de séries do Disney+: WandaVision, Falcão e o Soldado Invernal e Loki — e com a estreia do último episódio da primeira temporada da série do Deus da Trapaça, "Por Todo Tempo. Sempre.", não resta dúvida a que esse foi o "glorioso propósito" da empreitada televisiva do príncipe de Jotunheim.

Após uma inspirada apresentação de uma de muitas versões possíveis do vilão Kang, sob a alcunha de Aquele Que Permanece (Jonathan Majors), Loki automaticamente atrelou seu encerramento a não um, nem dois, mas três dos 12 filmes que compõem o quarto ciclo de histórias do MCU: Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa, que deve ver Peter Parker (Tom Holland) mergulhando no complexo multiverso criado pela vingança de Sylvie (Sophia Di Martino) e quem sabe até trazendo ao live-action um pouco do Aranhaverso; Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, que deve levar Stephen Strange (Benedict Cumberbatch, que estará também no filme do Teioso) ao encontro de Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) para lidar com o lado mais aterrorizante das realidades alternativas; Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania, que terá Kang como um de seus principais personagens. Isso, para começar.

Porque, tampouco "Por Todo Tempo. Sempre" entrou no catálogo do Disney+, fãs passaram a teorizar também sobre uma eventual ligação entre os eventos finais do episódio e Os Eternos, com data de lançamento marcada para 5 de novembro. Como mostrado no primeiro teaser do filme de Chloe Zhao, um evento muito grave e poderoso será o responsável por tirar os meta-humanos da reclusão, após centenas de anos às sombras. Não é nada absurdo pensar que tamanha desgraça seria justamente o rompimento da "Linha do Tempo Sagrada", um conhecimento que faria sentido os Celestiais terem deixado para o grupo. E se considerarmos como as origens de Kang nos quadrinhos da Marvel Comics estão tão intrinsicamente ligadas ao Quarteto Fantástico, que encabeça o penúltimo filme da "Fase 4", já é possível prever que ecos de Loki serão ouvidos em cinco das 12 produções.

Só que as possíveis reverberações de Loki não param por aí. Thor: Love and Thunder promete que Jane Foster (Natalie Portman) voltará a empunhar o Mjölnir, um artefato mágico que não existe mais no universo do Deus do Trovão que conhecemos (foi devolvido por Steve Rogers ao final de Ultimato, lembra?). Será que vem aí mais um furto de martelo de uma realidade paralela? E, com os Guardiões da Galáxia envolvidos no filme de Taika Waititi, por que não pensar que o encerramento do ciclo de James Gunn na direção do grupo, no Vol. 3, também esbarrará no multiverso? Para arrematar, Blade, que fechará a "Fase 4" com a introdução do caçador de vampiros ao MCU, dará aquela bela cortada em uma bola levantada por Mobius (Owen Wilson), no quarto episódio da série do Disney+.

E falando em Disney+, a própria plataforma deve arrancar até os batentes da porta para o Multiverso aberta pelo Deus da Trapaça. Em What If...?, a primeira série animada do Marvel Studios, veremos exatamente o que está acontecendo em algumas das infinitas realidades variantes que nasceram do season finale de Loki. Aliás, a produção é outra que, assim como o seriado do chifrudo trapaceiro, terá uma segunda temporada. A jornada, também no streaming, está apenas começando.

Disso tudo a conseguir enxergar relação entre Loki e Shang-Chi, Pantera Negra: Wakanda ForeverThe Marvels já seria extrapolar a especulação e cair na projeção, mas também nem se faz necessário. A influência da jornada solo de Loki se provou muito mais determinante para o futuro do MCU que o processo de luto de Wanda ou a condecoração de Sam Wilson como novo Capitão América. Por mais que as duas séries irmãs do Disney+ também tenham construído heranças que os fãs mais atentos verão nos filmes do futuro, nenhuma delas de fato alterou o que sabíamos que viria a seguir na narrativa das telonas. Já a jornada da variante do irmão adotado de Thor Odinson terá, a exemplo de sua própria trama, ramificações que só o tempo revelará ao todo.

Ao menos nisso, esse Loki foi superior.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.