Logo oficial do Lollapalooza BR

Créditos da imagem: Lollapalooza Brasil/Divulgação

Música

Notícia

Cofundador do Lollapalooza prevê retorno de shows apenas em 2022

Marc Geiger afirmou que eventos musicais grandes só devem voltar a ter plateia após público se sentir seguro

Nicolaos Garófalo
20.07.2020
21h02
Atualizada em
22.07.2020
11h38
Atualizada em 22.07.2020 às 11h38

Após o cancelamento oficial da edição de 2020, o Lollapalooza 2021 também corre o risco de não acontecer. Marc Geiger, cofundador do festival, afirmou em entrevista ao podcast do crítico Bob Lefsetz que o retorno do público aos grandes shows deve acontecer apenas em 2022 (via Nação da Música).

Na minha humilde opinião, vai ser em 2022. Vai levar um tempo até o que eu chamo de ‘economia da germofobia’ ser lentamente morta e substituída pela ‘economia da claustrofobia’”, afirmou Geiger. O empresário ainda se mostrou cético em relação à opção de shows drive-in, afirmando que o preço dos eventos é muito alto comparado com a capacidade total de automóveis. “As pessoas estão fazendo isso simplesmente por fazer, não para se sustentarem, certo?”.

Além da fala de Geiger, o cancelamento de diversos eventos em São Paulo, onde o evento costuma acontecer, também leva a crer que o Lollapalooza de 2021 pode sofrer atrasos. Até o momento, a Virada Cultural e o Réveillon na Paulista já foram cancelados pelo governo local.

Ouça a entrevista completa de Geiger abaixo:

Desde o começo da pandemia do coronavírus, várias áreas do entretenimento foram afetadas com o adiamento de estreias, paralisação de produções e cancelamento de grandes eventos.