Cartazes de MIB: Homens de Preto - Internacional e Anjos da Lei 2

Créditos da imagem: Sony Pictures/Divulgação

Filmes

Artigo

Como a ideia de um crossover com Anjos da Lei levou ao novo Homens de Preto

Roteiro do quarto filme da franquia tomou forma depois que planos de MIB 23 não foram para frente

Natália Bridi
10.06.2019
10h00
Atualizada em
12.06.2019
14h48
Atualizada em 12.06.2019 às 14h48

Em dezembro de 2014, quando a Sony Pictures teve sua base de dados hackeada em uma tentativa de impedir o lançamento de A Entrevista (a comédia de Seth Rogen e Evan Goldberg sobre o primeiro-ministro da Coreia do Norte Kim Jong-Un), muitos planos do estúdio tornaram-se públicos, das negociações com a Marvel sobre o Homem-Aranha a um inusitado crossover entre Anjos da Lei e Homens de Preto.

A ideia do mashup veio de Jonah Hill, que além de estrelar, trabalhou no roteiro e na produção dos dois filmes de Anjos da Lei. Na troca de emails com a então presidente da Sony Amy Pascal, Hill apresentava o projeto, que não envolveria Will Smith ou Tommy Lee Jones e seria estrelado por ele e Channing Tatum, com Phil Lord e Chris Miller assumindo a produção.

Os créditos de Anjos da Lei 2, que brincam com diversas possíveis sequências para a franquia.

Na CinemaCon de 2016, a Sony chegou a oficializar o crossover, que se chamaria MIB 23, mistura entre MIB e 23 Jump Street (variação do título original de Anjos da Lei). James Bobin, o diretor de Os Muppets, comandaria a produção e Rodney Rothman (Anjos da Lei 2) seria o responsável pelo roteiro. Na época, as filmagens tinham até data para começar: junho de 2016. Bobin chegou inclusive a comentar sobre a dificuldade em unir as duas franquias: “O desafio é pelo tom. Os dois mundos são fantásticos e essa é uma daquelas coisas que você pensa ‘como é possível isso funcionar?’, então você lê o roteiro e fica ‘nossa, isso é incrível!’. É fantástico e realmente divertido. Estou tentando imaginar que nenhum desses mundos existiu antes e como seria juntos e isso cria um lugar bem interessante”.

Alguns meses depois, em agosto de 2016, a conversa já era outra. “Tive a ideia, mas duvido que será feito algum dia”, contou Hill ao Postmedia Network, “eles estão tentando fazer todos os acordos, mas é meio que impossível com todas as coisas de Homens de Preto. Os filmes de Anjos da Lei são tão divertidos de fazer e toda a piada deles é brincar com sequências, remakes, reboots e agora ele mesmo está se tornando uma grande sequência/reboot. É quase o que zoamos e é difícil manter a piada com tanta coisa em jogo”.

Enquanto a Sony trabalhava na ideia do crossover como uma alternativa para retomar MIB depois que o longa de 2012 encerrou a trilogia, os produtores Walter F. Parkes e Laurie MacDonald batalhavam para viabilizar o quarto filme de Homens de Preto. Anunciado em 2015, a ideia era construir uma nova trilogia com foco em uma protagonista feminina. Durante a visita do Omelete ao set de MIB: Homens de Preto - Internacional, Parkes deixou claro que nunca teve muita vontade em viabilizar o mashup com Anjos da Lei, mas aproveitou o novo interesse do estúdio pela comédia sci-fi para vender o seu projeto.

Na versão do produtor, responsável por comprar os direitos da pouca conhecida HQ que deu origem ao filme de 1997 e suas sequências, nunca houve um grande plano para concretizar o crossover, apenas uma tentativa malsucedida: “Lembro de receber uma ligação da presidente da Sony perguntado sobre um mashup com Anjos da Lei. Disse que tudo bem. Mas teria sido um tipo bem diferente de filme. São franquias meio que opostas. Anjos da Lei leva as coisas de forma bastante ampla, as coisas normais de um filme policial vistas de forma bastante inventiva. Já nós lidamos com circunstâncias extraordinárias de um jeito normal, como não fazer carinho no pug alienígena e não chamá-lo de pug”.

Jay conhece Frank em Homens de Preto (1997). 

Porém, foi graças a ideia de Jonah Hill de misturar esses mundos opostos que Parkes encontrou espaço para ganhar o sinal verde para o renascimento dos Homens de Preto no cinema: “Tinha essa ideia circulando sobre uma jovem que encontra um alienígena quando criança e não é neutralizada e passa os próximos 20 anos da sua vida tentando encontrar os Homens de Preto. Parecia uma ideia bastante legítima. Então bem nessa época do Anjos da Lei, nós meio que sugerimos, ‘olham se vocês realmente estão interessados em fazer isso, vamos trabalhar em um uma sequência de Homens de Preto, ou reboot, ou o que quer que você queira chamar, reinício, derivado... Começamos a trabalhar na ideia com Matt Holloway e Art Marcum e aqui estamos, de repente se tornou um roteiro que o estúdio queria filmar”.

O crossover foi engavetado e, segundo Parkes, nunca deve ver a luz do sol. Para ele, o futuro dos Homens de Preto está agora nas mãos de Tessa Thompson e Chris Hemsworth e no conceito de que MIB é uma agência global, já mirando na força dos mercados internacionais para as grandes produções hollywoodianas.

MIB: Homens de Preto - Internacional estreia em 13 de junho.