Filmes

Lista

Pequena Diana, vilões e mais: o que queremos ver em Mulher-Maravilha 3

Depois de dois ótimos filmes, recapitulamos as forças da franquia para imaginar o próximo filme de Diana Prince

Julia Sabbaga
22.12.2020
10h00
Atualizada em
27.12.2020
20h46
Atualizada em 27.12.2020 às 20h46

Foram mais de três anos de aguardo entre o primeiro filme de Mulher-Maravilha e sua sequência, Mulher-Maravilha 1984, mas logo depois da estreia do segundo já é difícil aguentar a ansiedade para o próximo. Após o filme estrear com bilheteria recorde para o período de quarentena nos Estados Unidos, a Warner oficializou a terceira parte da trilogia, novamente com Patty Jenkins na direção. E apesar de sabermos muito pouco sobre os planos da franquia além do retorno de Gal Gadot, depois de dois ótimos filmes é difícil não sonhar com tudo que queremos para Diana no futuro. 

Com isso em mente, e baseando-nos nos pontos fortes dos primeiros filmes, listamos abaixo tudo que gostaríamos de ver em Mulher-Maravilha 3:

[cuidado com spoilers de Mulher-Maravilha 1984]

A atualidade

Vimos Diana na primeira guerra, vimos a heroína nos anos 80 e já está na hora de ver Mulher-Maravilha nos tempos atuais. Dada a evolução da personagem de um filme para o outro, seria difícil imaginar que Patty Jenkins retornaria ao passado para um terceiro filme, inclusive a diretora já revelou que tem um arco definido para os três filmes da protagonista. Enquanto ainda pode ser proveitoso vê-la nos anos 90 ou no início dos 2000, Mulher-Maravilha é uma personagem cheia de potencial para mensagens políticas sutis e certeiras, como fez muito bem em 1984. Os dias de hoje certamente são um solo frutífero para isso. 

Amazonas unidas

Uma das melhores cenas do primeiro filme de Mulher-Maravilha é a invasão dos homens em Themyscira, e o segundo filme fez muito bem em retornar ao passado para mostrar mais um pouco das Amazonas. Mas 1984 mostrou uma competição amigável entre as mulheres, e vê-las em ação contra um inimigo em comum foi emocionante até em Liga da Justiça (apesar dos seus tão frequentemente mencionados problemas). Para o terceiro filme, torcemos para ver guerreiras como Antíope e Hipolita lutando juntas novamente. 

Não seria tão surpreendente que as Amazonas apareçam para um novo filme, já que antes do terceiro filme de Mulher-Maravilha Jenkins ainda espera produzir um derivado das habitantes da ilha. Segundo a diretora, o arco de Diana Prince funciona exatamente com este filme entre o 2 e o 3, o que sugere que as Amazonas terão alguma influência para a trama do próximo filme focado na heroína.

Retorno dos vilões de 1984

Mulher-Maravilha 3 não deve se prender ao passado, mas convenhamos que uma das forças do segundo filme foi o carisma e personalidade de seus vilões, Maxwell Lord e Barbara Minerva. Curiosamente, especialmente para filmes de herói, ambos acabam vivos no fim do segundo filme. Por isso, apesar de achar que o novo filme de Diana deve sim ter um novo e inédito antagonista, é justo esperar um retorno de Kristen Wiig e Pedro Pascal, até porque os dois também arrasaram nas atuações como os vilões. Ainda, Lord teve tempo para se redimir de suas ações no fim de 1984, e Minerva não. Será que no terceiro filme não podemos ver seu retorno para ajudar Diana, sua breve (e única) amiga? 

Mas Doctor Psycho como vilão principal

DC/Reprodução

Não há absolutamente nenhuma dica de quem pode ser o antagonista principal de Mulher-Maravilha 3, mas se podemos sonhar, um dos mais esperados para a franquia é o Doutor Psycho. Escrito pelo próprio criador da Mulher-Maravilha, William Moulton Marston, e um dos maiores inimigos de Diana Prince, o vilão tem poderes telepáticos e telecinéticos, mas seu principal traço característico é sua misoginia. Imagina só uma aventura de Diana, nos tempos atuais, lutando com um machista controlador de mentes? Ai meu coração. 

Amizade feminina

É curioso que, por mais feminista que os filmes de Mulher-Maravilha sejam, passamos pouco tempo vendo Diana com outras mulheres. No primeiro filme temos um breve relance de sua relação com Etta Candy antes que Diana parta para a guerra acompanhada por uma equipe masculina. No segundo, Diana e Barbara se dão super bem, mas a gemóloga rapidamente é corrompida e se torna rival da protagonista. No fim das contas, apesar de ótimas, estas duas relações só nos deixam com mais vontade de ver Diana Prince acompanhada de outras mulheres. Será que o terceiro filme não pode rodear nossa protagonista de aliadas?

Diana voadora

Um dos pontos altos de Mulher-Maravilha 1984 é o seu auge emocional, logo depois que a heroína se despede de Steve Trevor novamente e usa os ensinamentos dele para descobrir sua habilidade de voar. E enfim, temos Diana Prince voadora, uma novidade que certamente ganhará destaque no terceiro filme. É uma pena que o Jato Invisível tenha durado tão pouco agora que nossa protagonista pode simplesmente voar de um lugar para o outro, mas a cena filmada de modo clássico por Patty Jenkins é tão bonita que só anima fãs para as possibilidades abertas para o futuro. 

Mais cenas com a jovem Diana

Enquanto no primeiro filme a jovem Diana abusava da fofura, Mulher-Maravilha 1984 entregou nas mãos da atriz Lilly Aspell uma oportunidade para brilhar de verdade. A pequena Diana roubou a cena na sequência da competição das amazonas, principalmente por uma energia e vitalidade carismáticas demais. Por isso, é inevitável esperar que o arco da pequena Diana também avance junto com o da já formada Diana Prince, e é melhor que a produção traga Aspell novamente para o papel. 

Liberdade amorosa

Enquanto Mulher-Maravilha e Mulher-Maravilha 1984 focaram na relação entre Diana e Steve Trevor, existe um arco muito claro da heroína a caminho de abrir mão do que já se passou. Trevor era sua alma gêmea e par perfeito, e a química entre Gal Gadot e Chris Pine certamente contribuiu para isso, mas um dos grandes acertos da sequência foi ter feito a heroína encarar seu futuro e conseguir se despedir de seu grande amor. Enquanto o começo de 1984 mostrou Diana incapaz de superar a perda, o fim do filme mostra a heroína pronta para seguir em frente. E nada disso quer dizer que é preciso ver Diana com outro homem no terceiro filme - mas vê-la livre do fantasma do passado promete um espírito totalmente diferente para nossa protagonista. 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.