Imagem de Aves de Rapina

Créditos da imagem: Aves de Rapina/Warner/Divulgação

Filmes

Notícia

Como Aves de Rapina vai mostrar a Gotham que o Batman não vê

Colorida, bagunçada e imprevisível! Direto do set, Margot Robbie, a diretora Cathy Yan e a produção do filme contam como será a “nova versão” da cidade

Patricia Gomes
26.12.2019
20h38
Atualizada em
26.12.2019
21h40
Atualizada em 26.12.2019 às 21h40

A nova fase da DC nos cinemas anda de vento em popa: depois de finalmente entender que o “multiverso” deveria ser deixado de escanteio para focar em histórias individuais, filmes como Coringa e Aquaman ultrapassaram um bilhão em bilheteria e agora uma nova aposta está chegando: a trama solo de Arlequina e as Aves de Rapina.

A personagem, que inicialmente foi apresentada nos cinemas em Esquadrão Suicida, foi um dos (poucos) destaques do longa e Margot Robbie assumiu para si a missão de dar continuidade para sua história. O filme da equipe feminina da DC começou a criar forma depois que a própria Margot assumiu a produção e apresentou sua idéia para a equipe de executivos da Warner.

“Meu discurso inicial foi: este longa não deve ser maior do que um filme de máfia ou de gangues. Este foi um dos pontos principais quando fiz o ‘pitch’, porque já vi muitas vezes na tela bilhões de prédios gigantes sendo destruídos, cidades sendo arrasadas… Para mim, tudo deveria existir em uma vizinhança [de Gotham] bem pequena, e os riscos deveriam ser muito pessoais em relação a vida ou morte das personagens, mas não a vida ou morte de milhares de pessoas”, afirmou a própria protagonista em entrevista exclusiva ao Omelete no set de gravações.

Criar uma ambientação que se limitaria no espaço dos personagens do filme foi um dos grandes desafios da equipe de produção, já que conhecemos a Gotham sombria e realista dos filmes do Batman, da série da FOX... Neste caso, temos um novo olhar em uma das cidades mais conhecidas da cultura pop.

“O tom do filme faz com que todos estejam presentes em uma Gotham muito particular, demos o nosso toque” afirma a figurinista Erin Benach, responsável pelos trajes coloridos e extravagantes do longa. Já o designer de produção K.K. Barret conta que definitivamente estaremos na mesma cidade que já foi apresentada, mas vamos conferir lados que nunca foram vistos antes. “Gotham foi introduzida principalmente pelo Batman, que vê o mundo do alto, mas o mundo da Arlequina... É um pouco mais na sarjeta”, completa.

A diretora Cathy Yan diz que criar esta “nova versão” de Gotham foi incrível, porém, afirma que apesar de diferente, ela é totalmente calcada nas HQs: “é uma cidade que está dentro do que conhecemos nos quadrinhos e tudo nela presta homenagem a eles”.

Adaptar para as telas um dos cenários mais conhecidos pelos fãs dos super-heróis não foi tarefa fácil, mas a DC está disposta a apostar alto em Aves de Rapina - Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa. Agora é aguardar para ver se a nova equipe feminina dos cinemas se sairá tão bem nas bilheterias quanto os últimos fimes do estúdio, mas se depender da produtora Margot Robbie, a jornada será no mínimo, inesperada. “Todo o filme teve escolhas criativas diferentes porque você vai numa jornada com a Arlequina. O mundo vai ser doido e imprevisível. E Gotham é definitivamente um pouco disso, é bagunçada, é colorida, é perigosa. Está muito divertida”, completa a atriz.

Aves de Rapina - Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa estreia dia 5 de fevereiro de 2020 no Brasil.