Séries e TV

Lista

The Witcher | Tudo o que sabemos sobre a série de TV da Netflix

Elenco, trama, produção e muito mais!

Arthur Eloi
21.01.2019
14h21

A próxima grande aposta da Netflix é levar às telas The Witcher, a obra de fantasia do autor polonês Andrzej Sapkowski que inspirou uma trilogia de jogos pela CD Projekt RED. A saga, publicada inteiramente durante a década de 1990, acompanha o bruxo Geralt de Rivia, um mutante mercenário especializado em caçar monstros.

O projeto já está em desenvolvimento há uns bons meses, mas os detalhes ainda são poucos. Pensando nisso, listamos abaixo tudo que sabemos sobre o seriado de The Witcher!

O Geralt das telas

Netflix/Twitter/Reprodução

O processo de casting de The Witcher foi oficialmente iniciado em junho de 2018, mas a produção já tinha escolhido o responsável para viver o Lobo Branco desde abril: Henry Cavill, conhecido por interpretar o Superman nos filmes da DC, será Geralt de Rivia no programa. Acima, você pode conferir a primeira imagem oficial.

Cavill não é novato em séries de TV e nem produções de época. Antes de ser o Homem de Aço, o ator ganhou notoriedade ao interpretar Charles Brandon ao longo de quatro temporadas de The Tudors. Melhor ainda, ele revelou em 2018 ser um grande fã da franquia The Witcher, tendo lido todos os livros e jogado Wild Hunt ao menos duas vezes.

A showrunner Lauren S. Hissrich - falaremos dela já já - foi uma das maiores entusiastas por trás da escalação: "Ele foi minha primeira escolha. Não tinha equipe de roteiristas e nem roteiros ainda - apenas a aprovação da Netflix e muita paixão. Isso foi há quatro meses, e nunca esqueci o carinho que ele trouxe. Ele É Geralt, sempre foi. Estou muito orgulhosa em receber Henry Cavill à família The Witcher".

O elenco

Cavill foi o primeiro confirmado, mas a Netflix logo anunciou o restante do elenco em outubro de 2018. Veja os nomes principais abaixo:

  • Freya Allan será Ciri, que no período narrado é apenas uma criança, ao invés da moça vista em The Witcher 3: Wild Hunt;
  • Anya Chalotra (imagem acima), de Wanderlust, será Yennefer de Vengerberg, feiticeira e par romântico de Geralt;
  • Anna Shaffer, de Harry Potter, será Triss Merigold, feiticeira colega de Yennefer, protetora de Ciri e também interesse amoroso de Geralt;
  • Joey Batey, de Knightfall, será Jaskier, o melhor amigo de Geralt (que é chamado de Dandelion nos jogos da CD Projekt RED);
  •  Jodhi May, de O Último dos Moicanos, será Calanthe, avó de Ciri e rainha de Cintra;
  • Eamon Farren, de Twin Peaks, será Cahir, um soldado de Nilfgaard com ordens para tirar Ciri do bruxo.

Você pode conferir o elenco completo aqui.

A grande responsável

Lauren S. Hissrich com o autor Andrzej Sapkowski
Twitter/Reprodução

Ainda que a ideia da série tenha partido de uma equipe polonesa - afinal, The Witcher é um marco da cultura do país e seu povo está envolvido até o pescoço no projeto - quem encabeça a adaptação é a norte-americana Lauren S. Hissrich.

Assim como Cavill, a produtora não é nenhuma novata quando se trata de TV: Hissrich tem créditos como roteirista em séries de peso como The West Wing e Private Practice, além de experiência na Netflix ao ter feito roteiro e produção-executiva de séries da Marvel como Demolidor e Os Defensores. Um exemplo prático: sabe "Seven Minutes in Heaven", episódio da 2ª temporada de Demolidor onde o Justiceiro (Frank Castle) desce a porrada em todo mundo na cadeia - e depois confronta o Rei do Crime (Vincent D'Onofrio)? Pois é, tudo isso saiu da mente de Hissrich.

É certo que a recepção morna de Defensores abalou a percepção do potencial dela, mas a produtora contornou isso com honestidade e passou a compartilhar atualizações quase diárias sobre a série de The Witcher no Twitter. Isso inclui explicar seus métodos de escrita, abordagem ou só discutir o que torna os personagens originais tão interessantes.

Material-base

Amazon/Reprodução

A menos que você tenha nascido na Polônia, as chances de você ter conhecido The Witcher através dos jogos da CD Projekt RED são altíssimas. Dito isso, a série não se baseará nos games, e sim nos cinco romances e vários contos que Andrzej Sapkowski escreveu ao longo dos anos 80 e 90 no congelante país europeu.

Assim, as coisas são um pouco diferentes: o universo da saga, até sua metade, ainda não é tomado por uma enorme guerra entre impérios; Ciri, afilhada de Geralt que serve como protagonista de Wild Hunt, é meramente uma criança; o bardo Dandelion se chama Jaskier e a égua Carpeado tem o nome de Plotka (até nas versões traduzidas), por algum motivo. Mesmo assim, tudo que conquistou legiões de fãs nos games está lá: as criaturas, os humanos tão monstruosos quanto elas, o cinismo de Geralt, seus interesses românticos e, é claro, uma jornada medieval épica.

A série de TV deve tocar em todos os assuntos dos livros - incluindo as diversas críticas que Sapkowski fez ao abordar temas de racismo, sexismo e afins através da fantasia. Além disso, por The Witcher ser parte da cultura eslava, o seriado também respeitará isso, sem americanizar a história. "Obviamente haverá os ambientes eslavos, mas o que me fascina é o espírito das pessoas, a resistência durante conflitos, a recusa de baixar a cabeça e deixar a história acontecer ao seu redor. Há uma brutalidade, um humor com garra. É isso que quero captar", explicou a produtora.

Como tudo isso funcionará ainda não é certo, mas o próprio Sapkowski está servindo como consultor ao programa - e o autor, por mais ranzinza que seja em relação à adaptações da sua obra, até elogiou a abordagem do seriado durante uma viagem de Hissrich à Polônia. Assim talvez valha a pena dar um voto de confiança.

Os cenários

Torpedo Pictures/Vimeo/Reprodução

Como dito, a série quer preservar a identidade eslava do texto original. A melhor forma de garantir isso é rodar nas locações que inspiraram os contos, escritos por Sapkowski durante suas muitas viagens como caixeiro-viajante.

O seriado será inteiramente gravado na Europa, com grande parte da produção acontecendo em cidades do Leste Europeu como Budapeste, na Hungria, e da Europa Central, como a Polônia - berço da franquia. Alguns ambientes, é claro, também serão construídos no computador, como Kaer Morhen, a residência dos Bruxos na trama - a foto acima vêm de uma demonstração de efeitos especiais da Torpedo Pictures, que está trabalhando no programa.

As gravações tiveram início em outubro de 2018, com conclusão prevista para algum ponto de março de 2019. Os roteiros da primeira temporada, por outro lado, já estão finalizados.

Roteiros vazados

The Witcher 3: Wild Hunt/CD Projekt RED/Reprodução

É praticamente impossível esconder qualquer coisa da internet. Pensando nisso, a equipe de roteiristas criou cenas "falsas" para os testes de elenco - no sentido de que elas representam o tom, dinâmica entre personagens e maneirismos dos protagonistas, mas que não estarão necessariamente no programa final. Dessa forma, qualquer coisa que for publicada indevidamente não estragaria a experiência final.

Obviamente alguns desses roteiros foram vazados - você pode lê-los em português aqui. Os diálogos mostram interações entre Geralt e Yennefer, e entre Yennefer e um rei sem nome divulgado. Outras chamadas de elenco menos aprofundadas também confirmam Jaskier e Ciri nas aventuras.

O mais interessante talvez seja a presença de dois personagens nos roteiros vazados: Torque e Renfri, respectivamente dos contos "O Mal Menor" e "Os Confins do Mundo". Isso chama a atenção pois foi confirmado que a primeira temporada da série adaptará a coletânea de contos "O Último Desejo", que apresenta diversos dos personagens, o código de honra do bruxo e mais.

Anteriormente, escolhemos cinco contos que deveriam ser mostrados na TV - incluindo "O Mal Menor" e outros.

A data de estreia

A adaptação estava inicialmente prevista para algum ponto de 2020, mas a showrunner confirmou no Twitter que a primeira temporada do programa, que terá oito episódios, agora é prevista ainda para 2019, sem data divulgada. Considerando que as gravações já estão em andamento e todo o elenco já foi escolhido, o adiantamento faz sentido.

Por enquanto só nos resta especular e aproveitar cada pequena informação que é liberada. Até lá o jeito é aproveitar todo o material de The Witcher já lançado e torcer para uma excelente adaptação.