Diferenças e semelhanças entre O Senhor dos Anéis soviético e o de Peter Jackson

Créditos da imagem: Reprodução

Filmes

Lista

Diferenças e semelhanças entre O Senhor dos Anéis soviético e o de Peter Jackson

Antes do neo-zeolandês, os russos adaptaram a obra de J. R. R. Tolkien em uma produção maravilhosa de baixo orçamento

Julia Sabbaga
12.04.2021
17h23

O Senhor dos Anéis de Peter Jackson foi um dos projetos mais ambiciosos do cinema recente, além de ter ficado para a história como uma das sagas cinematográficas mais importantes e bem-sucedidas comercialmente. Mas muito antes do cineasta neo-zeolandês encarar a empreitada de adaptar os livros de J. R. R. Tolkien, em 1991, uma emissora soviética aceitou o desafio e produziu uma brilhante pérola de baixo-orçamento.

Recentemente redescoberta e disponibilizada no YouTube, Khraniteli ("Guardiões" em tradução livre) adapta a história do primeiro dos três livros da saga de Tolkien - A Sociedade do Anel - e guarda diversas semelhanças com a adaptação de Jackson. Algumas diferenças, no entanto, são fundamentais, já que a versão soviética inclui Tom Bombadil, um dos mais queridos personagens dos livros que foi deixada de fora da versão de 2001. 

Confira abaixo uma análise e comparação entre as duas adaptações de A Sociedade do Anel:

A trilha sonora e o narrador

Reprodução

A diferença mais imediatamente reconhecível entre as duas versões (além, claro, do visual e orçamento) é a presença de um narrador na versão da TV Leningrad. Em Khraniteli, um indivíduo aparece lendo a história de Bilbo, Frodo e o anel do poder, mas não antes de a produção começar com uma música característica, que narra a divisão dos aneis entre elfos, anões e homens. Na versão de Peter Jackson, a função de contar a introdução da história fica por conta da voz de Galadriel (Cate Blanchett). 

A trilha sonora da versão soviética ficou por conta de Andrei Romanov, da banda Akvarium, enquanto a versão de Jackson teve Howard Shore nas composições. Por seu trabalho na saga, Shore levou três estatuetas do Oscar

Bilbo, Gandalf e a festa

Reprodução

Assim como na versão de Peter Jackson, Gandalf chega à festa de Bilbo com fogos de artifício para animar os hobbits, mas na versão soviéticas eles são bem mais... vamos dizer, modestos.

Aqui, Gandalf e Bilbo também conversam sobre a existência do Anel e Bilbo usa o artefato para impressionar os convidados e ficar invisível durante o seu discurso, que também é bem semelhante à versão neo-zeolandesa. 

Apesar dos mesmos acontecimentos se passarem na versão 2001, pode-se dizer que a maior semelhança entre elas até aqui é a aparência física do Bilbo soviético (Georgy Shtil) com Ian McKellen

A história de Smeagol e sua transformação em Gollum

Reprodução

No Senhor dos Anéis de Peter Jackson a história de Gollum só é esclarecida no início do terceiro filme, enquanto no soviético o passado da criatura já é revelada por Gandalf a Frodo, quando o mago lhe explica que precisará sair em uma jornada. Aqui - a cena em que Gandalf fala para o Bolseiro que não podemos decidir nosso destino - vemos Smeagol tomando o Anel de Deagol e se transformando em uma criatura bizarra. 

Um dos maiores marcos do Senhor dos Anéis de Jackson é precisamente a interpretação icônica de Andy Serkis como a criatura. Pelo menos ninguém poderia acusar Viktor Smirnov de uma performance pouco marcante. Na versão soviética, Smeagol é instantaneamente consumido pelo Anel, se tornando verde, gosmento e gorgolejante.

A escolha dos hobbits

Reprodução

Tanto a versão de Jackson quanto a soviética diferem do livro de Tolkien quanto se trata da escalação de hobbits que acompanham Frodo em sua jornada. No livro, Pippin e Sam partem junto a Frodo e só encontram Merry em Brandybuck, enquanto na versão de 2001 Sam e Frodo encontram Merry e Pippin juntos na plantação do velho Magote.

Na versão soviética, surpreendentemente, Gandalf simplesmente escolhe a dedo quem irá com Frodo. Merry é escalado por ser feliz, Sam por ser compassivo e Pippin por ser "forte como um touro". 

Justiça para Tom Bombadil

Reprodução

Esta é provavelmente a maior diferença entre as duas versões em termos de história, e uma que deve agradar os fãs da obra original de Tolkien. A ausência de Tom Bombadil da adaptação de Peter Jackson machucou fãs, mas a versão soviética está aqui para servir de consolo. 

O encontro dos hobbits com Bombadil no longa de 1991 é bem parecido com o livro. Na Floresta Velha, o personagem aparece para salvá-los de um ataque do Salgueiro-Homem e hospeda os quatro pequenos em sua casa junto à sua companheira Fruta d'Ouro. Quando eles partem, eles ainda pedem a ajuda de Bombadil mais uma vez, quando Frodo é assombrado por uma Criatura Tumular - que, aliás, rende um dos momentos mais bizarros e surreais da produção. 

Aragorn e as cartas de Gandalf

Reprodução

Assim como na versão de Peter Jackson, Aragorn dá as caras na hospedaria em Bree, e de modo bem semelhante aparece ao fundo do restaurante, misterioso e encapuzado.

A diferença maior acontece quando a versão soviética novamente se mostra mais fiel à obra de Tolkien. Aqui, Frodo recebe a carta que Gandalf deixou com o dono da pousada do Pônei Saltitante, Cevado Carrapicho (ou Barliman Butterbur), em que o Mago lhe diz para confiar tanto no proprietário quanto em Passolargo, que oferece ajuda. Na versão de Jackson, Frodo não encontra Gandalf na pousada e não tem notícias do mago, resistindo antes de aceitar a ajuda de Aragorn.

O conselho de Elrond

Reprodução

A formação da sociedade do anel é bem parecida nos dois filmes, e as duas acontecem em Valfenda, no Conselho de Elrond. A versão soviética, no entanto, enfatiza que os nove indivíduos foram selecionados para contrapôr a força dos Nazgûl, que também andam em nove. 

A dinâmica entre os personagens é razoavelmente parecida - com destaque para certa animosidade entre Aragorn e Boromir - mas nem Gimli nem Legolas abrem a boca durante a seleção. Na versão de Peter Jackson, cada um dos membros se voluntaria para fazer parte da equipe. 

No evento, novamente, temos mais uma diferença com a versão de Jackson, que aproxima a versão soviética aos livros. Assim como na obra original, no Conselho de Elrond Bilbo se voluntaria a levar o anel até as chamas da Montanha da Perdição. Na versão neo-zeolandesa o tio de Frodo não está presente no Conselho.

Gandalf "morre" fora da tela

Reprodução

Até aqui o Senhor dos Anéis soviético entregou cenas bastante semelhantes às páginas de Tolkien, mas há um momento (impagável) que Peter Jackson certamente sai na frente. A queda de Gandalf. 

Inexplicavalmente, na versão de 1991 Gandalf simplesmente some na batalha das Minas de Moria e ninguém da Sociedade sabe o que aconteceu com o líder da equipe. Na versão de Peter Jackson, não apenas vemos uma batalha grandiosa entre Gandalf e Balrog como testemunhamos a suposta morte de Gandalf, que afeta o grupo de modo irreparável. Talvez a inserção de um balrog fosse custosa demais para o orçamento de Khraniteli?

Aqui, depois de uma luta em tela verde contra orcs estranhos embalados por uma trilha peculiar, Aragorn percebe que Gandalf não saiu da caverna e portanto "morreu protegendo a sociedade". Mas assim como na versão de 2001, Aragorn é responsável por impulsionar os hobbits a seguir em frente. 

O teste de Galadriel e o espelho

Reprodução

Mais uma vez, as duas adaptações se encontram em cenas semelhantes quando a Sociedade vai dormir e Frodo conversa com Galadriel, oferecendo o Anel à elfa. Aqui, ela também é brevemente consumida pelo poder do artefato mas resiste, passando no teste e levando Frodo ao espelho. A maior diferença entre as duas cenas não poderia ser outra: enquanto na versão de Peter Jackson Frodo vê o futuro em uma jarra prateada mística, aqui o personagem parece olhar no fundo de um aquário de tamanho pequeno. 

Nesta cena, temos nosso único relance no olho de Sauron, que aparece diversas vezes na saga de Peter Jackson. Seu visual no espelho de Galadriel é impagável e merece seu lugar na lista:

Reprodução

O fim da Sociedade do Anel e uma conclusão semelhante demais

Reprodução
Reprodução

O fim de A Sociedade do Anel e Khraniteli é bem parecido, e se dá após a traição de Boromir e a decisão de Frodo de partir sozinho, para depois encontrar Sam e aceitar sua ajuda até o fim da jornada. 

Nada mais natural, afinal, as duas adaptações seguem fielmente a conclusão do livro de Tolkien, mas a semelhança entre as duas cenas é bem notável. Em cada uma das obras, uma das últimas cenas marca a aliança entre os dois hobbits com um foco no aperto das mãos. Aqui, pelo menos, Jackson se aproximou mais ao fim do livro do que os soviéticos, já que Frodo partia em um barco quando Sam o alcança. 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.