Cena de Cobra Kai, quarta temporada

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Cobra Kai | Entenda o final da 4ª temporada e o que ele indica sobre o futuro

Plano dos showrunners é somar ao menos seis temporada ao total da série da Netflix

Eduardo Pereira
04.01.2022, às 17H23

[o texto abaixo traz spoilers da 4ª temporada de Cobra Kai]

John Kreese (Martin Kove) foi preso pela polícia, graças a uma armação sinistra de Terry Silver (Thomas Ian Griffith), agora o único sensei do Cobra Kai. Paralelamente, o vilão de rabo de cavalo vai expandir o dojô como franquia por todo o Valley, enquanto tanto o Miyagi Do quanto o Karatê Presa da Águia não poderão mais operar. O final da quarta temporada de Cobra Kai não poupou surpresas tensas para os fãs da franquia Karate Kid, incluindo aguardadas alianças e inesperadas despedidas, além de retornos que prometem agitar o futuro da série que não dá sinais de parar tão cedo. É claro que o grande catalisador para tudo foi o resultado bombástico do Torneio All Valley de Karatê Sub-18, mas é certo que as vindouras emoções e reviravoltas não serão restritas apenas aos tatames da série da Netflix.

Mas vamos do começo: na competição, Robby Keene (Tanner Buchanan) e Falcão (Eli Moskowitz) encontraram, em uma disputa tensa, duas formas diferentes de redenção: o primeiro, por meio da derrota, pôde compreender os erros do passado e enxergar melhor seu futuro. Já o segundo, com uma inesperada vitória, pôde reencontrar sua autoestima e identidade sem voltar a apelar à crueldade. Em termos práticos, isso viabilizou a reaproximação emocionante entre Robby e seu pai, Johnny Lawrence (William Zabka), bem como a volta do relacionamento entre Falcão e Moon (Hannah Kepple). Em análise a longo prazo, deve representar um grande reforço para a instável (mas cada vez mais concreta) aliança entre Lawrence e Daniel LaRusso (Ralph Macchio), agora contra Silver e o Cobra Kai.

A renovação dessa união — que tremeu na base ao longo de todo o quarto ano da série, mas voltou a funcionar na reta final do Torneio — deve se fazer essencial para o quinto ano da série, já gravado e em pós-produção. É porque a vitória do Falcão em nome do Miyagi Do não foi repetida por Samantha LaRusso (Mary Mouser) em peleja com Tory Nichols (Peyton List), o que garantiu que o Cobra Kai levasse mais uma vez o caneco mais cobiçado da série e, segundo aposta firmada entre LaRusso, Lawrence e Kreese, tirasse de circulação tanto o velho dojô do saudoso Mestre Miyagi (Pat Morita), quanto o recém-criado Presa da Águia. Há polêmica a caminho, entretanto, já que a própria Tory viu que sua vitória só foi viabilizada porque Silver pagou o árbitro para que esse manipulasse o resultado da final.

É de se esperar que, até pelo próprio orgulho como lutadora, a jovem defensora das cores do Cobra Kai eventualmente deixe escapar a informação para alguém dos dojôs rivais, viabilizando que a quinta temporada prove que tanto o Myiagi Do quando o Presa da Águia também seguem o lema dos lutadores de preto e amarelo e "nunca morrem". Outra ajuda que deve dar força a LaRusso e Lawrence contra Silver é o retorno do antigo vilão de Karate Kid 2 - A Hora da Verdade Continua (1986), Chozen Toguchi (Yuji Okumoto), agora um aliado e também aluno do estilo de karatê praticado pelo velho Mestre. Considerando que nunca esteve tão telegrafado o aguardado retorno do outro vilão de Karate Kid 3 - O Desafio Final (1989), Mike Barnes (Sean Kanan), à série e à vilania (Silver promete que irá buscar pessoas de confiança pare ficarem ao seu lado), esse será o tipo de reforço essencial para dentro e fora do tatame.

Falando no futuro da série para além das lutas, a relação entre Lawrence e Carmen (Vanessa Rubio) deve ficar estremecida depois que Miguel Diaz (Xolo Maridueña) optou por abandonar as finais do All Valley e partir para o México, em busca de seu pai. Desse susto, bem como da reaproximação a Robby, é esperado que Lawrence finalmente entenda que seu histórico com o filho biológico não deve ser o que o motiva a querer ser um pai para Miguel, assim como Miguel deve entender a natureza da sua relação com o sensei para além da ausência do pai. No meio de tudo, só o tempo mostrará como a mãe do garoto reagirá ao turbilhão de emoções que esse mergulho no passado trará para ela e para a relação entre os três.

E, falando em relações entre personagens, Amanda LaRusso (Courtney Henggeler) terá de enfrentar tempos sombrios na casa da sua família, com Samantha (Mary Mouser) e Daniel ainda sofrendo pela derrota no All Valley e principalmente Anthony (Griffin Santopietro) tendo se revelado um valentão no colégio. O mais jovem membro de família deve ter destaque crescente no quinto ano da série, levando adiante sua rivalidade com Kenny (Dallas Dupree Young), que se uniu a Cobra Kai e virou o jogo no último episódio da quarta temporada, espancando seu antigo agressor.

Entre o desenvolvimento desses dois jovens personagens e da também novata Devon (Oona O'Brien), o ano vindouro de Cobra Kai deve focar na etapa final da rivalidade entre Daniel e Johnny, já preparando para encerrar esses arcos que vêm se arrastando desde seu início para ou continuar a série em novos ares, ou chegar ao fim em grande estilo. De qualquer forma, o que vier por aí nos próximos 10 episódios certamente não será um final definitivo, já que sabemos que a série só estará dentro dos planos de término dos showrunners a partir da sexta temporada.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.