Mangás e Animes

Notícia

Bokutachi no Remake: O egoísmo de viagens no tempo

Shinoaki realmente foi a maior vítima de Kyouya Hashiba

Diego Lima
02.10.2021
10h00

Kyouya Hashiba é um jovem adulto bastante frustrado no começo de Bokutachi no Remake (ou Remake Our Life, como consta na Crunchyroll). Histórias em que o protagonista tem uma segunda chance para mudar as escolhas que fez ao longo da vida não são raras, longe disso. Contudo, esse anime é surpreendentemente competente na hora de mostrar como isso pode ser injusto com outras pessoas. Principalmente, quando olhamos para Shinoaki. Spoilers abaixo.

Kyouya em Bokutachi no Remake.

Kyouya em Bokutachi no Remake.

Crunchyroll

Lá no primeiro episódio, é quase impossível não simpatizar com Kyouya. Vemos que ele é uma pessoa extremamente esforçada e talvez até talentosa, mas o personagem principal simplesmente não tem sorte. Tanto na história quanto na vida real, esse é um fator importante para atingirmos certos objetivos. Trabalhar é fundamental, obviamente, mas há quem simplesmente nunca tenha aparecido no lugar certo e na hora certa. Esse é o caso do protagonista.

Ele sempre quis trabalhar com entretenimento. Jogos, especificamente. Entretanto, Kyouya não confiava muito nas próprias habilidades. Se afastando de uma carreira arriscada na indústria da qual queria fazer parte, o personagem tentou seguir um rumo mais tradicional e acabou desempregado. Parecia não haver saída... Até que ele voltou no tempo, para a época em que passou em duas faculdades: a de artes e a de administração.

Grupo completo de Bokutachi no Remake.

Da esquerda para a direita: Shinoaki, Tsurayuki, Kyouya e Nanako.

Crunchyroll

Você já deve imaginar o que acontece a partir desse momento. Um tanto incrédulo com essa chance surreal, Kyouya decide refazer a própria vida de maneira que as escolhas dele levem a um futuro melhor do que aquele que conhecemos.

Aliás, coincidentemente, ele vai parar na mesma república em que moram três estudantes com um futuro brilhante pela frente: a cantora Nanako Kogure (N@NA), o escritor Tsurayuki Rokuonji e a ilustradora Aki Shino (Shinoaki). Esses três personagens fazem parte de um grupo conhecido como Geração Platina na linha do tempo do presente de Bokutachi no Remake. Shinoaki, inclusive, era uma das artistas favoritas do protagonista, quando ele ainda estava preso na vidinha mundana que levava.

Shinoaki e Kyouya.

Melhor cena? Sim ou com certeza?

Crunchyroll

De maneira inocente, Kyouya decide se aproveitar da bagagem extra que possui em comparação com os novos colegas para liderá-los em uma série de projetos. Ele sabe que aquelas pessoas são brilhantes e se sente até pressionado por isso, mas mantém a postura de estudante "mais velho", assumindo a frente em uma série de trabalhos da faculdade.

Surge um problema, entretanto: as ações de Kyouya levam a um futuro no qual, como vemos muitos episódios à frente, apenas ele se deu bem. O grande escritor Tsurayuki se tornou um anônimo. A cantora N@NA se tornou apenas mais uma pessoa que posta vídeos na internet cantando... E Shinoaki se casou com Kyouya, abandonando a própria carreira como ilustradora.

Shinoaki adulta.

Shinoaki adulta no futuro distópico.

Crunchyroll

É uma mensagem simples e, ao mesmo tempo, um belíssimo tapa na cara. Na tentativa de corrigir o próprio futuro, Kyouya destruiu as vidas daqueles que um dia admirou. Ele se tornou referência na empresa em que começou a trabalhar, enquanto os demais caíram na mediocridade. É deprimente ver Shinoaki, especificamente, reduzida a uma coadjuvante da vida de Kyouya, sendo que ela era quem o inspirava na linha do tempo do presente de Bokutachi no Remake.

Essa realidade quase distópica pode gerar um profundo desconforto nos espectadores mais atentos. Afinal, não apenas tendemos a torcer por Kyouya como, provavelmente, faríamos exatamente o que ele fez se tivéssemos a chance. É difícil não se envergonhar ao menos um pouco quando a ficha cai.

Kyouya chorando em Bokutachi no Remake.

Pelo menos o Kyouya se arrependeu.

Crunchyroll

"Por que não compus aquela música tão simples?"
"Por que não escrevi o roteiro daquele filme pipoca?"
"Por que não executei essa ideia que tive antes?"

Se você já fez alguma dessas perguntas a si mesmo, sabe do que estamos falando. Kyouya passou mais tempo questionando decisões sobre as quais já não tinha controle do que imaginando novas soluções para a situação na qual se encontrava. Ele já não conseguia enxergar além do passado (alô, Spike). Tanto que só encontrou uma solução por meio de uma trapaça extremamente egoísta; algo que muitos de nós podemos até invejar, mas a ideia da obra é justamente o contrário.  

Kyouya admirando o trabalho de Shinoaki.

Kyouya, no presente, admirando o trabalho de Shinoaki.

Crunchyroll

No final das contas, a intenção do autor Nachi Kio parece ser nos mostrar que, caso Kyouya tivesse abraçado aquela única oportunidade que deixou passar, a vida dele teria, naturalmente, seguido um rumo mais feliz. E, se não temos a possibilidade de voltar no tempo na vida real, o que podemos fazer é prestar atenção no que surge em nosso caminho a todo momento. Se conformar, simplesmente, nunca pode ser uma opção. Pensando agora, parece papo de coach, né? Mas, tudo bem, ainda é uma ideia válida.

Em futuras temporadas, Kyouya provavelmente tentará encontrar maneiras de salvar o próprio futuro preservando as carreiras dos colegas. Entretanto, até que isso aconteça, é absolutamente compreensível sentir um pouco de raiva do protagonista de Bokutachi no Remake pelo breve período em que fez Shinoaki ser apenas o suporte de um ser humano que teve uma oportunidade mágica. Aliás, se você ainda não assistiu, assista. São apenas 12 episódios, e é uma das melhores histórias da temporada de verão.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.