Wagner Moura em Sergio

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Filmes

Notícia

The Grey Man: Wagner Moura elogia Irmãos Russo e Ryan Gosling

Superprodução da Netflix conta ainda com Chris Evans e Ana de Armas

Eduardo Pereira
11.11.2021
14h00

Depois de Narcos (2015) e Sergio (2020), a próxima colaboração de Wagner Moura junto à Netflix será a superprodução The Grey Man. Anunciado como o filme mais caro da história do streaming, esse longa dirigido pelos Irmãos Joe e Anthony Russo (Vingadores: Ultimato) unirá o ator e diretor brasileiro a Ryan Gosling, Chris Evans e Ana de Armas, entre outras estrelas mundiais.

Em conversa com o Omelete, Moura comentou como foi trabalhar ao lado dos diretores e de Gosling, com quem compartilha mais tempo de cena. "Adorei trabalhar com os irmãos Russo. Dois caras massa", disse. "É engraçado ver a dinâmica deles no set, como eles se completavam. Sou muito fascinado nisso de irmão, irmão que trabalha junto. E esses caras têm uma dinâmica muito interessante. São gentilíssimos, muito abertos ao que os atores estão trazendo, então deram muito liberdade".

Segundo Moura, que não revelou maiores detalhes sobre seu papel na trama, ele pôde construir "um personagem doido, e eles adoraram, acharam o maior barato". Sobre Ryan Gosling, choveram elogios. "É um cara super querido, elegante. Educado, canadense fino. E um ator que eu adoro. Então eu adorei. Em cena, ele está muito vivo, muito atento. E como os Russo davam muita liberdade, joguei um bocado de maluquice pra cima dele e ele sempre de boa, respondia. Daquele jeito, com o melhor que há na atuação, que é o jogo bom. Gostei demais de trabalhar com ele", afirmou.

The Gray Man será baseado no livro de Mark Greaney de 2009, que acompanha a história de Court Gentry, o homem cinza do título, ex-agente da CIA conhecido como um insuperável assassino de aluguel. A trama do filme trará Gentry (Gosling) sendo caçado pelo mundo todo por Lloyd Hansen (Evans), um ex-colega da CIA.

Anthony Russo, que dirige o filme ao lado do seu irmão Joe, adiantou o tom intenso da obra: "Para quem é fã de Capitão América: O Soldado Invernal, nós estamos indo a fundo naquela pegada de ambientação".

Uma adaptação de The Gray Man está em desenvolvimento há quase uma década, mas antes estava nas mãos da New Regency, e traria Brad Pitt e James Gray nos papéis principais. Essa versão ficou estagnada, e passou para as mãos dos Irmãos Russo, que tocam o projeto há alguns anos sem muito alarde. A ideia agora é transformar em uma franquia, com o retorno de Gosling garantido para mais filmes. Ainda não há previsão de estreia para The Gray Man

Enquanto isso, Moura divulga seu primeiro filme como diretor: Marighella, que traz Seu Jorge no papel do guerrilheiro Carlos Marighella, estreou em 4 de novembro, 52 anos depois dele, uma das principais figuras de oposição contra a ditadura militar, ser assassinado.

Anteriormente, o filme, que conta ainda com Adriana EstevesBruno Gagliasso e Herson Capri, estava marcado para estrear em abril de 2021, mas o plano foi adiado por causa da pandemia do coronavírus. Um adiamento prévio, em 2020, é atribuído por Moura a uma censura do governo federal via a Agência Nacional do Cinema (Ancine).

Marighella passou por vários festivais, inclusive o Festival de Berlim, onde estreou sob aplausos. O filme narra a vida do guerrilheiro em dois momentos, um em 1964 e outro entre 1968 e 1969, quando ele morreu em uma emboscada executada por policiais, na época da ditadura militar.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.