Cruella | Jenny Beavan é deixada de fora de licenciamento de linha de roupas

Créditos da imagem: Disney/Divulgação

Filmes

Notícia

Cruella | Jenny Beavan é deixada de fora de licenciamento de linha de roupas

Figurinista ganhadora do Oscar assina o design dos espetaculares vestidos do filme

Eduardo Pereira
02.06.2021
19h59
Atualizada em
02.06.2021
20h15
Atualizada em 02.06.2021 às 20h15

Um dos maiores trunfos de Cruella, o mais novo lançamento das adaptações live action de clássicos Disney sobre a vilã de Os 101 Dálmatas, é o figurino espetacular desenhado pela ganhadora do Oscar Jenny Beavan. Só que o trabalho da figurinista e o tratamento dado a ela pelo estúdio estão no centro de uma polêmica trabalhista.

Segundo reportagem da Variety, Beavan, que desenhou todos os vestidos usados por Emma Stone e Emma Thompson no filme dirigido por Craig Gillespie, ficou de fora do licenciamento, desenvolvimento e lançamento de uma linha de roupas inspirada na produção. A exclusão provocou revolta não só em colegas de trabalho, como no sindicato de figurinistas de Hollywood, que está denunciando "práticas injustas" contra a profissional.

"Eu fiquei horrorizada", disse Beavan sobre o momento em que descobriu, pelo Instagram, que a Disney havia licenciado uma coleção oficial de roupas sem incluí-la nas conversas. "A coisa sobre Cruella é que o filme é sobre moda, sobre duas estilistas. Toda a história é sobre elas quase entrando em guerra usando a moda. Então, é muito desrespeitoso eles lançarem uma linha de roupas [sem a participação dela]", afirmou.

Ainda de acordo com a Variety, a Disney não se pronunciou sobre o ocorrido. Ganhadora de dois Oscars (por Uma Janela para o Amor, de 1985, e Mad Max: Estrada da Fúria, de 2015) e indicada por mais oito, Beavan não é a primeira estilista "esquecida" por um estúdio na hora de vender mercadorias licenciadas. Uma série de roupas oficiais de Aves de Rapina, da Warner, lançada no ano passado, não creditou ou envolveu em nada a figurinista do filme, Erin Benach.

Craig Gillespie, diretor de Eu, Tonya, comanda Cruella, com roteiro de Tony McNamara. Stone é a protagonista do filme, que é focado nas origens da personagem durante a década de 1980 e traz Thompson como a antagonista. Glenn Close, que foi a Cruella nos filmes anteriores, é produtora-executiva dessa nova versão. O filme pode ser assistido no Disney+ pelo Premier Access, em que o usuário paga um valor além da assinatura para acessar o conteúdo.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.