Gal Gadot em arte de Mulher-Maravilha 1984

Créditos da imagem: Warner Bros./Divulgação

Filmes

Notícia

Patty Jenkins quase abandonou negociações para dirigir Mulher-Maravilha 1984

Diferença salarial para colegas homens que trabalham na indústria incomodou diretora

Nicolaos Garófalo
17.12.2020
23h12

Principal estreia do final de 2020, Mulher-Maravilha 1984 estreou com uma reação positiva dos críticos, que elogiaram a diretora e roteirista Patty Jenkins por seu trabalho no longa. A cineasta, no entanto, quase não retornou para a sequência. Em uma entrevista para o podcast Happy Sad Confused, Jenkins afirmou que, antes de Mulher-Maravilha, os estúdios costumavam ter vantagens em negociações de contrato, já que ela “nunca lucrou na carreira”.

É fácil ver que todos os homens que não só tiveram mais oportunidades, mas eles faziam um filme independente e [já conseguiam trabalho em] em filme de super-herói. Eles ganhavam sete vezes mais do que eu para fazer seu primeiro filme de herói”, disse Jenkins. A repercussão do Mulher-Maravilha original, no entanto, facilitou as negociações. “[Protestar] foi interessante, mas foi fácil, porque eu estava falando muito sério”.

Se eu não for vitoriosa nisso, vou decepcionar todo mundo. Se não eu, quem? Então eu fiquei muito, muito focada nisso”, completou a cineasta.

Mulher-Maravilha 1984 conta com o retorno da diretora Patty JenkinsGal Gadot e Chris Pine, mas também inclui Pedro Pascal e Kristen Wiig como nova dupla de vilões.

O longa já está em cartaz nos cinemas brasileiros. Lá fora, o filme passa nas telonas e também no streaming HBO Max, ainda indisponível na América Latina.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.