Séries e TV

Artigo

O que a Crise nas Infinitas Terras pode trazer ao Arrowverse

Crossover da CW começa a ser transmitido no próximo dia 8

Nicolaos Garófalo
04.12.2019
12h29

Inspirado no primeiro grande retcon da DC Comicscrossover que tentou resolver os inúmeros problemas e buracos das linhas do tempo da editora -, a Crise nas Infinitas Terras na TV é visto como o maior evento até hoje do Arrowverse, nome dado ao universo compartilhado pelas séries de super-herói da CW. O evento incluirá Arrow, The Flash, Supergirl, Legends of Tomorrow e Batwoman, além da participação especial de Raio Negro. Nos Estados Unidos, o seriado também é transmitido pela CW (aqui, a exibição é responsabilidade da Netflix), mas sua continuidade não faz parte do Arrowverse. Tal mistura deve trazer enormes mudanças para o universo televisivo da DC.

Assim como a HQ de 1986 escrita por Marv Wolfman e George Pérez, dupla conhecida por criar os Novos Titãs, a Crise da CW mostrará o Monitor (LaMonica Garrett) e a Precursora (Audrie Marie Anderson) unindo os maiores heróis e vilões do multiverso na tentativa de impedir os avanços do Anti-Monitor (também vivido por Garrett), que se alimenta da destruição de mundos. Caberá então ao Arqueiro Verde (Stephen Amell), Flash (Grant Gustin), Supergirl (Melissa Benoist), Superman (Tyler Hoechlin), Batwoman (Ruby Rose) e as Lendas do Amanhã, lideradas por Canário Branco (Caity Lotz) e Átomo (Brandon Routh), enfrentar a misteriosa entidade que ameaça destruir inúmeros universos.

Há três décadas, a Crise trouxe inúmeras consequências à continuidade da DC Comics. As principais, obviamente, foram as mortes de Supergirl/Linda Danvers e Flash/Barry Allen, nas sétima e oitava edições da minissérie, respectivamente, e a destruição de diversas realidades paralelas da editora, como a Terra-2, universo do Superman original, unindo as diversas linhas temporais da DC em uma só. Além disso, personagens como Shazam e Questão, adquiridos da Fawcett e da Charlton, se tornaram parte integral da linha editorial da DC.

Na TV, o crossover deve ter o mesmo impacto, mas utilizando os personagens adaptados pela CW. No último evento do Arrowverse, Oliver Queen/Arqueiro Verde fez um acordo com o Monitor para evitar as mortes de Kara/Supergirl e Barry/Flash, dando a própria vida para salvar os outros heróis. Com a confirmação do derivado de Arrow focado em Mia (Katherine McNamara) e nas Canários Negros Laurel (Katie Cassidy) e Dinah (Juliana Harkavy), seu destino deve ser similar ao do Corredor Escarlate nas HQs, se sacrificando em meio à batalha, deixando seu manto para sua filha.

A destruição de mundos ainda deve causar a grande união das várias Terras apresentadas dentro e fora do Arrowverse. A Terra-38, lar da Supergirl, deve se unir à Terra-1, cenário das quatro outras produções da CW, assim como o universo do Raio Negro que, pela primeira vez, terá sua existência reconhecida por outros personagens da DC na emissora. Essa junção permitirá que crossovers de menor escala, como “Worlds Finnest”, que introduziu o conceito de multiverso em 2016, ou os episódios musicais de Supergirl e The Flash, de 2017, aconteçam com mais frequência e quebrem o ritmo de monotonia que assombra as longas séries dramáticas americanas.

Como já é costume das séries da CW, Crise prestará homenagem a outras produções live-action inspiradas em personagens da DC, mas desta vez reconhecendo como cânone Batman (1989), Smallville (2001-2011), a franquia Superman de Richard Donner e outras, além trazer o Batman de Kevin Conroy, dublador de longa-data do Cavaleiro das Trevas, para atuar como o Bruce Wayne no especial. Dessa maneira, o crossover expande de maneira única na TV a sensação de multiverso, já que especiais anteriores apenas reaproveitavam atores e personagens já estabelecidos no Arrowverse. Apesar de a perspectiva ser baixa, a inclusão dessas outras propriedades na franquia televisiva abre portas para que participações especiais de personagens e atores queridos por fãs retornem no futuro, como John Wesley Shipp faz com certa frequência em The Flash ou Terence Stamp fazia em Smallville.

Evento máximo do Arrowverse até agora, Crise nas Infinitas Terras encerrará os arcos de diversos personagens – como Oliver, John (David Ramsey) e Lyla/Precursora -, mas criará uma base sólida para que, pelo menos a médio prazo, novas produções televisivas inspiradas na DC (com exceção daquelas que forem desenvolvidas para o DC Universe ou HBO Max) possam ser introduzidas em um universo já estabelecido, maduro e com fundação e público sólidos. Ao que parece, o crossover, assim como nos quadrinhos, criará uma forte linha narrativa a ser seguida por futuras séries da CW baseadas em personagens da DC Comics, com todas dividindo a mesma Terra.