Billie Lourd e Carrie Fisher em O Despertar da Força

Créditos da imagem: Lucasfilm/Divulgação

Filmes

Notícia

Star Wars | Billie Lourd fala de relação com Princesa Leia em artigo

Filha de Carrie Fisher tinha problemas para aceitar o estrelato da mãe

Nicolaos Garófalo
08.11.2019
00h15

Hoje atriz da série American Horror Storie e parte da Resistência na nova trilogia de Star Wars, Billie Lourd nem sempre quis seguir os passos da mãe, a lendária Carrie Fisher e eterna Leia Organa. Em um artigo à revista Time, Lourd afirma ter crescido com três pais: Fisher, Bryan Lourd e Leia – uma madrasta que ela não gostava.

No texto, a atriz disse ter evitado o quanto pôde assistir os filmes da mãe, chamando-os de barulhentos e pedindo para que a TV fosse desligada sempre que a trilogia original de Star Wars estava passando. Foi só quando os chegou à adolescência e seus amigos disseram fantasiar com sua mãe, que Lourd decidiu ver por que Leia causava tanto barulho na cultura pop.

A atriz diz ter criado um carinho maior pela mãe e seu trabalho depois de assistir os primeiros filmes da saga criada por George Lucas e entendeu que mulher e personagem eram basicamente uma só pessoa, começando então a acompanhar Fisher a eventos como a San Diego Comic-Con e, eventualmente, sendo escalada como Tenente Connix em O Despertar da Força.

Segundo Lourd, a mãe estava extremamente animada com os planos para A Ascensão Skywalker, pois o Episódio IX seria o seu filme. Depois da morte da mãe, o diretor J.J. Abrams chamou Lourd em sua sala para informá-la que não queria encerrar o arco de Leia durante o texto de abertura do filme, preferindo usar materiais existentes da atriz para criar uma trama satisfatória.

Na conclusão de seu texto, a atriz diz não ver mais a General Leia como uma madrasta, mas sim como um anjo da guarda.