Simon Pegg em Star Trek: Sem Fronteiras/Paramount

Créditos da imagem: Paramount Pictures/Divulgação

Filmes

Notícia

Star Trek | Simon Pegg revela obstáculo emocional para retornar à franquia

Ator diz que morte de Anton Yelchin foi um golpe no entusiasmo do elenco dos novos filmes

Nicolaos Garófalo
20.05.2020
00h47

Uma das vozes mais ativas do reboot cinematográfico de Star Trek, Simon Pegg afirmou que ainda mantém contato com seus colegas de elenco, mas que não vê entusiasmo para retornar ao universo de Kirk, Spock e companhia. Segundo o ator, a morte de Anton Yelchin, em 2016, afeta a vontade do grupo em voltar à franquia (via Bleeding Cool).

Acho que tirou nossa motivação e entusiasmo para fazer mais um [filme], simplesmente porque falta um membro na nossa família”, disse Pegg, que sabe que a ausência de Yelchin e do personagem Pavel Chekov seria sentida pelo público.

Embora nem ele nem seus colegas pressionem a Paramount para fazer um quarto filme acontecer, o ator disse acreditar que o elenco se reuniria se o estúdio pedisse. “Se disserem ‘queremos fazer outro filme’, tenho certeza que todos agarrariam a chance”, afirmou Pegg, dizendo não saber nada sobre o projeto de Noah Hawley (Legion)para a franquia.

Reforçando a incerteza sobre o futuro de Star Trek nos cinemas, Pegg disse também que hoje em dia é mais seguro para os estúdios focar em franquias mais certas, como o MCU. “O apelo de Star Trek é um pouco menor que o da Marvel, por exemplo, que faz montes de dinheiro, atinge vários públicos e vai muito, muito bem”. Para o ator, a série está a salvo na TV, onde conta com as produções Picard, Discovery e, em breve, Strange New Worlds.

O último Star Trek a chegar aos cinemas foi Star Trek: Sem Fronteiras, de 2016. Dirigido por Justin Lin, o filme fez US$ 343 milhões nas bilheterias mundiais.