Wi Ha-Joon em cena de O Romance da Meia-Noite em Hagwon (Reprodução)

Créditos da imagem: Wi Ha-Joon em cena de O Romance da Meia-Noite em Hagwon (Reprodução)

Séries e TV

Entrevista

Após 1º protagonista romântico, Wi Ha-joon quer ser vilão: “Sinto que cresci”

Ator de Round 6 e O Romance da Meia-Noite em Hagwon falou ao Omelete sobre o salto na carreira

Omelete
3 min de leitura
05.07.2024, às 06H00.

O Romance da Meia-Noite em Hagwon foi uma experiência nova para o super astro sul-coreano Wi Ha-joon. Após a explosão global com o fenômeno Round 6, o ator encarou o seu primeiro protagonista romântico no k-drama, que veio para o Brasil através do streaming especializado Rakuten Viki (assista aqui). Em entrevista ao Omelete, Wi falou sobre esse desafio - e também sobre os próximos que quer assumir.

Foi um pouco diferente poder mostrar o processo de se apaixonar”, refletiu ele. “Antes [como costuma acontecer com personagens coadjuvantes no mundo dos k-dramas], eu quase sempre estava na posição de amor não correspondido, ou observando de longe. Acima de tudo, foi ótimo poder compartilhar meus sentimentos com outra pessoa em cena. Me senti menos só, e por isso fui mais feliz nas filmagens”.

A boa companhia em questão, é claro, foi Jung Ryeo-won, que interpreta a protagonista feminina de O Romance da Meia-Noite em Hagwon. Os dois personagens se conhecem inicialmente como professora e aluno em um ambiente universitário, mas só se apaixonam anos e anos depois, quando se reencontram como colegas de trabalho.

Conversei muito sobre o roteiro e o personagem com minha colega Ryeo-won”, comentou Wi ao Omelete, com a humildade característica dos astros de k-dramas. “E também discuti muito com o diretor, é claro, para captar as emoções do personagem. Foi uma experiência muito agradável e descontraída, e acho que me diverti muito filmando porque a equipe e os colegas atores cuidaram bem de mim”.

Jung também foi só elogios ao companheiro de cena: “Ele é um ator tão sólido e confiável que, apesar de estarmos separados por dez anos, você realmente não sente a diferença de idade. No set, conversamos muito sobre os conflitos entre os personagens, mas no final foi fácil focar no fato de que é apenas uma história sobre crescimento”.

A experiência enriquecedora no novo k-drama, no entanto, não significa que Wi Ha-joon está entrando em sua era “galã romântico”. Quando o assunto é o futuro, ele cita a vontade de tentar sotaques diferentes - a referência dada por ele é o thriller policial Novo Mundo, de 2013, onde atores como Hwang Jung-min interpretam personagens que usam um dialeto que mistura chinês e coreano.

Eu também sou da região onde se passa o filme, e me lembro de imitar muitas palavras [do dialeto] Jeolla, então gostaria de assumir um papel que tivesse algum sotaque muito forte, acho que faria isso bem”, comentou. Este projeto me deu muita inspiração, como ator, muita energia positiva e confiança. Sinto que cresci muito como ator.

Também há, é claro, a vontade de caminhar um pouco pelo lado sombrio: “Acho que seria divertido interpretar um papel malvado e carismático”. Dizem que os vilões se divertem mais, não é mesmo, Wi Ha-joon?

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.