Senhora do Destino/Lost/Drake & Josh

Créditos da imagem: Globo/ABC/Nickelodeon/Divulgação

Séries e TV

Lista

Séries que completam 20 anos em 2024

E aí, já contou seus cabelos brancos hoje?

Omelete
2 min de leitura
18.01.2024, às 18H48
ATUALIZADA EM 01.02.2024, ÀS 19H14
ATUALIZADA EM 01.02.2024, ÀS 19H14

Já parou para pensar quantas séries incríveis nos agraciaram só no século XXI? As duas últimas décadas viram programas extremamente influentes serem lançados ano a ano e é inegável que 2004 viu alguns dos títulos mais queridos de todos os tempos estrearem nas telinhas.

De procedurais médicos a mistérios empolgantes, passando por novelas premiadas e adaptações animadas de alguns dos maiores personagens dos quadrinhos, confira os programas televisivos que completam 20 anos em 2024:

Lost

Criada por JJ Abrams, Damon Lindelof e Jeffrey Lieber, Lost foi provavelmente a série mais comentada a ser lançada em 2004. Semana a semana, o programa trazia um novo capítulo para seu delicioso suspense central, com os espectadores criando diversas teorias para o significado da estadia de Jack (Matthew Fox) e companhia na ilha misteriosa.

Infelizmente, Lost foi se perdendo (desculpa) ao longo dos anos e seu final, transmitido em 2010, segue tão polêmico hoje quanto quando foi ao ar. Mas se formos pensar que uma série encerrada há 14 anos segue sendo discutida por fãs, sites e membros da indústria, isso só comprova o quão presente a série é no dia a dia do público desde que estreou.

Disponível para streaming no Star+

House

Inspirado pelas histórias de Sherlock Holmes assinadas por sir Arthur Conan Doyle, David Shore criou a versão médica do detetive mais famoso da cultura pop. Em House, o personagem titular é um brilhante — e arrogante — médico especialista em diagnósticos que comanda uma equipe de elite em um hospital privado. Interpretado por Hugh Laurie, o protagonista é acionado em casos extremos e aparentemente sem solução e, assim como sua contraparte literária, parece se interessar mais em resolver o mistério que o cerca (no caso, o que está matando seu paciente) do que em salvar a vida que tem em mãos.

Apesar de uma derrapada triste em suas temporadas finais, House foi um grande sucesso ao longo dos oito anos em que ficou no ar e ajudou a solidificar carreiras como as de Olivia Wilde, Kal Penn, Odette Annable e até Lin-Manuel Miranda. Após a série, Laurie seguiu como um dos nomes mais procurados da indústria, abrindo caminho para suas atuações em VEEP, Catch-22, The Night Manager, Avenue 5 e Toda Luz que Não Podemos Ver

Disponível para streaming no Globoplay e no Prime Video

Liga da Justiça Sem Limites

Seguindo os eventos de Liga da Justiça, Liga da Justiça Sem Limites foi a grande expansão do universo animado da DC Comics comandado por Bruce Timm e Paul Dini. Com roteiros do saudoso Dwayne McDuffie, o desenho trouxe vários personagens, conhecidos ou não, da editora para as telinhas e explorou com profundidade as relações de seus heróis principais, influenciando, e muito, a maneira como grandes produções do gênero eram escritas daquele momento em diante.

Embora tenha durado apenas três temporadas, Liga da Justiça Sem Limites ainda é vista como a melhor adaptação dos Maiores Super-Heróis Do Mundo, título que as duas versões meia-boca do filme lançado pela Warner apenas sonharam em alcançar.

Disponível para streaming na HBO Max

Senhora do Destino

Mande notícias do mundo de lá, diz quem fica.” Eu sei que só de ler essas palavras você já está com o tema de abertura do premiado novelão Senhora do Destino na cabeça e pensando nas várias vítimas que a Nazaré de Renata Sorrah fez com uma escada e um par de tesouras. Escrita por Aguinaldo Silva e com direçãogeral de Wolf Maya, a novela “das oito” alcançou uma média de 50 pontos no Ibope ao longo de seus mais de 220 episódios, estabelecendo-se como a novela brasileira mais vista dos anos 2000.

20 anos depois, Senhora do Destino segue presente no imaginário popular, também graças às reprises no Vale a Pena Ver de Novo. Nazaré, por exemplo, virou meme internacional, enquanto a abertura da novela se tornou uma das mais parodiadas por humoristas nacionais desde sua estreia.

Disponível para streaming no Globoplay

Rebelde

Inspirada no folhetim argentino Rebelde Way, Rebelde tomou o mundo de assalto com seus protagonistas bonitões que cantavam algumas das músicas mais chiclete das últimas décadas. Sucesso absoluto na América Latina, a novela mexicana foi para os pré-adolescentes da época o que Senhora do Destino foi para os adultos, influenciando a moda e a música do território pelo menos até o fim da década de 2000.

Depois de muito tempo considerando a novela um guilty pleasure, os fãs de Rebelde tiveram sua redenção nos últimos anos, com o RBD, grupo formado pelos atores/cantores do elenco, voltando à ativa e saindo na turnê Soy Rebelde Tour. Em 2023, o conjunto se apresentou oito vezes no Brasil, seis delas só em São Paulo. Nada mal para uma novela importada transmitida fora do horário nobre.

Disponível para streaming no Globoplay

Bleach

Apesar de divisivo entre os otakus, Bleach é, sem dúvida, um dos animes mais marcantes do século XXI. Adaptando o mangá de Tite Kubo, a animação segue Ichigo, um colegial que, após ser salvo por uma ceifadora de almas, se torna ele mesmo um ceifador e passa a enfrentar espíritos malignos com a ajuda de outros jovens com capacidades similares.

Transmitida originalmente de 2004 a 2012, Bleach voltou às telinhas em 2022 com a primeira parte d’A Guerra Sangrenta dos Mil Anos, adaptação do arco final do mangá. Em 2024, a terceira parte da história será lançada, concluindo a aventura iniciada 20 anos atrás.

Disponível para streaming no Star+

Drake & Josh

A história dos garotos completamente diferentes forçados a conviver ao se tornarem irmãos adotivos é, em minha modesta opinião, uma das melhores produções live-action já produzidas pela Nickelodeon. Drake & Josh era a típica série que tinha um pouco para todo mundo e que praticamente todo adolescente (homem e hétero) conseguia se identificar. Mais do que apenas uma comédia odd couple, a produção tinha momentos tocantes e que exploravam os problemas e alegrias da vida familiar.

De lá para cá, a relação dos atores protagonistas, Josh Peck e Drake Bell, se desgastou de forma extrema e nenhum dos dois chegou a atingir a popularidade da época da série, embora Peck tenha integrado o elenco de Oppenheimer. Bell, por outro lado, se manteve nos holofotes, mas pelos motivos errados. Ao longo da última década, o ator e cantor foi acusado de abuso físico e psicológico e de pedofilia por uma ex-namorada, foi considerado culpado de ter conversas de cunho sexual com menores de idade e chegou a ser dado como desaparecido no começo de 2023.

Disponível para streaming no Paramount+

Da Cor do Pecado

Reynaldo Gianecchini em dobro, Rosi Campos como a matriarca (ou melhor, mamuska) de uma família de lutadores e Taís Araújo se estabelecendo como uma das grandes protagonistas da Globo para os anos seguintes. Apoiada nessa receita, Da Cor do Pecado ficou marcada como mais um sucesso da Globo em 2004, batendo uma média de 43 pontos, a maior entre as novelas das sete dos anos 2000.

Até hoje um dos folhetins mais adorados do público, Da Cor do Pecado voltou às telinhas diversas vezes pelo Vale a Pena Ver de Novo e pelo canal Viva, sempre acumulando bons números de audiência para sua faixa horária.

Disponível para streaming no Globoplay

Veronica Mars

Série responsável por colocar Kristen Bell em nossas vidas, Veronica Mars era a típica produção jovem do começo do século da CW que misturava gente bonita, suspense, drama novelesco e um elenco absurdamente carismático para prender o público. Criada por Rob Thomas, a série acompanhava a jovem personagem-título se tornando uma incrível detetive ao ajudar seu pai, um investigador particular, quando não estava no colégio. Embora tenha durado apenas três temporadas em sua exibição original, o programa se tornou um verdadeiro clássico cult e deu origem a um filme em 2014 e uma nova temporada, transmitida pelo Hulu em 2019.

O revival de Veronica Mars, infelizmente, não atraiu a mesma atenção que as primeiras temporadas da série e foi rapidamente cancelado. Ainda assim, o título segue adorado entre os fãs e foi, até o fim de The Good Place, a atuação definitiva de Bell na TV.

Disponível para streaming no Prime Video apenas até a terceira temporada

The L Word

Com um retrato até então nunca antes visto da vida de mulheres LGBTQIA+, The L Word foi um grande marco na história da representatividade na TV. Além de ser a primeira série hollywoodiana estrelada por um grupo de mulheres lésbicas e bissexuais, o programa também foi muito elogiado em suas primeiras temporadas por mostrar a vida de suas protagonistas sem cair em tropos e estereótipos ofensivos. Apesar de sua grande influência na forma como personagens lésbicas eram tratadas na TV, o seriado foi perdendo a força em seus anos finais, eventualmente reproduzindo alguns dos discursos fetichistas do qual fugiu em seu começo.

Apesar dos pesares, a importância de The L Word para a representatividade lésbica e bissexual na TV não pode ser ignorada, e a série ficará para sempre marcada como pioneira na forma de contar histórias LGBTQIA+.

Menções honrosas

Dave, O Bárbaro
Disney Channel/Reprodução

E para quem acha que faltaram mais sucessos em 2004, não se engane! A Nickelodeon, por exemplo, lançou outra série gigante naquele ano: Manual de Sobrevivência Escolar do Ned. Como muitas comédias infanto-juvenis da época, a série tinha uma energia caótica maravilhosa que conversava incrivelmente bem com seus personagens absurdos.

Ainda para o público pré-adolescente, vimos surgir Dave, o Bárbaro que, apesar de ter sido cancelada após apenas uma temporada, se tornou um queridinho cult de quem cresceu entre o fim dos anos 1990 e começo dos anos 2000. Ainda falando do público mais jovem, outro sucesso estarrecedor de 2004 é Peppa Pig, animação infantil que segue ajudando pais, irmãos, primos e avós a manterem os pequenos distraídos por alguns minutos.

2004 não foi um ano só para jovens, é claro! Desperate Housewives se tornou o grande novelão do prime time norte-americano, permanecendo no ar por oito temporadas. E também não podemos esquecer de Joey: Vida de Artista, derivado fracassado de Friends lançado poucos meses depois do fim da série original, transmitido no mesmo ano.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.