Imagem da série Invencível com os heróis Rex Splode, Eve Atômica, Invencível e Dupli-Kate

Créditos da imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

Séries e TV

Entrevista

Como Invencível se destaca entre as produções de super-heróis

Robert Kirkman, Gillian Jacobs e Zazie Beetz revelam ao Omelete o segredo do sucesso da animação

Gabriel Avila
27.04.2021
13h55

Se há um gênero que ganhou espaço no cinema e na TV nos últimos anos, certamente é o de super-heróis. Após uma explosão nos anos 2000, hoje eles são o carro chefe de estúdios, que investem em produções que vão desde o heroísmo tradicional como o Universo Marvel, até aqueles que chegaram para subverter tudo, como a série The Boys. Se por um lado investir em heróis é (quase) certeza de lucro certo, como fazer para se destacar em um mar de opções semelhantes? No caso de Invencível, a série animada do Amazon Prime Video, foi a aposta na combinação de uma história única e um elenco digno de grandes blockbusters.

Assim como muitas produções do gênero, Invencível (Invincible, no original) é baseada em uma HQ de sucesso. Seu criador é Robert Kirkman, que carimbou seu nome na história dos quadrinhos com The Walking Dead, revista que trouxe os zumbis de volta à moda e virou uma franquia gigantesca que explodiu em 2010 com a série de TV. Essa foi a primeira experiência de Kirkman com adaptações de sua obra - o que se tornaria um hábito tanto com as derivadas de TWD, quanto com Outcast, Superdinossauro e mais. Em uma entrevista coletiva virtual da qual o Omelete participou, o autor revelou como Invencível se destaca dentre obras inspiradas em suas HQs:

“Essa é a primeira vez que fiz algo que (além de Superdinossauro) não é horror. Outcast e The Walking Dead são muito diferentes por causa disso. Crescendo como um fã de HQs, super-heróis é algo que me empolga eternamente, então é ótimo fazer algo diferente dessas outras séries, que exercita a outra metade do meu cérebro. Apesar de ser uma história sombria e dramática, há um grande senso de diversão e aventura”, avaliou.

Diversão e aventura são quesitos importantes para qualquer história de super-heróis, mas Invencível vai além. A série combina elementos clássicos do gênero com um toque moderno que usa reviravoltas chocantes, humor sarcástico e uma violência divertida de assistir na ficção. Com tudo para agradar o exigente público de heróis, a animação ainda guarda um último triunfo: um elenco estelar composto por grandes nomes como Steven Yeun (The Walking Dead), JK Simmons (Homem-Aranha), Sandra Oh (Grey’s Anatomy) e muito - muito - mais.

Ao Omelete, Kirkman já havia celebrado que Invencível tem o “elenco mais doido” com quem trabalhou. Na coletiva tivemos a oportunidade de falar com dois dos membros desse mar de estrelas: Zazie Beetz e Gillian Jacobs. Além de grandes nomes no cinema e na TV, as atrizes ainda tem a vantagem de não serem estranhas a universos de super-heróis:

“Tive sorte o suficiente para estar em três universos que são muito diferentes entre si, se compararmos Deadpool 2, Coringa e agora isto”, relembrou Beetz antes de explicar como Invencível é diferente de dois dos mais queridos filmes baseados em HQ em que trabalhou. “Não apenas por ser um projeto animado, mas o tom de Invincible é diferente dos outros dois. Particularmente consigo me identificar com Invencível/Mark, seus sentimentos sobre onde é seu lugar, em sua família, o que significa ganhar poderes. Foi difícil ler os roteiros e gravar”.

Já Gillian Jacobs, conhecida por seus papéis nas séries Community, Girls e Love, se aproximou das HQs em Marvel 616, série documental do Disney+, em que dirigiu um episódio sobre as mulheres da história da Marvel. Diferentes, os projetos aconteceram ao mesmo tempo e trouxeram diferentes experiências para a atriz no campo dos quadrinhos. “Foi meio incrível, porque estava trabalhando naquilo ao mesmo tempo em que gravava para Invencível, então sempre senti que estava aprendendo muito sobre os quadrinhos e sua história. Passei de entrevistar criadores e artistas para ser heroína em uma série, então foi muito divertido”.

Imagem de Amber e Eve Atômica, as persoangens de Zazie Beetz e Gillian Jacobs em Invencível

Amber e Eve Atômica, as persoangens de Zazie Beetz e Gillian Jacobs em Invencível

Divulgação/Amazon Prime Video

É claro que esse elenco incrível só pôde estar em um projeto animado, que facilita muito a disponibilidade dos atores, além de enxugar custos em salários, figurinos e até efeitos especiais. Feliz por trazer Invencível à vida em uma animação, Kirkman revelou que essa parte foi provavelmente o maior desafio da produção:

“Sempre digo que fizemos animação para poder capturar a escala de tudo, mas chegar lá ainda é difícil. Há uma série de truques diferentes que tivemos de aprender para poder mostrar esses eventos gigantescos com precisão, então mergulhamos nossa cabeça nisso trabalhando para descobrir como trazer os roteiros à vida. Foi um grande empreendimento”.

Todo esse esforço parece ter valido a pena, já que Invencível está chegando ao fim de sua primeira temporada com um grande carinho do público. Resta esperar o final de seu ano inicial para descobrir o futuro dessa série, que já conquistou os fãs de super-heróis.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.