Casey Bloys (Jerod Harris/Getty Images via AFP)

Créditos da imagem: Casey Bloys (Jerod Harris/Getty Images via AFP)

Séries e TV

Notícia

Chefe da HBO se desculpa por usar contas falsas para responder críticos

Denúncia veio à tona em um processo de um ex-funcionário

Omelete
3 min de leitura
02.11.2023, às 17H42.

O CEO da HBO, Casey Bloys, se desculpou por usar perfis falsos para responder críticos nas redes sociais. O caso veio a público por causa do processo de uma ex-funcionária.

“Quem me conhece, sabe que sou um executivo de programação muito apaixonado pelas séries que decidimos fazer. E pelas pessoas que as fazem e as pessoas que trabalham nelas”, disse Bloys na manhã desta quinta-feira (2), no início de uma apresentação na sede da HBO em Nova York [via Variety].

“Quero que as séries sejam ótimas. Quero que as pessoas as amem. Que todos vocês as amem. É muito importante para mim o que todos vocês pensam das nossas séries. Então, quando você pensa nessa mentalidade e volta a 2020 e 2021, estou em casa, trabalhando e gastando uma quantidade prejudicial de tempo no Twitter. E tenho uma ideia muito idiota para desabafar minha frustração”, finalizou.

Sully Temori, uma ex-funcionária que foi assistente executivo na HBO até sua demissão em 2021, pouco depois de trabalhar na produção de The Idol, está processando a emissora por demissão injusta, alegando que sofreu assédio moral e ameaças após revelar a um superior que estava sofrendo de um problema de saúde mental.

Como parte do processo, Temori acusa os ex-chefes de relegar a ele atividades que não faziam parte da sua descrição de trabalho oficial - entre elas, a de criar uma conta falsa no Twitter para responder a críticos de produções da HBO sempre que o então chefe de programação do canal, Casey Bloys, desejasse.

O ex-funcionário entregou à revista Rolling Stones trocas de mensagens e e-mails que comprovam a forma como esse processo funcionava: primeiro, Bloys chamava a atenção de Kathleen McCaffrey, vice-presidente de drama da HBO, para tuítes ou comentários negativos específicos sobre produções do canal.

McCaffrey então relegava a Temori a responsabilidade de postar a resposta que Bloys desejava dar à crítica, utilizando uma conta falsa. Uma delas, ainda no ar, foi registrada sob o nome fictício de Kelly Shepherd (@KellySh33889356) e ilustrada com uma foto genérica de banco de imagens corporativo.

Em duas ocasiões, "Kelly" interagiu com o crítico da Rolling Stone, Alan Sepinwall: na primeira, disse que sua crítica negativa da série de fantasia The Neverscriada por Joss Whedon, refletia as "opiniões seguras e assustadas" que ele normalmente dava.

De acordo com Temori e seus advogados, esses casos sinalizam uma cultura maior de bullying dentro da HBO, que o levou a desenvolver problemas psicológicos. A emissora negou a acusação de assédio à Rolling Stone, mas não se pronunciou sobre os comentários nas redes sociais.

*************

Faça parte da nossa comunidade: Temos bastidores no Canal do WhatsApp, entre no debate no Telegram e acompanhe a gente também no YouTube (youtube.com/omeleteve)

Ingressos à venda para a CCXP23, o maior festival de cultura pop do mundo. Compre agora!

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.