Avatar: A Lenda de Aang

Créditos da imagem: Nickelodeon/Divulgação

Séries e TV

Notícia

Avatar: A Lenda de Aang | Co-criadores revelam o que mudariam na série

Para dupla por trás da animação, ela não é tão perfeita quanto os fãs a vêem

Mariana Canhisares
01.07.2021
10h07

Avatar: A Lenda de Aang é praticamente uma unanimidade entre fãs e crítica: todo mundo adora. No entanto, para os co-criadores Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko, a animação não é tão perfeita assim. Em entrevista ao podcast Braving the Elements (via EW), DiMartino disse: "há tantas coisas que eu consertaria".

"Tantas vezes eu penso 'ah, queria que essa cena estivesse melhor animada; não gosto como esse personagem está nesse episódio'", continuou Konietzko. Isso, no entanto, não depõe contra a qualidade da produção. "Claro, seria ótimo se estivesse no seu melhor, mas ainda passa essa mensagem realmente poderosa, um pacote completo que vai direto no coração das pessoas", concluiu Konietzko.

Um dos pontos que mais decepcionou foi o episódio "The Great Divide", no qual Aang e seus amigos tentam conduzir dois clãs rivais com segurança por um cenário traiçoeiro. DiMartino chamou-o de "terrível", dizendo que nem mudando o final ele se salvaria.

No ar de 2005 a 2008, Avatar: A Lenda de Aang acompanhava as aventuras do protagonista Aang e seus amigos, que juntos precisam derrotar o Senhor do Fogo Ozai e pôr fim à guerra contra a Nação do Fogo para salvar o mundo. Com suas três temporadas iniciais (61 episódios), a série da Nickelodeon se tornou uma das animações mais adoradas da história. Além do sucesso nas telas, o título deu origem a uma série derivada, A Lenda de Korra, uma bem-sucedida HQ e a uma série de graphic novels que continua publicando novas histórias originais.

Próximos passos

O duo ainda comentou seus planos para o Avatar Studios, iniciativa em parceria com a Nickelodeon para criar mais conteúdos ambientados no universo de Avatar. "Mike e eu mapeamos um plano ambicioso e com muitas camadas [para explorar] a história e o futuro desse mundo".

Segundo Konietzko, os projetos têm estilos e tons bastante distintos, mas ainda assim são muito fiéis à essência da franquia. "Temos todas as ideias e, idealmente, poderemos explorá-las e fazê-las ao longo dos anos, mas vai demorar um tempo", afirmou DiMartino.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.