Ghostbusters: Mais Além

Créditos da imagem: Sony Pictures/Divulgação

Filmes

Lista

Ghostbusters: Mais Além | Confira os principais easter eggs do longa

Filme traz várias referências à história dos Caça-Fantasmas

Nico Garófalo
22.11.2021
17h21
Atualizada em
22.11.2021
17h35
Atualizada em 22.11.2021 às 17h35

Ghosbusters: Mais Além chegou aos cinemas na última quinta-feira (18) e conquistou uma arrecadação impressionante na bilheteria norte-americana. Quem assistiu o novo filme de Jason Reitman sabe que o diretor incluiu diversas referências à história dos Caça-Fantasmas, incluindo aparelhos usados em investigações paranormais e uma pequena ponta de um personagem citado em 1984.

Para ninguém ficar perdido no furacão de easter eggs do filme, separamos as principais referências incluídas em Mais Além e o que elas significam na franquia - confira abaixo (só cuidado com spoilers):

Equipamentos clássicos

Logo na primeira cena do filme, vemos Egon Spengler, vivido nos primeiros filmes por Harold Ramis, usando alguns equipamentos icônicos como o Medidor de E.P.C., a Arma de Prótons e a Armadilha de Fantasmas. O Caça-Fantasmas veterano usa todos esses equipamentos na tentativa de parar Gozer, que ameaça ressurgir em uma cidadezinha do interior dos Estados Unidos, mas os aparelhos infelizmente não funcionam tão bem após tantos anos.

Cadeira da possessão

Repetindo a clássica cena de Os Caça-Fantasmas em que Dana (Sigourney Weaver) é possuída por Zuul, Mais Além conta com uma sequência muito parecida estrelada por Spengler, que é dominado por fantasmas após escapar dos espectros enviados por Gozer. Diferente da amiga, no entanto, o fundador dos Caça-Fantasmas não sobrevive à experiência.

A casa de Egon

Se o terreno da fazenda traz alguns easter eggs, a casa em que Egon vivia não fica muito atrás. Logo que entram na residência, os Spenglers se deparam com uma pilha de livros semelhante à vista na biblioteca que Ray, Egon e Venkman investigam no começo de Os Caça-Fantasmas e um pequeno modelo da forma canina de Zuul e Vinz Clortho, servos de Gozer que dominaram Dana e Louis (Rick Moranis) no mesmo longa.

O lugar também abriga um laboratório secreto, encontrado por Phoebe, e que só pode ser acessado escorregando por um poste, lembrando o velho QG que os Caça-Fantasmas mantinham nos anos 1980. Lá, a garota encontra diversos equipamentos criados por Egon, incluindo o capacete usado no interrogatório de um Louis possuído, e os macacões da equipe original. Aliás, o bolso de um deles ainda traz a embalagem de uma barra de chocolate dada por Venkman a Egon.

A fazenda de Egon

Quando Callie (Carrie Coon), Trevor (Finn Wolfhard) e Phoebe (McKenna Grace) se mudam para a fazenda de Egon em Summerville, é possível ver alguns dizeres pintados no portão do rancho. As frases são do versículo 6:12 do Livro do Apocalipse da Bíblia, que foi discutido por Ray Stantz (Dan Aykroyd) e Winston Zeddemore (Ernie Hudson) no primeiro Os Caça-Fantasmas. A passagem bíblica é referenciada novamente em uma tatuagem no braço de Ray, que pelo visto quis eternizar seus feitos heróicos na pele.

Próximo ao celeiro, há um mini-ferro-velho habitado por carcaças de antigos Cadillacs Miller-Meteor Ambulance Fleetwood 1959, mesmo modelo do icônico ECTO-1 usado pelos Caça-Fantasmas nos filmes dos anos 1980. Dentro do automóvel, Trevor encontra um Twinkie, bolinho que Egon usou como metáfora para falar dos níveis de energia sobrenatural medidos em Nova York quando Gozer atacou pela primeira vez.

Esquecidos pelo tempo

Quando Phoebe e Podcast (Logan Kim) falam com Grooberson (Paul Rudd) sobre os Caça-Fantasmas, o geólogo e professor substituto mostra para os garotos um antigo comercial dos investigadores paranormais, cujos feitos parecem ter sido esquecidos apesar de sua grandiosidade. Embora pareça difícil acreditar que um evento quase apocalíptico em uma das maiores cidades do mundo pudesse ser tão facilmente esquecido, é preciso lembrar que, já nos anos 1980, o quarteto vinha perdendo qualquer indício de respeito por parte dos cidadãos novaiorquinos.

Os Caça-Fantasmas II inclusive abre com Ray e Winston atuando como animadores de festas para manter seu negócio aberto já que o grupo recebia cada vez menos clientes por causa do baixo número de eventos sobrenaturais após o fechamento do portal de Gozer. Algo parecido foi sugerido no reboot de 2016, no qual o governo emitiu um relatório oficial negando qualquer envolvimento de fantasmas e afirmando que os eventos do filme foram causados por histeria coletiva.

As aulas de Grooberson

Professor substituto de Phoebe e Podcast, Grooberson deixa seus alunos de lado para estudar os fenômenos sísmicos que assolam a pequena Summerville. Para distrair os garotos, ele usa filmes antigos como Cujo e Gremlins, garantindo que os estudantes não perturbem sua pesquisa.

Os filmes funcionam também como um prenúncio para o que ainda está por vir no longa: Cujo, por exemplo, adapta uma história de Stephen King centrada em um cachorro assassino e antecipa as chegadas de Zuul e Vinz Clortho. Já Gremlins adianta a aparição dos pequenos bonecos de marshmallow Stay Puft, que surgem causando um pequeno caos em um supermercado.

O sorvete de Paul Rudd

Segundos antes de Grooberson presenciar os atrapalhados bonequinhos de marshmallow, ele pega um pote de sorvete no mercado. Pode parecer algo bobo, mas a marca da sobremesa era Baskin-Robbins, sorveteria na qual Scott Lang, protagonista de Homem-Formiga também vivido por Paul Rudd, tenta trabalhar após deixar a cadeia.

Ivo Shandor

Responsável pela construção do prédio novaiorquino em que Gozer apareceu em 1984, Ivo Shandor é citado rapidamente em Os Caça-Fantasmas, mas tem uma aparição um pouco maior em Mais Além. Aqui, descobrimos que o personagem foi o fundador de Summerville, cidade para o qual Egon e, após alguns anos, seus descendentes se mudam, foi fundada pelo líder do culto a Gozer. Além disso, a cidadezinha tem uma mina de selênio, mineral usado por Shandor para a construção do arranha-céu visto no primeiro filme.

Não bastasse, Shandor ainda aparece fisicamente, interpretado por J.K. Simmons.

Repetição de falas e efeitos especiais

Muito apoiado na nostalgia, Ghostbusters: Mais Além recria diversas falas do filme de 1984. Entre elas estão a icônica “não existe Dana, apenas Zuul”, proferida no novo filme por Callie, e a “apresentação” de Ray quando os Caça-Fantasmas originais conhecem Gozer. Obviamente, a frase “para quem você vai ligar”, parte do refrão da música-tema escrita por Ray Parker Jr., também é proferida.

Além das frases, Reitman também reaproveitou efeitos especiais criados para Os Caça-Fantasmas, remasterizando-os para que eles tivessem uma aparência mais moderna.

A volta do elenco original

Confirmados em Ghostbusters: Mais Além desde a pré-produção, Bill Murray, Dan Aykroyd, Ernie Hudson, Sigourney Weaver e Annie Potts têm participações tão breves no longa que podem ser consideradas easter eggs por si só. Até porque elas são grandes homenagens aos longas oitentistas.

Aykroyd, primeiro a aparecer em Mais Além, faz sua reestreia de dentro da Ray’s Occult, livraria que ele mantém desde o começo de Os Caça-Fantasmas II. Potts ressurge em dois momentos que homenageiam Ramis, morto em 2014, enquanto Murray e Hudson retornam apenas no finalzinho do filme para recriar a ação do terceiro ato do longa de 1984.

A última a aparecer é Weaver, que, em uma das cenas pós-créditos, recria com Murray o experimento que Venkman aplicava em seus antigos estudantes na faculdade.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.