Henry Cavill como Geralt de Rivia em The Witcher, da Netflix

Créditos da imagem: The Witcher/Netflix/Divulgação

Séries e TV

Notícia

The Witcher | Showrunner reforça que a série de TV não adaptará os games

"Os jogos seguiram por uma direção, e nós iremos por outra", explicou Lauren S. Hissrich

Arthur Eloi
18.07.2019
15h33
Atualizada em
18.07.2019
15h55
Atualizada em 18.07.2019 às 15h55

A Netflix está segurando os detalhes da série de TV de The Witcher. Mesmo com algumas fotos tendo sido lançadas, a direção que o programa seguirá ainda é misteriosa. Agora, a showrunner Lauren S. Hissrich explicou mais do projeto em entrevista à Entertainment Weekly.

Antes de tudo, ela reforça que a série não tem nada a ver com a trilogia de jogos da CD Projekt RED. "Não estamos adaptando videogames, mas, sim, os livros", disse referindo-se à franquia de Andrzej Sapkowski publicada durante a década de 1990 na Polônia. "Isso é ótimo pois os jogos também são uma adaptação desses livros. Eles seguiram por uma direção e nós iremos por outra. Não estamos falando muito sobre o que faremos na primeira temporada."

Mesmo assim, Hissrich garante que a trama da saga literária - iniciada em Sangue dos Elfos, de 1994 - só virá mais tarde, com o ano um puxando muito do que foi estabelecido nos vários contos escritos por Sapkowski ao longo da década de 1980. "Obviamente há algo épico que começa na saga dos livros, mas os contos entregam muita construção de mundo e explicam o que é o Continente, a parte política e também um entendimento do povo. Focamos bastante nisso na primeira temporada."

A showrunner explica que a ideia é ter uma série para maiores. "Ando reassistindo o material de filmagens e não deixo minhas crianças sequer olharem para a tela depois que uma delas acidentalmente viu algo que o assustou", brincou. "Vou reforçar que, para mim, sexo e violência motivam essa história ao invés de serem apenas mostrados para impactar. Penso que o público é sagaz e sabe identificar o que é criado apenas para chocar e o que faz a trama andar."

Por fim, Hissrich fala sobre o diferencial de The Witcher no mundo de fantasia. "A combinação de monstros e horror. Isso já foi feito algumas vezes em outras séries de fantasia, mas sempre é colocado de lado pela magia. Geralt é um caçador de monstros, então discutimos desde o início sobre como monstros e humanos interagem com ele. Acredito que as pessoas vão se surpreender com a quantidade de monstros que conseguimos colocar na tela e como eles são parte integral da história. Realmente deixa claro como as tramas são analogias para as coisas que estão acontecendo no mundo real."

The Witcher tem Henry Cavill no papel de Geralt de Rivia. Segundo a sinopse prévia, o personagem é um "mutante caçador de monstros que luta para encontrar seu lugar em um mundo onde as pessoas provam com frequência serem mais perversas que as bestas". O programa contará com oito episódios, gravados no leste e centro da Europa - principalmente na Polônia, país de origem da franquia.

Sem data definida até o momento, The Witcher chega à Netflix ainda em 2019. Mais novidades devem ser divulgadas durante o painel da série na San Diego Comic-Con 2019, nesta sexta-feira.

A San Diego Comic-Con acontece entre 17 e 21 de julho. Acompanhe a cobertura completa do Omelete na nossa página especial, no Facebook, no Instagram, no Twitter e no YouTube.