La Casa de Papel - Parte 5, Volume 1 | O que acontece no final?

Créditos da imagem: Rio (Miguel Herrán) e Tóquio (Úrsula Corberó) em cena de La Casa de Papel (Reprodução)

Séries e TV

Lista

La Casa de Papel - Parte 5, Volume 1 | O que acontece no final?

Últimos capítulos da série espanhola chegam à Netflix em dezembro

Caio Coletti
05.09.2021
19h44

Em apenas cinco episódios, o volume 1 da parte 5 de La Casa de Papel prepara a série espanhola da Netflix para a sua última leva de capítulos, que chega em 3 de dezembro na plataforma.

Para manter a memória fresca sobre o que rola no final desse primeiro volume, explicamos tudo aí embaixo:

O sacrifício de Tóquio

Tóquio (Úrsula Corberó) em La Casa de Papel (Reprodução)

A personagem de Úrsula Corberó tem um final digno de heroína ao ser encurralada pelo time de militares que se infiltrou no Banco da Espanha, dentro da cozinha do museu da instituição. A ladra é baleada pelos atiradores posicionados no telhado do prédio à frente do banco - e, gravemente ferida nas pernas e braços, conclui que não conseguirá escapar pela mesma rota que os amigos Denver (Jaime Lorente) e Manila (Belén Cuesta), que descem pendurados na corda de um elevador de comida.

Os esforços do namorado de Tóquio, Rio (Miguel Herrán), que tenta abrir um buraco no chão da cozinha a partir do andar de baixo, usando uma britadeira, também não dão resultado a tempo. Os dois conseguem conversar brevemente pela abertura no chão, e até seguram a mão um do outro, mas Tóquio acaba tendo que enfrentar sozinha a invasão dos militares.

Alvejada por mais balas, ela acaba deitada no chão, observada de cima por seu arquiinimigo, Gandía (José Manuel Poga). É neste momento que Tóquio dá sua última cartada: sorrindo, ela abre a mão e mostra os pinos das cinco granadas que estão coladas ao seu corpo. A gigantesca explosão que se segue sem dúvida pulveriza a ladra, mas leva Gandía - e, potencialmente, outros membros das forças militares - com ela.

Onde estão os outros ladrões?

Lisboa (Itziar Ituño) em La Casa de Papel (Reprodução)

Enquanto Tóquio, Rio, Denver, Manila e até Estocolmo (Esther Acebo) - que foi quem percebeu a possível rota de fuga pelo elevador de comida - estão todos concentrados na mesma ação durante o clímax desta temporada de La Casa de Papel, outros membros do bando estão espalhados por vários lugares do Banco da Espanha.

Lisboa (Itziar Ituño), Bogotá (Hovik Keuchkerian), Palermo (Rodrigo De La Serna) e os fundidores do bando tentaram abrir as portas de segurança de metal do museu para ajudar Tóquio e cia. do outro lado, mas não chegaram a tempo. Já Helsinki (Darko Peric) terminou o volume 1 em uma maca no lobby do banco, dopado com morfina e costurado por Estocolmo após ter sua perna destroçada quando uma estátua caiu em cima dela.

No esconderijo do Professor…

Professor (Álvaro Morte) e Alicia (Najwa Nimri) em La Casa de Papel (Reprodução)

Os eventos na reserva de águas pluviais através da qual o Professor (Álvaro Morte) estava dando ordens do roubo foram tensos nesses cinco episódios. A ex-inspetora Alicia Sierra (Najwa Nimri) o encontrou no começo da temporada, prendendo-o, e depois conseguiu enganar Marsella (Luka Peros) e Benjamín (Ramón Aguirre) para que todos ficassem à sua mercê.

No entanto, Alicia entrou em trabalho de parto no meio da confusão, sendo obrigada a soltar os três homens para ajudá-la a dar à luz sua filha, que batizou de Victoria. Ouvindo pela TV a forma como o Coronel Tamayo (Fernando Cayo) a definiu publicamente como traidora e a culpou por todas as falhas da operação, a ex-inspetora parecia prestes a “virar a casaca” e se juntar ao Professor e seu bando.

As coisas não são bem assim, no entanto: em uma de suas últimas cenas, Alicia usou o banheiro do esconderijo e ocultou um alicate de unha afiado na manga do seu casaco, dando a entender que está planejando alguma coisa.

Na tenda da polícia…

O Coronel Tamayo (Rodrigo Cayo) em La Casa de Papel (Reprodução)

Com o passar do tempo e as movimentações do Professor e de seu bando, o inescrupuloso Coronel Tamayo está perdendo cada vez mais o controle de sua operação. Durante este volume 1 da parte 5, ele tentou resolver tudo trazendo para o Banco da Espanha um grupo de militares brutal, acostumado a não seguir regras nem respeitar leis para cumprir suas missões - mas Sagasta (José Manuel Seda) e seus comandados se provaram difíceis de controlar.

Enquanto isso, o hábito do Coronel de mentir para o público se voltou contra ele quando ele foi gravado confessando sua intenção de dizer que os ladrões eram responsáveis pela morte de reféns dentro do Banco, mesmo sabendo que esse não era o caso. É usando esta gravação que o Professor impede que Tamayo ordene uma segunda invasão militar ao Banco, bem no momento em que os ladrões estavam preocupados com a batalha no museu.

No flashback de Berlim...

Rafael (Patrick Criado) e Berlim (Pedro Alonso) em La Casa de Papel (Reprodução)

Outra fatia da série que deve voltar para se conectar à narrativa principal é a história de Berlim (Pedro Alonso) e seu filho, Rafael (Patrick Criado). Aparecendo apenas em flashbacks, Rafael é um especialista em cibersegurança que se junta relutantemente ao pai e à namorada dele, Tatiana (Diana Gómez), para roubar artefatos vikings de ouro guardados em um castelo super protegido na Dinamarca.

Em meio ao roubo, Rafael desenvolve não só um gosto improvável pelo “negócio da família” como também um interesse romântico por Tatiana. A história termina em aberto, com Berlim, o filho e a namorada indo em direção ao pôr-do-Sol após finalizar o roubo da vez, mas a conexão de Rafael com o atual assalto do Banco da Espanha ficou no ar.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.