Como Viúva Negra criou o filme mais realista do MCU

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Filmes

Entrevista

Como Viúva Negra criou o filme mais realista do MCU

Em entrevista ao Omelete, Scarlett Johansson e equipe descrevem um filme terreno e focado em personagens

Julia Sabbaga
08.07.2021
10h57

A Viúva Negra sempre teve uma faceta diferente de seus colegas de Vingadores. Além de ter um passado misterioso, do qual tivemos apenas alguns relances durante Era de Ultron, ao contrário da maior parte dos heróis do MCU, a personagem não tem super poderes. Natasha sempre confiou em suas forças e habilidades físicas, e tanto isso, quanto seus mistérios, terão destaques no seu filme solo, Viúva Negra

“Existem os Vingadores acima, e os vilões embaixo”, explicou Scarlett Johansson ao Omelete, durante a visita ao set em Londres. “A Viúva existe em uma área cinzenta, não explorada”. Para se aprofundar nisso, o longa da heroína fez a decisão de levar a personagem atrás de suas origens, em um filme que promete ser o mais terreno do MCU. De acordo com diversos integrantes da produção, a ideia é despir Natasha de todos os seus recursos, para entender quem ela é no fundo. “Nós chegamos a um consenso de que queríamos algo real e visceral, transformador para a personagem”, continuou Johansson. “É a chance de contar uma história de aceitação, perdão e autoperdão”. 

Para isso, Viúva Negra foi construído com duas referências principais em mente: filmes de espionagem e dramas familiares. Enquanto Johansson descreveu o último gênero como inusitado, a ideia faz sentido com o direcionamento da Fase 4 do MCU, período que será iniciado com o longa de Natasha. Marcado por produções como Os Eternos, Shang-Chi, e as séries do Disney+, Viúva Negra pretende aprofundar a fase de experimentação do Marvel Studios. 

Distanciando o estúdio de uma das suas principais forças, os efeitos visuais (componente que rendeu ao MCU a maioria das suas indicações ao Oscar), Viúva Negra terá muito mais efeitos práticos que contribuirão para o realismo do longa. Já de início, a produção fez a escolha de escalar uma atriz mais nova para atuar nas cenas de flashback à infância de Natasha, algo que, nesta época da moda da tecnologia de rejuvenescimento, poderia acontecer muito diferentemente. 

O direcionamento ficou evidente durante a visita ao set, e transpareceu em entrevistas com toda a equipe, desde a própria atriz, ao coordenador de dublês, o figurinista e o produtor. Para todos eles, a visão da diretora Cate Shortland passa por todos os níveis, como explicou o figurinista Dan Grace: “Cate queria que os personagens parecessem críveis, reais, com roupas funcionais e práticas [...] Toda a coisa dela era que ela queria um filme que pareça real”. 

A orientação ficou ainda mais explícita nos responsáveis pela ação de Viúva Negra, como o coordenador de dublês, Rob Inch. Para contribuir ao tom terreno, o longa se utilizou de muito menos efeitos especiais, e as lutas foram feitas com efeito prático: “Scarlett está mais acostumada a trabalhar no mundo digital, e nos pediram para fazer mais coisas físicas. Ela fez muito mais trabalho com cabos”. Explicando a dinâmica da ação, ele comparou o filme a trilogia Bourne, com Matt Damon

Inch ainda descreveu como isso afeta um filme de herói particularmente, explicando porque um longa de ação realista com Natasha promete algo totalmente diferente, sem violência gratuita: “quantas vezes você consegue ver Hulk jogando alguém na parede? Neste filme, a violência tem propósito e significado”. Para ele, ver um personagem se machucando de verdade, e sofrendo consequências, colabora para o relacionamento com o público: “a ideia é que você precisa ver o herói se recuperando de seus danos, e assim você investe muito mais nele”. 

O tom de ação mais terreno de Viúva Negra é casado com o teor de espionagem do filme, que tem Capitão América: Soldado Invernal como referência maior dentro do MCU. Mesmo assim, segundo o produtor, é difícil identificar o gênero específico de Viúva Negra. Para Eric Pearson, há elementos de thriller de conspiração, drama sombrio de família, além da tradicional ação de filmes de heróis. Mas contribuindo para toda a construção descrita pelos outros membros da equipe, ele disse que o importante é o aspecto humano: “nós mesclamos todos esses tons para algo realmente profundo e pessoal”. 

Viúva Negra estreou hoje, dia 8, nos cinemas do Brasil e será lançado em 9 de julho no streaming Disney+.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.