Pedro Alonso e Álvaro Morte em La Casa de Papel

Créditos da imagem: La Casa de Papel/Netflix/Reprodução

Netflix

Lista

La Casa de Papel | Os melhores momentos musicais

Mais do que “Bella Ciao”: série da Netflix usa e abusa das músicas para narrar as diferentes fases dos roubos

Mariana Canhisares
04.04.2020
11h56

Além do carisma dos personagens e o jogo de gato e rato com a polícia, La Casa de Papel conquista também pela sua trilha sonora. A série embala cada fase do assalto brincando com músicas clássicas, as preferidas do Professor (Álvaro Morte), mas também hits indies e faixas icônicas do soul. Por isso, desde a primeira temporada o público pode presenciar ótimos momentos musicais, com direito inclusive à performance dos atores. Relembre a seguir os melhores deles:

“Bella Ciao”

Nenhuma lista que se preze sobre música em La Casa de Papel poderia deixar de fora “Bella Ciao”. Símbolo da resistência na Itália, sobretudo durante a Segunda Guerra Mundial, quando estava em vigência o regime fascista de Benito Mussolini, a canção ganhou novas camadas no seriado. Embora mantenha este seu caráter de luta contra o autoritarismo - afinal, o próprio avô do Professor ficara ao lado dos partigiani nesse período -, no roubo a canção marca um dos momentos de glória do grupo.

Depois de finalmente encontrar terra no buraco que cavava num dos cofres da Casa da Moeda, ou seja, um sinal de que a fuga era sim viável, Moscou (Paco Tous) e seus colegas começaram a celebrar cantando justamente “Bella Ciao”, música que o Professor os ensinara há alguns meses. A faixa volta a ser lembrada na série em outro momento, já bem mais íntimo entre Professor e Berlim (Pedro Alonso) no dia anterior ao assalto, como se fosse um voto entre os dois de que tudo correria bem; assista acima.

Dueto de Moscou e Denver

Em uma das tradicionais reuniões do grupo, Moscou e Denver (Jaime Lorente) tivera um dos momentos mais fofos de toda a série. Com o sonho de lançar um álbum usando o dinheiro do roubo, o patriarca deu uma palinha para os colegas do seu talento como cantor, fazendo uma performance de "Maria, mi vida, mi amor". Seu filho, claro, logo o acompanhou, tirando-o até para dançar; assista acima.

Na Parte 3, a música voltou a ser trilha de um dos jantares do grupo. No aniversário de Mónica (Esther Acebo), Denver a colocou para tocar no rádio como uma homenagem a seu pai, que não sobreviveu ao primeiro roubo.

A arte da impressão

Nairóbi (Alba Flores) encara a falsificação de notas como uma verdadeira arte. Por isso, quando coloca os reféns para trabalhar e inicia a impressão de milhões e milhões de euros, não teria outra escolha possível para refletir o esmero da personagem e o caráter épico do momento que não fosse a  "Sinfonia n.º 9", de Beethoven. Além disso, o contraste da música com a comparação da ladra do trabalho com uma rave techno deixa tudo ainda melhor; assista acima.

Melhores amigas

Nairóbi e Tóquio (Úrsula Corberó) nem sempre se deram muito bem. Porém, depois que as duas tiveram uma conversa realmente franca, a identificação  foi instantânea. Tanto que logo fizeram uma festa particular durante a madrugada, para a decepção do Professor. Ao som de "Boom", do Ofi La Melodía, as duas beberam e dançaram como se não houvesse amanhã - mas, no caso, elas tinham aula sobre explosivos plásticos logo cedo.

O momento ganha ainda uma reprise na Parte 4, dessa vez com a companha de Lisboa (Itziar Ituño) e Estocolmo. Juntas, as meninas da equipe celebraram a decisão de Nairóbi de engravidar e formar uma família depois da conclusão do assalto. 

Denver, o próprio Elvis

O romance entre Denver e Mónica é pouco convencional, mas isso não quer dizer que os dois não viveram na Casa da Moeda momentos de muito romantismo. Uma das cenas mais fofas do casal envolve justamente música, com Denver dando uma amostra de como dança bem. O ladrão encarnou o próprio Elvis, para encanto da até então pretendente; assista acima.

Juntos novamente

A música de abertura da série, "My Life Is Going On", ganhou uma repaginada quando o grupo voltou a se encontrar para organizar o próximo roubo na Parte 3; assista acima. Com uma pegada mais rock, a faixa deu um ar ainda mais descolado à reunião dos agora milionários ladrões, que foi potencializada com o figurino de todos - olha esse casaco da Nairóbi! E, claro, deixou os fãs ainda mais empolgados para assistir o que viria a seguir.

Vale ressaltar também que este é um ótimo exemplo da virada que a trilha sonora da série sofreu depois do sucesso das primeiras temporadas. O rock passou a ser uma presença bem mais forte, inclusive com covers, como é o caso do próximo item.

Sucesso no Banco da Espanha

Outra cena em que a trilha fez toda a diferença para dar o tom da cena foi a entrada bem-sucedida do grupo ao Banco da Espanha. Ao som do cover do Muse de “Feeling Good”, música icônica na voz de Nina Simone, o momento ficou ainda mais grandioso e dramático; ouça acima. 

Dança do Professor e do Palermo

Antes de colocar em prática o plano do roubo ao Banco da Espanha, o Professor faz uma visita a Palermo (Rodrigo de La Serna). Afinal, foi o argentino que originalmente idealizou o assalto com Berlim e, portanto, o personagem de Álvaro Morte precisava pedir sua permissão para usá-lo.

Todo o encontro é bastante tenso, já que Palermo culpa o Professor pela morte do seu amigo. Mas há um momento genuinamente leve nesse furacão de emoções. Ao som de "Who Can It Be Now?", do Men At Work, o novo membro do bando tira o Professor para dançar em uma cena que evidencia não apenas a amizade dos dois, mas a falta de ginga do líder da operação; assista acima.

Performance solo de Berlim

O Berlim e o Professor voltaram a protagonizar um ótimo momento musical na Parte 3, mas dessa vez a cantoria ficou a cargo do mais autoritário dos irmãos. Falando sobre como gostaria de morrer, Berlim fez uma performance carismática e emocionada de "Guajira Guantanamera" e puxou o Professor para dançar. É perceptível que ritmo não é um traço da família, mas Berlim certamente compensa isso com seu charme, enquanto seu irmão prefere movimentos mais tímidos; assista acima.

Dança do término

Cada um lida com o término de relacionamento de uma maneira. Para Tóquio, a melhor solução foi beber e dançar. Ao final da Parte 3, após ouvir as duras palavras de Rio (Miguel Herrán), a ladra coloca "La Deriva", de Vetusta Morla, bem alto e faz uma performance para ela mesma, como uma maneira de extravasar; assista acima. 

Casamento de Berlim e Tatiana

Na Parte 4, Berlim voltou a protagonizar ótimos momentos musicais no seu casamento com Tatiana. Depois dos votos, o ladrão declarou mais uma vez seu amor cantando "Ti Amo", acompanhado por um coral de monges. A homenagem foi tão emocionante que os durões Marselha (Luka Peros) e Bogotá (Hovik Keuchkerian) se levantaram para dançar; assista acima.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.