La Casa de Papel

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Séries e TV

Artigo

La Casa de Papel | O que acontece no final

A morte de Tóquio desestabilizou os atracadores, mas há viradas ainda mais chocantes nos episódios finais da série

Mariana Canhisares
03.12.2021, às 16H12
ATUALIZADA EM 04.12.2021, ÀS 19H58
ATUALIZADA EM 04.12.2021, ÀS 19H58

[Atenção: como o título sugere, o artigo a seguir contém spoilers!]

A morte de Tóquio (Úrsula Corberó) desestabilizou e muito o Professor (Álvaro Morte) e seus companheiros de atraco, mas essa despedida não foi nem de perto tão surpreendente quanto os planos de interceptação do ouro que Tatiana (Diana Gómez) e Rafael (Patrick Criado) colocaram em prática no penúltimo episódio de La Casa de Papel. Porque, por mais otimistas que fossem, todos sabiam dos riscos que suas vidas e as dos seus parceiros estavam correndo quando entraram no Banco da Espanha. No entanto, ninguém poderia imaginar que a ex-esposa de Berlim (Pedro Alonso) estava por dentro das minúcias do seu tão idealizado roubo. Nem mesmo o Professor.

Disfarçados de policiais, os amantes invadiram o esconderijo onde o bando estava recebendo e armazenando o ouro, renderam a todos e escaparam sem levantar nenhuma desconfiança. Demorou pouco mais de 15 minutos para que o Professor percebesse que ele tinha sido manipulado -- mas, quando se deu conta do que havia transcorrido, já era tarde demais. Eles podiam acelerar o quanto quisessem e rastrear os caminhões que abasteceram com suas próprias mãos, mas Tatiana e Rafael já haviam desaparecido com seu tesouro.

Ainda que tenha sido passado para trás e estivesse sob muito estresse, o Professor não perdeu sua capacidade de observação, nem sua astúcia. Notando as marcas na terra do local onde encontraram os caminhões, conseguiu sua primeira pista: seu sobrinho e a namorada misturaram o ouro à areia, o transportavam à vista de todos, em novos veículos de carga descobertos, e o planejavam enterrar. Com a ajuda do hacker Rio, descobriu mais um esquema do casal e desvendou a via pela qual seguiram com seu ouro. Não era o suficiente, mas já era um começo.

Infelizmente, nesse momento as coisas começaram a se complicar dentro do Banco da Espanha. Além do desespero de saber que tinham sido roubados por causa de uma decisão inocente do seu líder, Lisboa (Itzar Ituño), Palermo (Rodrigo de La Serna) e companhia foram surpreendidos pelo esquema planejado por seus “prisioneiros”. Uma das militares sob o comando do major Sagasta ficara à solta no edifício, desabilitando os explosivos postos pelo bando e, consequentemente, facilitando a entrada das forças armadas. Logo, quando o Professor teve uma fagulha de esperança, veio mais uma frustração. Como salvar os seus? E pior: como fazê-lo quando sua principal moeda de troca, o ouro, estava perdido?

A CONCLUSÃO

O Professor, então, dividiu seus aliados restantes em grupos para que agissem de forma coordenada -- talvez assim, e com um pouco de sorte, eles pudessem dobrar o Coronel Tamayo (Fernando Cayo) e suas forças. O primeiro deles era liderado por Marselha (Luka Peros) e colocaria em prática o chamado Plano Polegarzinho, isto é, não apenas se livrar de qualquer evidência e ponta solta que deixaram pelo caminho, como também plantar algumas pistas falsas para desviar a atenção do coronel. O segundo era comandado pela mais nova aliada do bando, Alicia Sierra (Najwa Nimri), e seu papel era encontrar onde Rafael e Tatiana estavam enterrando o ouro. O terceiro era uma operação de um homem só: ele entraria no Banco da Espanha para ganhar um tempo para seus companheiros e manipular in loco seu adversário.

Tratando-se de um estratagema do Professor, não é preciso dizer que ele foi bem-sucedido, não é mesmo? O Plano Polegarzinho transcorreu perfeitamente bem. Além de levar as forças policiais para onde queriam, eles conseguiram tornar público o esvaziamento das reservas de ouro da Espanha e colocar o país à beira de uma crise econômica sem precedentes -- e, é claro, eles o fizeram com muito descaramento, com direito a vídeos ao estilo "faça você mesmo" de dentro da instituição financeira. Diante de um cenário tão catastrófico, Tamayo não teve outra escolha a não ser negociar com o Professor. O que ele não contava era que o Professor o passaria para trás mais uma vez.

O líder dos atracadores convenceu o coronel a dar uma coletiva de imprensa dizendo que sua operação havia sido bem-sucedida e o ouro fora reavido, e mais: o assalto fora encerrado com a morte de todos, exceto de Denver (Jaime Lorente), que entrara para o Programa de Proteção à Testemunha -- vale dizer que essa distinção só foi feita porque Denver fora interrogado por Tamayo e levado para fora do Banco antes dos seus companheiros. Quando fez os anúncios, nem mesmo Tamayo pode acreditar que as barras de ouro chegavam mesmo, como prometera o Professor. No entanto, não se tratavam das barras de ouro: eram réplicas feitas de latão.

Não havia o que Tamayo pudesse fazer. Como as barras serviam apenas como uma garantia para a economia espanhola e nunca de fato seriam colocadas no mercado, era melhor evitar uma crise do que contestar o ladrão e levar seu esquema ao público. Por isso, Tamayo ficou quieto e nunca descobriu que fim levaram as barras de ouro.

Por sorte, os espectadores não viveram com esse mistério. Isso porque Sierra colocou suas habilidades investigativas para jogo e chegou a duas conclusões: 1) o plano de Tatiana e Rafael só começou a se formar quando os amantes souberam do atraco pela TV, ou seja, ele não tinha mais do que alguns dias e 2) o tesouro seria enterrado em uma propriedade privada, portanto, comprada no dia que começou o roubo ou depois. Com isso, ela pode diminuir seu raio de busca e, assim, chegar ao endereço onde o casal escondeu o ouro. Mas não foi só sacar suas pás e começar a cavar: Tatiana, Rafael e seus capangas chegaram ao terreno em questão de minutos e os grupos ficaram se ameaçando mutuamente, com armas e com discursos nervosos.

A situação só se resolveu porque o Professor deixou um bilhete para o sobrinho com Sierra. O conteúdo dele não foi revelado aos espectadores, mas é sugerido que ele consiste na seguinte frase: “roubo é uma tradição familiar”. Com a garantia de que receberia uma parte, Rafael cede o tesouro, que é levado para Portugal pelos aliados do Professor.

Assim, os ladrões saem do Banco da Espanha dentro de sacos, como se fossem os corpos que o Tamayo anunciou à imprensa. No dia seguinte, de banho tomado e com novos passaportes em mãos, eles embarcam em um helicóptero rumo ao nascer do sol, com a certeza de que não apenas finalmente são livres, como também de que realizaram um sonho de longa data deles e do saudoso Berlim.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.