Filmes

Artigo

Entenda onde Viúva Negra se encaixa na linha temporal do MCU

Longa se volta ao passado da heroína e explora sua jornada fora dos Vingadores

Mariana Canhisares
03.03.2020
18h00

Depois de 10 anos da sua introdução no universo cinematográfico da Marvel, a Viúva Negra finalmente estrela uma aventura solo. Claro que, com a definição do seu destino em Vingadores: Ultimato, no qual a heroína se sacrificou para que seus amigos pudessem ter a Joia da Alma e derrotar Thanos, não é mistério para ninguém que seu filme se volte ao passado. No entanto, onde exatamente ele se encaixa na linha temporal da Marvel?

Em entrevista ao Hollywood Reporter, a atriz Scarlett Johansson garantiu que a produção é ambientada após os eventos de Capitão América: Guerra Civil, afirmação comprovada com o lançamento do primeiro trailer. Na prévia, pode-se ver Natasha Romanoff fugindo do secretário de Estado Thaddeus Ross (William Hurt). Afinal, embora tenha se comprometido com o Acordo de Sokovia, a heroína ajudou na fuga do Capitão América e do Soldado Invernal e, assim, se tornou também uma traidora.

Porém, se tem algo que o material deixa claro é que, em meio à sua fuga, a Vingadora terá uma jornada bastante nostálgica, que explorará em alguma medida seus anos de formação. Primeiro, porque Natasha retorna a Budapeste, cidade húngara que foi palco de um encontro marcante com Clint Barton (Jeremy Renner), como os dois bem lembraram em Os Vingadores. Porém, mais importante ainda, é o fato de que ela encarará os fantasmas do passado ao se reunir com Yelena Belova (Florence Pugh), Alexei Shostakov (David Harbour) e Melina Vostokoff (Rachel Weisz), sua “família russa” de antigos colegas.

Até então, pouco se revelou sobre sua vida antes da S.H.I.E.L.D. Na realidade, a produção que mais se aproximou disso foi Vingadores: Era de Ultron, ao colocá-la sob os efeitos dos poderes da Feiticeira Escarlate. Nesse contexto, a Viúva Negra, sempre tão reservada, não teve escolha a não ser relembrar tanto a experiência física - isto é, o manejo de armas, as lutas e as aulas de balé -, quanto os traumas psicológicos que suportou durante anos no programa Quarto Vermelho.

Os reencontros propostos no filme devem ter um efeito semelhante, principalmente considerando que eles devem invadir a sede da organização que a formou espiã. Diante de tantas lembranças, finalmente entenderemos as origens dos seus arrependimentos e do seu apego aos Vingadores.

Ainda que de volte ao passado, o filme ainda pode abrir portas para o futuro do universo. Scarlett Johansson já se referiu ao filme como parte de uma nova franquia. Estaria a Marvel planejando embarcar de vez no mundo da espionagem? A resposta definitiva sobre como ele se encaixa na complexa linha do tempo do MCU chegará em 30 de abril com o lançamento do longa da diretora Cate Shortland