Filmes

Entrevista

Tom Cruise foi mentor e fez questão de voos reais em Top Gun: Maverick

Miles Teller e Danny Ramirez conversaram sobre os bastidores do filme com o Omelete

Omelete
4 min de leitura
Pedro Henrique Ribeiro
26.05.2022, às 10H00

Quase 36 anos após o lançamento de Top Gun: Ases Indomáveis, Tom Cruise, um dos maiores nomes do cinema de ação de todos os tempos, retorna como Maverick para mais uma missão. O novo filme vem sendo aclamado pela crítica desde as primeiras exibições — e se me permite um comentário pessoal, o longa é tão intenso e cativante que não me deixou respirar nem por um minuto. Mas tudo isso só é realidade graças ao trabalho memorável de Tom, que dispensa dublês e faz questão de deixar tudo o mais crível possível. O trabalho do veterano nos bastidores é intenso e dessa vez até mentorias foram feitas com o elenco principal.

No novo filme, após mais de 30 anos como um dos principais aviadores da marinha dos Estados Unidos, Pete "Maverick" Mitchell (Cruise) aparece como um piloto de testes para novos caças. Mas no mundo contemporâneo, as guerras tecnológicas estão fazendo pilotos serem substituídos por drones. No meio dessa crise geracional do exército estadunidense, o capitão é convocado a retornar ao grupo de elite Top Gun e treinar uma turma com os melhores pilotos do país para uma missão (quase) impossível. Dentre os jovens pilotos estão os personagens de Danny Ramirez (Fanboy) e Miles Teller (Bradley Bradshaw), com quem o Omelete bateu um papo sobre o novo filme — assista no vídeo acima.

Ramirez nos conta que “na primeira semana, ele [Tom Cruise] assumiu um papel de mentor porque ele já tinha passado pela rotina de treinos que a gente ia passar. Então, ele já sabia o que  seria necessário, mas pensei que esse seria o máximo de intimidade que teríamos”. Porém, o jovem diz que para sua surpresa, Tom lhe disse: “não escolhemos vocês porque seriam bons interpretando o Rooster, o Fanboy ou o Phoenix, mas porque levariam [o filme] a um novo patamar, com senso de responsabilidade”

Já Miles, que viveu um dos personagens mais importantes da sequência, conta que se sente sortudo por ter sido escalado para trabalhar com Cruise. “Os roteiristas e o Tom já tinham a história do filme em mente há tempos. As pessoas pediam por uma continuação havia anos, mas ele [Tom] não sentia que tinha uma história boa o suficiente para isso”

No filme, Bradshaw é filho de Goose (Anthony Edwards), dupla de voo de Maverick que morre no filme de 1986. E esse laço sanguíneo e a relação mal resolvida entre os personagens de Cruise e Teller faz toda a diferença na carga dramática do longa-metragem, e o coadjuvante explica o motivo: “Aconteceu muita coisa entre esses dois personagens e quando eles se encontram pela primeira vez, o público consegue entender que existe um rancor entre os dois”.

Porém, não são as emoções que fazem de Top Gun 1 e 2 um sucesso, mas sim a ação, e com caças capazes de quebrar a barreira do som fica fácil. Todas as cenas em que o elenco aparece em caças são reais, segundo Teller. Segundo o ator, esse foi um ponto que Tom Cruise defendeu com unhas e dentes. “Passamos muitas horas nesses aviões para conseguir entregar uma experiência como essa”, afirma.

Sem risadinha?

Apesar da pressão e desafios que o elenco encarou para gravar o blockbuster, ainda houve momento de descontração nos bastidores. Ramirez diz que os momentos mais divertidos foram à academia, quando eles precisam malhar para atingir o físico dos personagens militares. Teller lembrou de um momento específico, quando eles gravaram uma das cenas de voo. “Subimos nos aviões e cada um fingiu tocar um instrumento. Então, um fingia que tocava bateria, outro tocava guitarra e por aí foi. Acontece que gravaram isso, colocaram uma música e mostraram para a gente. Foi bem engraçado”, conta o ator dando boas risadas.

Depois dessa conversa, as expectativas para o filme, que estreia oficialmente nesta quinta-feira (26), ficaram ainda maiores. E não é só o público que está com ansiedade nas alturas para a chegada oficial do longa aos cinemas. Miles Teller diz que empolgado: “acho que os fãs vão esperar algo como Ases Indomáveis, mas Maverick tem mais carga emocional do que o esperado”

Com emoção do início ao fim, Top Gun: Maverick promete entreter todas as gerações e fazer jus ao primeiro longa, que foi a maior bilheteria de seu ano de estreia. E mesmo se a história dos filmes não pegar você, a recomendação permanece, afinal, é sempre bom apreciar o trabalho e dedicação de Tom Cruise nas telas.

O Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Acompanhe a gente também no YouTube: no Omeleteve, com os principais assuntos da cultura pop; Hyperdrive, para as notícias mais quentes do universo geek; e Bentô Omelete, nosso canal de animes, mangás e cultura otaku.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.