Christopher Nolan nos bastidores de Tenet

Créditos da imagem: (Warner Bros./Divulgação)

Filmes

Notícia

Tenet fez Warner perder US$50 milhões: Como Christopher Nolan foi para Universal

Diretor deixa parceria com a Warner Bros. após mais de duas décadas e uma discordância fatal

Eduardo Pereira
15.09.2021
14h02

Depois de mais de duas décadas dirigindo filmes produzidos pela Warner Bros., Christopher Nolan desenvolverá sua nova produção em parceria com a Universal Pictures. A mudança de casa chega depois que o lançamento de Tenet (2020) nos cinemas, em meio à pandemia da covid-19, levou o filme a representar um raro fracasso de bilheteria na filmografia do cineasta britânico, levando a um prejuízo de US$50 milhões por parte da Warner.

Esse foi um dos, mas não o único, fatores que levaram Nolan a conduzir seu mais novo projeto, um drama sobre J. Robert Oppenheimer e o desenvolvimento da bomba atômica, junto à Universal. Segundo a Variety, o mau estar com a Warner em relação ao formato de lançamento de Tenet foi o que levou outros estúdios e até plataformas de streaming a correrem ao encontro do diretor. Nolan foi vocal quanto à sua oposição ao lançamento simultâneo de filmes da Warner nos cinemas e na HBO Max, ao mesmo tempo que insisitiu que o filme fosse lançado em 2020 mesmo em meio à desconfiança do estúdio, já que ele acreditava que poderia dar início a um retorno do público aos cinemas. O fracasso na bilheteria acabou desgastando a relação entre ambas as partes.

Com isso, estúdios interessados em financiar o filme sobre Oppenheimer puderam conferir o roteiro no escritório de Nolan, para evitar vazamentos, além de reuniões na casa do cineasta. Entre propostas da Sony, MGM, Paramount e até da própria Warner Bros., todos manifestaram preocupação de que o tema do filme, bem como o alto orçamento (mais de US$100 milhões), fossem uma fórmula arriscada. Entendendo que o investimento de Nolan valeria a pena, a Universal entrou no negócio, topou pagar pela produção e ainda teria firmado outros acordos vantajosos com o cineasta.

De acordo com a VarietyNolan terá novamente uma cláusula que garante que seu filme não disputará público com outro grande lançamento do estúdio por um determinado período de tempo antes e depois do lançamento. Ele também terá participação direta no arrecadamento inicial do filme em bilheterias, além de total controle sobre o corte final da produção. Ainda segundo o site, o cineasta exigiu que seus filmes tenham uma janela de exibição de 90 a 120 dias nos cinemas, maior que o de costume até para grandes filmes, mas isso ainda não foi garantido.

Sobre o novo filme de Nolan, o Deadline afirma que o ator Cillian Murphy deve estar conectado ao projeto. Mais conhecido pelo papel principal de Peaky Blinders, Murphy colaborou com Nolan nos filmes de Batman (onde viveu o vilão Espantalho), além de ter aparecido em A Origem e Dunkirk.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.