7 motivos pelos quais Milagre na Cela 7 foi um sucesso tão grande

Filmes

Lista

7 motivos pelos quais Milagre na Cela 7 foi um sucesso tão grande

Atuações e história do longa contribuíram, mas quarentena pode ter sido o maior catalisador do filme turco

Julia Sabbaga
28.04.2020
14h12

O filme turco Milagre na Cela 7, lançado em outubro de 2019 em seu país de origem, chegou à Netflix brasileira bastante tempo depois, no dia 13 de março, e até hoje (28 de abril), não saiu da lista de filmes mais populares no nosso país. No Google, as pesquisas do público indicam que o sucesso segue em alta até hoje, com o pico de interesse demonstrado no meio deste mês. 

O drama estrangeiro se provou um fenômeno de redes também, e a procura do público por temas relacionados ao Milagre na Cela 7 fugiu do padrão, criando uma onda raramente vista para um filme da Turquia aqui no Brasil. Mas o que causou o sucesso estrondoso do filme dirigido por Mehmet Ada Öztekin? Abaixo, analisamos 7 motivos que fizeram de Milagre na Cela 7 um sucesso tão grande na Netflix por aqui. 

Foi o filme mais visto na Turquia em 2019

Enquanto o filme mais visto no Brasil em 2019 foi Vingadores: Ultimato, o topo da bilheteria do ano passado na Turquia foi ninguém menos do que Milagre na Cela 7. No país, o filme da Marvel ficou em 4º lugar e Coringa ficou em 6º, enquanto produções nacionais ocuparam as três primeiras posições, encabeçadas pelo drama do pai injustamente acusado de assassinato. 

Ainda mais, Milagre na Cela 7 é um remake de um dos filmes mais bem-sucedidos da Coréia do Sul. Lançado em 2013, a primeira versão de Milagre na Cela 7 é o 7º filme mais assistido na história do país.

Grande elenco

O sucesso do longa está em parte em seu protagonista, o premiado ator Aras Bulut İynemli, que já fazia sucesso na série de TV The Pit e no ano passado recebeu a homenagem de Homem do Ano pela GQ da Turquia. Mas existe uma mistura de carisma e talento no elenco protagonista de Milagre na Cela 7 pelo qual é difícil não ser conquistado. Se não bastasse a liderança - e ótima atuação - de Bulut İynemli como Memo, o filme é repleto de outros nomes veteranos na Turquia, como a Celile Toyon Uysal, que interpreta a avó Fatma, ou Ilker Aksum, que interpreta o colega de cela Askorozlu. 

Ainda, quem poderia esquecer a triste história de Yusuf, interpretado por Mesut Akusta, ou o carisma de Sarp Akkaya como o Diretor Nail? 

A quarentena

Claro que Milagre na Cela 7 tem mil motivos para ser amado, mas seria ingênuo pensar que o filme teria tamanha audiência se não fosse um fator altamente influenciável nos dias de hoje: a quarentena. Com tanta gente trancada em casa por causa da pandemia de coronavírus, as produções disponíveis em streaming sentiram um boom de audiência nada sutil. 

Segundo o chefe de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, número de assinantes da plataforma só aumentou desde o início da quarentena, e a Netflix foi forçada a reduzir a qualidade na transmissão para evitar que os servidores de internet do país fiquem sobrecarregados. Com isso, produções disponibilizadas no streaming sempre são favorecidas, e Milagre na Cela 7 não foi exceção. 

Sentimentos estão à flor da pele

A quarentena do coronavírus não apenas afeta a assinatura e audiência de streaming como é um grande influenciador do nosso estado psicológico. Certamente não estamos em nosso melhor estado de espírito durante o isolamento, e o nível de estresse, depressão, irritabilidade e sensibilidade da sociedade aumenta. 

Por isso, não apenas as chances de procura por um filme sensível estão mais altas, como a nossa sensibilidade em relação às obras também está aguçada. Milagre na Cela 7 não apenas nos faz chorar, como nos dá uma válvula de escape para expressar emoções que podem estar contidas. Você não precisa achar Milagre na Cela 7 uma grande obra do cinema internacional para se sentir tocado por ela. O seu efeito psicológico, ao se tratar de uma história tão comovente, pode pegar qualquer um desprevinido em 2020. 

Ainda, é uma produção que família inteira, quarentenada unida, pode assistir junta. Tudo isso contribui para que Milagre na Cela 7 ressoe tão fortemente na fase pela qual passamos exatamente hoje. 

Cultura diferente

Um dos mais fortes apelos de Milagre na Cela 7 aqui no Brasil é o fato de que ele serve como uma conexão com uma cultura com a qual temos muito pouco contato no dia a dia. Produções turcas, que geralmente só chegariam aqui na Mostra Internacional de Cinema, conseguiram uma porta de entrada por plataformas como a Netflix. 

Milagre na Cela 7 não apenas nos mostra paisagens maravilhosas dos distritos de Mugla e Beykoz, na Turquia, como nos fornece uma visão de costumes, culinária, tradições e músicas turcas. Toda esta envelopagem cria uma ambientação mística para o longa, e os elementos inéditos se destacam aos olhos do público que encontrou o filme na Netflix. 

Mas a história é universal

Milagre na Cela 7 é uma vitrine para a cultura turca mas ao mesmo tempo segue tanto uma estrutura narrativa totalmente convencional como tem uma história que poderia ser considerada universal. O pai que tem deficiência intelectual, a condição humilde da família, as injustiças do governo ou a relação de afeição entre pai e filha, filha e avó, professoras ou colegas de prisão, são elementos que poderiam ressoar para qualquer nacionalidade. 

Não é à toa que o filme vem sendo comparado à longas hollywoodianos como Uma Lição de Amor ou À Espera de um Milagre. A mensagem de amor, esperança e otimismo de Milagre na Cela 7 ainda segue as mesmas linguagens universais do cinema.  

A Ova

A gente pode falar de atuação, de fotografia, trilha sonora, mas nada de Milagre na Cela 7 faria tanto sucesso sem o brilho nos olhos de Nisa Sofiya Aksongur. Interpretações mirins são quase sempre certeiras, mas elas são raramente tão cativantes quanto a demonstrada pela intérprete de Ova. No longa, Aksongur soube tocar corações em cenas tanto fofas quando profundamente tristes, e não seria exagero dizer que, apesar de İynemli liderar o elenco, é Ova quem carrega o filme nas costas.