Pennywise quer vingança: os terríveis planos do palhaço em It: Capítulo Dois

Créditos da imagem: It: Capítulo Dois/Warner Bros/Reprodução

Filmes

Artigo

Pennywise quer vingança: os terríveis planos do palhaço em It: Capítulo Dois

27 anos depois do primeiro encontro com o Clube dos Perdedores, o vilão volta a Derry ainda mais provocador e odioso

Mariana Canhisares
03.09.2019
16h58
Atualizada em
04.09.2019
17h36
Atualizada em 04.09.2019 às 17h36

Pennywise deixou um longo rastro de sangue na sua última visita a Derry, mas, para seu azar, seu banquete não foi tão farto. Sete perdedores atrapalharam seus planos, deixando-o duplamente ferido: com um rombo no peito e, mais importante, com seu ego abalado. 27 anos depois, o Palhaço Dançarino está de volta, decidido a não deixar que os eventos do verão de 1989 passem ilesos. Em It: Capítulo Dois, Pennywise quer mais do que fazer novas vítimas. Ele quer vingança e tem planos terríveis para quem ficar no seu caminho.

“Ele está mais inteligente, mais irritado e mais perverso”, afirmou o diretor Andy Muschietti ao Omelete durante a visita ao set da sequência. “Não que ele já não fosse antes, mas você o vê em situações querendo provocar mais suas vítimas”. De fato, o vilão está também mais irreverente. Afinal, ele teve muito tempo para planejar como atingiria seus adversários, como bem revela o trailer final: “por 27 anos, eu sonhei com vocês. Eu desejei vocês. Eu senti falta de vocês”. Confira:

Por isso, em vez de temer o retorno de Bill, Beverly e companhia, ele está se divertindo com a possibilidade desse reencontro. Assim que o Clube dos Perdedores chega à cidade, ele já começa a mexer com o psicológico do grupo. Dentro de alguns biscoitos da sorte, que vimos de perto no set, ele manda um recado: “acho que o Stanley não pode vir” - ou, no original “guess Stanley couldn’t cut it”. Como se vê na prévia, o mais medroso dos amigos realmente foi o único que não dá as caras no restaurante japonês e ninguém sabe muito bem o motivo. Quer dizer, ninguém exceto Pennywise.

Mas o palhaço tem planos especiais para Bill, talvez seu maior rival dentro do Clube dos Perdedores. Sua vingança pessoal contra o agora escritor, porém, não surgiu do livro de Stephen King. Na realidade, veio de uma conversa entre Muschietti e James McAvoy, que assume o papel do líder dos Perdedores na fase adulta. Temendo que o personagem não tivesse um momento de arrependimento sobre a morte do irmão, o ator conversou com o diretor, que veio minutos depois com uma ideia: a cena do Festival de Derry. Como se vê no trailer final, Pennywise leva Bill para uma das atrações no parque para que ele o assista ameaçando - ou talvez mais do que isso - uma potencial vítima.

Em um skate, exposto durante visita ao set, pudemos ver a provocação que o leva até lá. “Você não esta-ta-tará lá por ele também?”, lê-se em sangue, uma referência à sua ausência na morte do Georgie e também à sua gagueira. A padronagem do shape, inclusive, lembra o carpete do Hotel Overlook, de O Iluminado. Mas, segundo o responsável pelos objetos de cena Christopher Geggie, foi uma escolha completamente não intencional.

"É [um filme] mais intenso porque estamos lidando com um monte de adultos, e não mais crianças”, opina McAvoy, afirmação com a qual Andy Muschietti concorda. “Do ponto de vista cinematográfico, há uma intensificação de todas as emoções, incluindo o horror e o humor. Será mais assustador, mais divertido e provavelmente mais emotivo”.

EMISSÁRIO DE PENNYWISE

Com os planos de vingança de Pennywise, Henry Bowers também volta a assombrar o grupo de protagonistas. Porém, dessa vez, ele está ainda mais instável. Depois do verão de 1989, o adolescente foi condenado pela morte do pai e internado em uma clínica psiquiátrica - afinal, toda a história do palhaço que lhe deu uma faca e o incentivou a cometer assassinatos não exatamente colou com a polícia.

It: Capítulo Dois/Warner Bros/Reprodução

“Todo mundo diz que ele é insano, psicopata, delirante. Então, conforme o tempo passa, sua compreensão do que realmente aconteceu começa a desaparecer”, analisou Teach Grant, que assume o personagem até então interpretado por Nicholas Hamilton. “Quando chegamos no Capítulo Dois, ele está se questionando sobre o que foi real e o que não foi".

Deste modo, a confusão mental de Bowers o torna mais uma vez suscetível aos desejos do Palhaço Dançarino. Aproveitando-se dos traumas e inseguranças de infância dele relacionados ao pai, o vilão usa o personagem como uma espécie de emissário para ir atrás de alguns dos seus adversários. "Por 27 anos, Henry não teve propósito. Então, a única coisa que entende como servir a algum tipo de finalidade é matar os perdedores".

Para Grant, o poder de Pennywise sobre o Henry é tão forte que os dois não precisam estar fisicamente próximos para que o homem receba instruções de como derrotar Bill e seus amigos. “Ele está sempre com Bowers. Para mim, o Pennywise vem na forma de um balão, de uma faca de bolso, de uma voz na sua cabeça”.

Se o ator fosse arriscar o primeiro alvo do seu personagem, ele elegeria o Mike, embora acredite que Henry adoraria terminar de cortar a barriga do Ben. “Quer dizer, acho que ele gostaria de matar seis deles e fugir para um pôr-do-sol com a Bev. Bem, não sei se seria um pôr-do-sol. Talvez fosse uma viagem do Alaska até a Argentina, seguindo o Iron Maiden".

Para o ator, Bowers é uma figura trágica, que nunca amadureceu. “Ele nunca beijou uma garota. Nunca teve um relacionamento. Basicamente, ficou preso nos seus anos de adolescente". Embora faça as vezes de advogado do seu personagem, Grant vê na instabilidade emocional de Henry o seu grande perigo. "Na cabeça dele, ele é uma vítima. Ele não sabe que é louco. Ele acha que está certo, que [matar os perdedores] é algo que precisa ser feito para manter seu mundo em ordem”.