Foto de Gênio Indomável

Créditos da imagem: Divulgação

Filmes

Lista

8 filmes e séries para quem é fã em desvendar a mente e o comportamento humano

O que o cinema tem a ver com a psicanálise? Tudo! Para começar, os dois surgiram na mesma época

Equipe Zenklub - Publieditorial
30.07.2020
14h44
Atualizada em
30.07.2020
15h14
Atualizada em 30.07.2020 às 15h14

Com um espaço curto de tempo depois de os irmãos Lumière – os pioneiros do cinema apresentarem as primeiras projeções do mundo, em 1895, Freud lançou A interpretação dos sonhos, o livro fundador da psicanálise, e acabou mostrando o quanto arte e ciência têm tudo a ver.

Seja por meio de filmes ou séries, as obras e os personagens conseguem representar muito bem as questões e os conflitos humanos, algumas delas reproduzindo histórias importantes para entendermos as questões sociais e pessoais que permeiam a mente humana.

O Zenklub, em parceria com o Omelete, reuniu 8 filmes e séries que incluem o divã, além de histórias impressionantes de resiliência, reflexões profundas e muita sensibilidade pra te fazer refletir questões importantes sobre a vida – enquanto você se entretém com obras inesquecíveis! Dá uma olhada: 

Gênio Indomável

Foto de Gênio Indomável
Divulgação

Escrito por Matt Damon e Ben Affleck, foi estrelado por Robin Williams e o próprio Damon, que garantiu o Oscar de roteiro original e atuação coadjuvante de Williams no papel de um psicanalista. Ou seja, um filmão!

Na trama, Will (Matt Damon) é um garoto com problemas comportamentais em função de traumas ocorridos na infância, sendo uma pessoa muito agressiva e defensiva. Sean (Robin Williams) é a única pessoa que consegue ganhar a confiança do jovem, bem como conectar-se a ele, depois de muito esforço. 

O filme é muito tocante e traz lições valiosíssimas acerca da importância dos sentimentos das pessoas, na conexão social, no vínculo emotivo e, principalmente, na importância de aceitar e buscar ajuda quando necessário.

Atypical

Foto de Atypical
Divulgação

Atypical aborda com delicadeza os conflitos e a busca por independência do garoto Sam Gardner, que tem autismo diagnosticado desde a infância. No mundo dele, a franqueza impera e não há espaço para mentiras; o que torna a série bem mais divertida e autêntica. 

Além da presença de um protagonista incrível, a série dá espaço às histórias individuais de cada membro da família, abordando questões conflituosas como: puberdade; entendimento da orientação sexual; traição; e relacionamentos.

O Quarto de Jack

Foto de O Quarto de Jack
Divulgação

O Quarto de Jack mostrou a força do imaginário de uma mãe decidida a prover uma realidade positiva e cheia de sonhos para o filho, mesmo no pior cenário possível. Esse filme foca no desenvolvimento infantil e na relação parental dentro do difícil contexto de um trauma e estresse pós-traumático.

É uma história impressionante e uma verdadeira lição de empatia com sua narrativa vulnerável sobre o humano. Não à toa, foi indicado e levou Oscar de melhor atuação da atriz Brie Larson, que protagonizou Joy, a mãe de Jack.

Freud

É importante ressaltar que a produção austríaca, da Netflix, conta uma história que mistura ficção e realidade, então não é biográfico. A história da série gira em torno da união entre o psicanalista Sigmund Freud, o inspetor da polícia e uma médium em busca de justiça para crimes cometidos por conta de distúrbios que na época não eram tratados.

Os conceitos de Freud são aplicados até hoje, partindo da premissa de que agimos muito baseados nos impulsos reprimidos do inconsciente, originados principalmente na infância. O objetivo de Freud na série e na vida real foi, então, trazer à tona esses conflitos para o consciente.

Fragmentado

Fragmentado faz parte de uma trilogia, mas pode ser assistido independentemente. Nele, o ator James McAvoy atua de forma impressionante, interpretando múltiplas personalidades – um total de 23. Embora existam personalidades doces no seu íntimo, há também as cruéis: desde uma mulher e uma criança, até uma “besta”; mas nem todas as 23 são mostradas no filme.

O enredo aborda a psiquiatra tentando ajudar o “fragmentado” Kevin e suas várias personalidades. De tirar o fôlego, é um suspense psicológico com cenas em terapia muito impressionantes e diferentes de tudo que você já viu.

Nise, o Coração da Loucura (biográfico)

Nise conta a história real da psiquiatra Nise da Silveira, que ficou reconhecida mundialmente por revolucionar o tratamento mental e a luta antimanicomial no Brasil. Foi ela quem eliminou as formas agressivas de tratamentos da época, como o confinamento em manicômios, eletrochoque, insulinoterapia e lobotomia. Baita história pra conhecer e contar, né?

O roteiro foca na vida profissional dela e o quanto discordam de suas abordagens de tratamentos. Por ser oprimida, ela assume o abandonado Setor de Terapia Ocupacional, onde dá início a uma nova forma de lidar com os pacientes, através do amor e da arte. Nise tem sua terapia inspirada pela ideologia do psicanalista Carl Gustav Jung – inclusive, Nise troca correspondências com o renomado profissional, sendo motivada por ele. 

The Alienist

No século 19, acreditava-se que as pessoas que sofriam de doenças mentais estavam “alienadas de sua verdadeira natureza”. A psicologia como a conhecemos não existia naquela época e os psiquiatras de hoje eram chamados de alienistas .

O enredo envolve um ilustrador, um “alienista”, a primeira mulher contratada pela polícia de Nova Iorque, uma secretária policial vivida por Dakota Fanning, e mais dois jovens peritos. O que torna a série diferenciada é por abordar a investigação de um serial killer numa altura em que a psicologia e a criação de um perfil psicológico para um “assassino em série” é um conceito inovador e, para muitos, irreal.

Infelizmente, trata-se de um período em que ter uma mulher na polícia também é igualmente inaceito, e a junção desses elementos é que tornam The Alienist uma das séries policiais mais interessantes do catálogo da Netflix. Corre pra assistir que muito em breve será lançada a segunda temporada. 

Sex Education

Sex Education aborda com muita honestidade temas hiper relevantes com uma grande dose de quebra de tabus, polêmicas bem atuais, e quebra de estereótipos e padrões. Contando a história de uma mãe que é terapeuta sexual e de seu filho, a série não só diverte e inspira, mas também educa e incentiva diálogos com as novas gerações.

É uma série repleta de aprendizados, fácil de assistir e muito viciante para maratonar. Se você ainda não viu, está esperando o quê?