Ray Fisher em Liga da Justiça

Créditos da imagem: Liga da Justiça/Warner Bros/Reprodução

Filmes

Notícia

Ray Fisher acusa Joss Whedon de ter postura abusiva no set de Liga da Justiça

Segundo o ator, o comportamento inadequado do diretor era permitido pelo então CEO da DC, Geoff Johns

Mariana Canhisares
01.07.2020
14h41

O ator Ray Fisher afirmou que o diretor Joss Whedon teve um comportamento inadequado com o elenco e a equipe no set de Liga da Justiça. Sem dar muitos detalhes, o intérprete do Ciborgue disse que o cineasta tinha apoio do então CEO da DC, Geoff Johns, e do produtor Jon Berg. No Twitter, ele escreveu:

"O tratamento que Joss Whedon seu ao elenco e à equipe no set de Liga da Justiça foi nojento, abusivo, antiprofissional e completamente inaceitável. Ele foi apoiado, de muitos modos, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade > Entretenimento".

Até o momento, Joss Whedon não se manifestou a respeito das críticas.

Esta não é a primeira vez que Fisher faz críticas a Whedon. Recentemente, o ator retirou elogios que fez ao diretor na San Diego Comic-Con em 2017, quando o chamou de "grande cara" e "uma pessoa boa para terminar" Liga da Justiça.

Vale lembrar que, por causa do suicídio de sua filha, Zack Snyder abandonou Liga da Justiça em 2016. Joss Whedon assumiu as filmagens depois da saída, mas a reação negativa em torno do filme estimulou os rumores em torno da versão original do longa, já que muito material planejado pelo cineasta não entrou na versão final, além do tom ser inconsistente. O filme foi lançado em novembro de 2017 e arrecadou cerca de US$ 657 milhões no mundo, enquanto esteve em cartaz.

Desde então surgiu a campanha Release The Snyder Cut, que pedia pela mitológica versão do diretor. Não só o público mais fiel apoiou, mas também os atores, como Gal Gadot (Mulher-Maravilha) e Jason Momoa (Aquaman). Após muito tempo, a Warner confirmou o lançamento do SnyderCut para 2021 no HBO Max, streaming do grupo Time Warner.