Filmes

Notícia

X-Men: Fênix Negra foi adiado para finalizar efeitos visuais, diz diretor

Lançamento na China também é citado na justificativa de Simon Kinberg

Natália Bridi
02.10.2018
21h31
Atualizada em
02.10.2018
23h41
Atualizada em 02.10.2018 às 23h41

O adiamento de X-Men: Fênix Negra apenas um dia após a divulgação do seu primeiro trailer deixou muita gente se perguntando o que teria levado a Fox a trocar a estreia em 14 de fevereiro por 7 de junho de 2019. A compra do estúdio pela Disney encabeçou diversas teorias, mas segundo o diretor Simon Kinberg as coisas são mais "simples". 

"Alguns trailers diziam 'Em breve" e outros '14 de fevereiro'. Era uma data, 14 de fevereiro, que inicialmente gostamos para o filme, mas percebemos que não teríamos os efeitos visuais prontos para lançar o longa globalmente como gostaríamos. A data de Gambit abriu pois o filme não ficaria pronto até 7 de junho e comparamos os lançamentos. Sentimos que a data de junho era uma oportunidade maior para nós globalmente. Mais telas, mais telas em IMAX, uma chance maior de exibição na China, onde esses filmes têm muitos fãs. O que descobrimos quando lançamos o trailer foi  que 44/45 milhões de visualizações vieram da China...", explicou o produtor/cineasta ao Collider. 

Ainda assim, Kinberg admite que a prévia não deveria ter sido divulgada com a data de 14 de fevereiro, já que o lançamento ainda estava sendo debatido com o estúdio: "(...) as pessoas queriam ver alguma coisa do filme e estava na hora de mostrar alguma coisa. Então teria lançado o trailer na mesma data, mas teria colocado 'Em Breve" ou data de 7 de junho, apesar de que a decisão ainda não havia sido tomada". 

As mudanças no calendário da Fox também incluíram o anúncio de um filme de Natal de Deadpool para 21 de dezembro de 2018, o adiamento de Alita: Anjo de Combate para 14 de fevereiro de 2019 e de Gambit para 13 de março de 2020.