Séries e TV

Artigo

The Walking Dead | Qual o futuro da série sem Rick e, possivelmente, com Daryl virando o protagonista

Site revelou que ator principal sairá no próximo ano da atração

Rafael Gonzaga
29.05.2018
20h00
Atualizada em
29.06.2018
02h48
Atualizada em 29.06.2018 às 02h48

The Walking Dead encerrou sua oitava temporada com uma de suas baixas mais impressionantes: a morte de Carl (Chandler Riggs), que muitos acreditavam estar destinado a ser o sucessor de Rick (Andrew Lincoln). A decisão criativa da AMC deixou muitos fãs da atração revoltados, em especial pelo afastamento da produção televisiva do conteúdo original dos quadrinhos, onde Carl segue vivo e relevante para a trama. Ainda na mais recente temporada, Lauren Cohan, a Maggie, travou uma disputa por um aumento salarial que terminou com a atriz confirmada apenas em metade do nono ano e com um papel de destaque garantido em Whiskey Cavalier, nova atração da ABC. Agora, uma atualização importante pode ter remodelado de forma definitiva o futuro da trama: Lincoln, o principal nome de The Walking Dead desde o primeiro ano, deverá se despedir da série em breve.

De acordo com o Collider, o ator responsável por dar vida ao protagonista Rick Grimes, deixará o elenco de The Walking Dead após a primeira metade do nono ano. Lincoln está confirmado para apenas seis episódios da remessa inédita - mesma quantidade, aliás, de capítulos que contarão com a presença de Cohan. A questão que a saída de Lincoln levanta é: qual o futuro, ou mesmo se há algum futuro, para a série sem Rick Grimes?

Não é novidade que os produtores pensavam há algum tempo no fim do personagem, mas, de acordo com todas as declarações mais recentes, era de se imaginar que Rick seguiria liderando a atração por mais alguns anos. À Entertainment Weekly, o próprio Robert Kirkman, autor dos quadrinhos, declarou que já tinha o fim da série esquematizado e que Rick Grimes não sobreviveria até o fim dela. “Nosso programa poderia sobreviver sem Rick Grimes. Certamente há muitas histórias que poderíamos contar sem esse personagem central. Eu já falei muito que o Rick definitivamente irá morrer nos quadrinhos, em algum momento antes da conclusão da série. Eu quero fazer todos terem a certeza de que ninguém está seguro. Mas eu não acho que vocês deveriam ficar esperando isso tão cedo".

Sem herdeiros sucessores

Paralelamente, Scott Gimple, diretor de conteúdo do universo The Walking Dead, também chegou a falar sobre a despedida de Rick como algo distante. “Nós não queremos continuar sem Rick Grimes, mas quem sabe na 20ª ou 30ª temporada?”, disse. Desde muito cedo, parte dos fãs de fato acreditava que The Walking Dead encerraria com Rick de fato se despedindo, deixando em seu lugar Carl. Nesse ponto da trama, era de se esperar que o rapaz estivesse pronto não só para liderar os demais sobreviventes, como para cuidar de Judith - porém, essa alternativa de conclusão foi limada no momento que Carl foi morto após ser mordido por um zumbi enquanto tentava salvar Siddiq (Avi Nash).

Sempre foi bastante explícito que Rick precisava de um sucessor - seja para encerrar a série ou para dar continuidade à atração - e Carl foi, até então, a escolha mais óbvia. Contudo, o rapaz não era o único herdeiro do ex-xerife: Judith segue viva. Por ser só um bebê, a caçula foi absolutamente irrelevante na série até o momento mas, com a morte de Carl e com as declarações tanto de Kirkman quando de Gimple sobre a série durar ainda bastante tempo, tudo indicava que seria ela a responsável por suprir essa lacuna. Rick, então, treinaria a caçula para assumir o legado que anteriormente estava relegado ao filho mais velho. A cena em que Carl deixa o chapéu de xerife para a irmã era extremamente simbólica nesse sentido - mas, com a morte de Rick, essa opção também foi por água abaixo.

Daryl protagonista

Há uma pista sobre o futuro da série - e pode ser bem desanimadora para os fãs. De acordo também com o Collider, a AMC ofereceu um "aumento substancial" para Norman Reedus - algo em torno de US$ 20 milhões -, o Daryl Dixon, continuar na produção e possivelmente assumir como protagonista. O personagem, que durante os primeiros anos foi querido a ponto de parte do público ameaçar um boicote à atração caso ele morresse, foi relegado a uma participação pífia nas mais recentes temporadas. O carisma de Daryl foi sendo minado quando, episódio após episódio, todas suas poucas movimentações relevantes na série resultaram em grandes problemas para o grupo de sobreviventes - desde a morte de Glenn (Steven Yeun) até a fuga dos Salvadores de dentro do Santuário.

Contudo, de alguma forma, faz sentido que Daryl seja uma opção para assumir a atração. Primeiro pela concorrência fraca pelo posto, já que desde a sétima temporada há apenas quatro lideranças expressivas na trama: Rick, por Alexandria; Maggie, por Hilltop; Ezekiel (Khary Payton), pelo Reino; e Negan (Jeffrey Dean Morgan), pelos Salvadores. Os dois primeiros são carta fora do baralho e Ezekiel não tem a menor expressividade para sustentar o título máximo da trama. Dar ao vilão Negan o papel principal seria uma movimentação ousada - e é provável que Dean Morgan, que já demonstrou interesse em voltar para Supernatural, não esteja interessado nessa promoção.

Daryl é um dos poucos sobreviventes originais ainda na atração: se considerarmos a saída de Rick como algo certo e que Morgan estará permanentemente deslocado para Fear The Walking Dead, sobram apenas ele e Carol (Melissa McBride) do grupo original de Atlanta. Na última temporada, ele ainda teve espaço - ainda que pouco - para questionar a autoridade de Rick, se colocando em um lugar de horizontalidade com o líder oficial de Alexandria. Além disso, há a disposição do próprio ator em relação à série. Reedus afirmou, em entrevista à Variety, que poderia continuar em The Walking Dead por muito tempo: "Poderia interpretar Daryl para sempre", disse na ocasião.

Fim do universo The Walking Dead?

Apesar de essencialmente todas essas mudanças soarem decepcionantes para parte dos fãs, não aponta para o fim da franquia na televisão. Gimple disse, em entrevista ao The Hollywood Reporter, ele revelou que já tem planos de fazer novos derivados, além de Fear the Walking Dead. "Temos um monte de coisas diferentes em mente. Algumas são realmente complementares ao que já estamos fazendo, outras são bem distantes", disse. Na mesma entrevista, o diretor de conteúdo disse que não descartaria trabalhar com algumas das figuras da série com as quais o público já é familiarizado. "Estou falando de jeitos diferentes de contar uma história, possivelmente com personagens que conhecemos e possivelmente com desconhecidos". Até mesmo um filme chegou a ser considerado - saiba mais

De todo modo, nem Andrew Lincoln, nem a AMC se pronunciou oficialmente sobre a notícia do Collider - caso ela se confirme, o caminho estará aberto como nunca para algo que os produtores vem falando nos últimos tempos: o distanciamento cada vez mais expressivo da adaptação televisiva em relação aos quadrinhos. Greg Nicotero foi um dos que falou sobre isso, por exemplo, durante uma entrevista com o DigitalSpy. “Eu acho que não seria empolgante se apenas fizéssemos um remake quadro a quadro dos quadrinhos, porque pode-se esperar ‘oh, então isso vai acontecer em seguida'. Parte da série é sobre desviar dos quadrinhos para servir à nossa história, e eu acho que posso dizer que nós abraçamos esses desvios”. Levando isso em conta, nada seria mais justo do que colocar no centro da série Daryl, um personagem que sequer existe nas HQs, e deixar Rick no passado.

Até o momento, a nova temporada ainda não tem previsão de estreia.